sábado, 8 de agosto de 2009

Salvando a pátria

- Livro: Harry Potter e o Enigma do Príncipe

*As próximas linhas contém spoilers sérios; para quem não leu o livro ou assistiu o filme, passe longe daqui! É uma mudancinha básica no dim do capítulo vinte e sete: A Torre Atingida Pelo Raio.

"Draco Malfoy estava, notoriamente, sem um pingo de coragem para exterminar de vez Alvo Dumbledore e dar a mais completa felicidade aos Comensais da Morte e, principalmente, à Lord Voldemort.
- Ande, Draco! Acabe de uma vez por todas com isso! - gritava o comensal corpulento.
O que Draco e os Comensais não sabiam é que haviam três seres por ali, sem dar a mínima bandeira...
- Severo, não permita que tudo o que menos esperei que acontecesse seja pelas suas mãos...
Dumbledore parecia morto, se não tivesse proferido aquelas palavras a Snape, suplicantes. Harry ficara assustado ao percebê-lo.
Snape, num gesto furioso e impiedoso, tirou Malfoy do caminho e fitou os olhos do diretor, pela primeira vez. O ódio marcado em seus traços fizeram Harry paralisar e tremer de medo, angústia e dor.
Dumbledore suplicou, mais uma vez.
- Por favor, Severo...
Snape posicionou rapidamente a varinha na direção do peito de Dumbledore, dizendo com firmeza e um brilho excepcionalmente malicioso nos olhos:
- Avada...
- Estupefaça!
Um jovem alto, moreno e que aparentemente aparecera ali por acaso evitara aquela tragédia.
- Tiêgo, não!
- Avada Kedavra! - gritou Snape, com os olhos em fúria visível, apontando para Tiêgo.
- Rá, eu não sou tão idiota quanto pareço, Snape - disse o rapaz, triunfante e sedento de justiça.
Rony e Hermione, sem perder tempo, lançaram para cima dos comensais vários feitiços estuporantes e paralisantes. Hermione conseguiu acertar a maioria, enquanto Rony derrubava um comensal baixinho. Não houve tempo deles reagirem, assim como Snape fora prontamente derrubado e petrificado por um Harry Potter em fúria. Controlada a situação, Rony dizia em altos brados para Harry:
- Corra! Aparate com Dumbledore para longe daqui! Rápido!
Harry correu dali com Dumbledore cambaleando ainda sob o efeito da poção, e sumiram naquela imensidão de neve que lhes esperavam dali a alguns metros.
- Vamos correr, Mione! A chave do portal está pronta! Sala de herbologia, em cinco minutos! - disse Tiêgo, ainda eufórico por ter conseguido enfrentar Snape com toda aquela bravura.
Rony ia à frente dos dois, que não tinham muitas forças para correr rápido. Ao chegar no castelo, os três correram para a estufa de herbologia, penetraram aquela multidão que se aglomerava em torno daquela bota murcha e sem valor definido.
- Três, dois, um! - contou Hermione, que, assim como todos, sentiu o puxão no umbigo típico daquele meio de transporte.
Mas, como se tivesse tomado doze poções de euforia, Tiêgo não tocou na chave do portal. Apenas quis ficar para viver, mais uma única vez, aquele mundo fo posível: o mundo da magia.



*Texto para o Blorkutando - 45ª Semana: No seu livro.

0 pseudocomentaram: