quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Amar, acima de tudo!



Recordo-me como se fosse ontem das exatas três vezes em que me apaixonei perdidamente pelas pessoas que eu considerava as mais importantes de minha vida: minhas melhores amigas. Na primeira vez, não expressei meu amor por medo de prejudicar nossa amizade. Falhei. Na segunda vez, a total insegurança me deixou mudo. Falhei novamente. Já na terceira tentativa, com minha mente mais madura e estruturada, resolvi me declarar, reunindo toda a coragem que poderia existir em mim. Recebi um não como resposta, apesar de ter tirado isso como lição. É importante dizer o que sentimos. Por mais que doa à sua alma gêmea que sempre esteve ao seu lado. É necessária a sensação de estar livre da angústia que penetra nossos corações enquanto decidimos se falamos ou não aos nossos melhores amigos que queremos ir além da amizade.
Sentir que aquele apreço, aquele carinho que é tão normal entre melhores amigos está se transformando numa paixão ardente como a que se vê nos filmes de romance ou num amor desses bem piegas de novela, é como uma tempestade que chega do nada depois daquele dia quente de verão. É inevitável. Não temos o menor controle sobre nossos sentimentos. O desejo de estar junto daquela pessoa é maior do que nossas próprias vontades e acaba tomando uma proporção muito grande em nossas almas. E então não se pode mais fazer nada; o destino se encarrega de armar as peças em nossas vidas. Brincamos a todo momento em uma roda gigante de emoções. A confiança já existente no amigo reforça o que estamos vivenciando e ainda colabora para que, caso não tenhamos sucesso na hora de falar ao melhor amigo que ele é o mais novo alvo de nossos olhos apaixonados, demoremos a esquecê-los. Minhas infelicidades com o amor me fizeram refletir muito sobre isso. Não é nada fácil ter que suportar a dor de ter seus sentimentos mais intensos serem rejeitados pela pessoa que você, provavelemente, mais preza no mundo! Porém, quando o contrário acontece não há nada mais lindo do que o amor originado de uma amizade tão incrível como a de melhores amigos. Unir o útil ao agradável pode ser bem melhor do que imaginamos. Ainda mais quando se fala de um amor que surge após semanas, meses ou até mesmo anos de convivência!
Amar, assim como chorar ou sorrir, é algo inexplicável. Amar seu melhor amigo é bem mais indescritível. Mas não deixa de ser amor. Não importa se ele for correspondido ou não; estaremos sempre ligados de algum jeito com esse sentimento tão forte que é o amor. E vivenciando-o a cada dia, aprendemos a ser pacientes, já que não se trata de qualquer pessoa. Afinal, é seu melhor amigo e nada mudará este fato.
E querem saber mais? Não me importo com o fora que levei na única vez em que consegui me declarar, porque o prazer de estar satisfeito comigo mesmo por ter aberto o jogo com ela simplesmente me bastou. Pois amargar calado um sentimento tão bonito não faz sentido. Amar sim é que faz sentido! E muito!










Pauta para o Blorkutando - 67º Semana: Meu melhor amigo?!




***


Ooooi gente!
Após uma semana de ressaca moral (SAHUSHUASH) resolvi voltar. Fiquei mesmo muito satisfeito em ver que as pessoas leram as minhas últimas considerações sobre 2009. Foi realmente um ano memorável, então a pauta ia mesmo ficar imensa!
E antes que eu me esqueça, ontem tive a maior alegria da minha vida! Como de costume, entrei no blog do Blorkutando , para ver se pelo menos na última semana do ano, eu ficava entre os três melhores. Não apostei naquele texto, confesso. Mas para minha imensa surpresa, eu havia ficado em primeiro lugar! Que coisa, eu jamais imaginei ganhar! Afinal, são mais de 30 textos por semana! E eu quase morri de tanta felicidade! Juro que ainda estou tentando acreditar.
E como foi o ano novo de vocês?

Meu fim de ano foi melhor do que todos, apesar de não ter tido nada de mais. Apenas fiquei mais feliz do que o normal. Parece que meu 2010 será brilhante! E conto com a ajuda de vocês, lendo o blog e me contando o que acham, ok?
Ah, e valeu mesmo, gente, pelos treze comentários num só post. Outra marca que eu ainda não havia atingido. Obrigado mesmo, meus leitores mais lindos e atenciosos do mundo!


Bem, acho que por hoje é só.


Beijos, abraços e até a próxima!

11 pseudocomentaram:

Fabiana Celso disse...

Gostei muito do texto, diferente dos que ja vi
Vou te seguir, conterrâneo nortista!
:*

Belisa Cardoso disse...

Nossa!
Nunca senti qualquer coisa por um amigo.Deve ser bem estranho.
Muito legal em!
bjoss

l a l a h disse...

Entendo bem, meu primeiro amor foi meu melhor amigo que eu cresci com ele. Acabou não dandno muito certo e arrumei um namorado que acabou virando meu melhor amigo. Me considero muito sortuda por isso.
Amei o texto, extremamente bem escrito.
E sim, aqueles sobres estavam me irritando também haha.

Posso fazer uma pergunta estúpida? Bem, vou fazer assim mesmo: o que é blokurtando. Vejo isso em um monte de blog e nunca entendi, só uso blog pra escrever mesmo, então... sou meio ignorante para essas coisas hehe.
=*

Tata disse...

"não há nada mais lindo do que o amor originado de uma amizade tão incrível como a de melhores amigos."

Nossa! Adorei o texto inteiro, mas essa frase aí tá impagável *-* UHASHUSUHAUHASUHSAUHSA

Também tô com a sensação que 2010 vai ser muito bom pra mim. Tomara, né? LOL

' Yasmin disse...

Não há nada melhor que gostar do melhor amigo, é diferente, você descreveu bem o sentimento que nasce depois de meses de convivência, vale ariscar, porque se mútuo será inesquecível.

Dani disse...

'Não temos o menor controle sobre nossos sentimentos. '

Achei ótima essa frase. Confesso que nunca me apaixonei por meus melhores amigos e se caso isso acontecesse iria ficar per-di-da!

Bjs

Erica Ferro disse...

Ah, me pergunta quantas vezes eu já me apaixonei por amigos. Me pergunta! Hahaha. Sempre.
E o pior é que eu nunca me declaro, fico em cima do muro e sofro muito. :S
Tenho que largar o medo do 'não' e aliviar a angústia de amar em silêncio.

Olha só, boa sorte nessa semana do BK e PARABÉNS, de novo, pela vitória!
Você é massa!

Beijo.

Mary disse...

É aquela velha história, "eu preciso dizer que te amo, te ganhar ou perder, sem engano".
Eu nunca me apaixonei por um amigo, mas acho que se acontecer terei medo de falar. Não é medo do "não", é medo de perder.

P.S.: Valeu mesmo Tiêgo, por todos os seus elogios, viu... Sempre presente lá no blog. E assim que abrirem inscrições pro TDB, te aviso.

Beijo.

Vanessa disse...

Ah, eu não gosto de misturar sentimentos...Odeio quando amizade vira amor HAHA Nunca me convenci de que isso pode dar certo...
Ah, linkei seu blog!

(www.caixinhadeopinioes.zip.net)

Mariana Martins disse...

Me apaixonei por um amigo uma vez, e, pro meu azar, no mesmo tempo ele começou a namorar. Acho que foi melhor assim, de todo jeito. Porque só ia crescer, eu não ia falar e ia sofrer, como sempre. A vida tem sempre razão, né?

" ) disse...

Oiii... gostei muito do seu texto..!
eu também participo do blorkutando mais faz pouco tempo e ainda não escrevi sobre nenhum tema e esse como já aconteceu cmg eu fui ler o 1º colocado e gostei muito vo seguir vc
entra no meu blog e vê o que acha
http://minds-travelers.blogspot.com
beijos
ARIANE