domingo, 18 de abril de 2010

Atreva-se, ouse.

Hoje à tarde, fiquei relembrando de alguns momentos da minha vida em que tive que ser ousado. Atrevido. No colégio, por exemplo, assumi gostos diferentes dos dos demais; na rua, passei a ingorar certos julgamentos que me derrubavam por completo; e na internet, criei um blog para expor uma opinião que meu espelho e meu caderno estavam cansados de saber. É isso que eu chamo de mudar, ousar. Soube mexer em mim de modo a ficar mais... interessante, digamos assim. De um sem conteúdo total, minha condição pulou para expressivo.com. Atrevi-me a mudar, uma sensação que acompanha a todos nós durante a vida inteira.

Cá com meus botões, comecei a refletir : se existem pessoas tão influentes e poderosas em nossa sociedade, porque elas não se atrevem a modificar certas situações completamente revoltantes e caóticas para que se tornem solução para todos? Acredito que cada um de nós tem sim o poder de ousar e de ser ousado. Atrever e ser atrevido. Porém, é claro que há momentos em que não se vê necessidade de ser tão expressivo, mas quando puder, mude um pouco. Mexa-se. Não seja apenas mais um na multidão. Ajude, colabore com a sociedade, faça a diferença. Seja recolhendo o papel do bombom que você comeu ou impedindo aquele carinha indefeso da escola de sofrer bullying da parte dos seus amigos. Garanto que o ato de ousar pode garantir frutos no futuro, que você agradecerá por terem brotado. E aquelas pessoas que tem tudo e não fazem nada perceberão o quanto estão sendo estúpidas.

Com tudo isso, espero ter plantado em vocês um grãozinho que seja de incentivo. Ào atrevimento quando sentir que for a hora de se atrever, à ousadia quando for necessária e, principalmente, à mudança, que é a única capaz de lhe dizer o que deve ou não fazer.

Pelo direito de ser feliz, sejamos atrevidos e atrevidas na vida!

*Post especialmente dedicado ao Joabe, que é um excelente e competente blogueiro e me pediu, via Twitter (!), por um texto em homenagem ao seu blog. Tá aí, @atrevidoemeio! Espero que goste!


***
Oi gente!


Antes de tudo, quero agradecer pelos 17 (!) comentários no texto anterior. E isso porque eu sou um zero em paquera, hein? Haha. Agradecer à Marília por ter me dado aquela pérola de cantada pra postar no Twitter. Valeu, Má!
Minha semana foi ótima, apesar de alguns imprevistos. Não houve aula na quinta-feira devido a uma manifestação dos professores. Quando soube, pulei de alegria. Mas só agora vim perceber que isso vai ser sinônimo de sábados letivos. E eu odeio (leia-se ODEIO MUITO) ter que ir pra escola no sábado.
No curso de Francês, uma surpresa: aprendi a conjugar os verbos no passado. É difícil, sabiam? Tanta regra, tanta palavra só pra dizer que passou tal coisa... Mas é né, tem que aprender. E eu aprendi. E ensinei, também.
W. me pediu pra ter aular particulares, de tão bom que é o meu francês, modéstia à parte. E eu dei. Era pra ter sido melhor, mas aconteceram fatos que não vale a pena recordar que impediram toda a sina de se cumprir – pelo menos a que eu imaginava que fosse acontecer. Me ferrei bonito. Bem feito, quem mandou querer acreditar no que não existia!
Mudando de assunto, tô viciado no Twitter! Sinceramente, eu sou a prova viva de que o amor é a ligação perfeita pro ódio. Antes, não via a menor graça – até porque eu não ia tuitar todos os dias, né? – nesse microblog. Agora, com a net em casa, parece uma brincadeira bem legal, daqueles que te fazem ficar horas com a galera jogando. Adorei! Tanto que se não fosse o Twitter, eu não teria feito o texto pro Joabe! Rs.
E acho que tô completamente retardado. Comecei a gostar dos VDG! Acho que foi praga. Mas também acho que foi porque eles 'nasceram' no mesmo mês em que o meu blog, sacam?

Pra concluir, o próximo texto será o de número cem! Olha só, jamais imaginei chegar a tanto! Muito obrigado à todos que leem meu blog e me dão motivos pra continuar!

Acho que eu já falei demais. Agora façam a parte de vocês e comentem, comentem muito e me deixem muito feliz como no post anterior!


Pra vocês que me amam,

15 pseudocomentaram:

Tay disse...

Você se achava sem conteúdo, mas na verdade só fez descobrir o que já havia dentro de você!
Post massa, amei. :)
Tem post novo no meu blog! :*

Taw disse...

Muito bom, véio!

Hum... suponho que até em ousar, poderíamos ser ousado a ponto de fazê-lo com zelo suficiente que nosso atrevimento não limite aos que estão próximos.

Hum... mas existe um rótulo, pelo menos, por aqui onde eu vivo... de que diz: quando ousar não se limite ao ambiente nem a consciência alheia.

Não acho isso uma ousadia completa, é sim em partes... uma ousadia mesmo, para mim, é fazer o que tem que ser feito, sem permitir que as limitações alheias nos limite, mas também ter um zelo para que nosso atrevimento não seja um vetor que diminua a paz no outro, como indivíduo.

Para mim, limitar a paz do outro, é o mesmo que criar resistências quando o outro também estiver disposto a ousar.


é como eu penso.

Erica Ferro disse...

Esse trecho: "Cá com meus botões, comecei a refletir : se existem pessoas tão influentes e poderosas em nossa sociedade, porque elas não se atrevem a modificar certas situações completamente revoltantes e caóticas para que se tornem solução para todos?"

Me lembrou um pedacinho da música "A verdade a ver navios", do Engenheiros do Hawaii.

"É muito engraçado
Que todos tenham os mesmos sonhos
E que o sonho nunca vire realidade...♫"

Né?

Muito bom o texto!
Beijo.

Carla Rosenvelt disse...

É que o pessoal que ganhou nem era tão bom! Sinceramente tu escreves muito melhor. Estou participando agora e vou observar se os vencedores serão realmente melhores.
Olha, não te vicia tanto assim no twitter, ok? Senão acabas por abandonar o blog e isto seria inadimissível.

Beijo solitário.

mms disse...

Nossa, me identifiquei muito com esse texto. Tenho ser atrevida diariamente, com todos, é impressionante isso, as vezes nem é a minha intenção ser, mas sou. Como você disse, sobre bullying, tento evitar ao máximo que isso aconteça com uma amiga minha, as vezes da certo, mas as vezes essa mesma amiga se volta contra mim, é dificil, quase desisti de ajuda-la, mas ainda tento. Estou te seguindo. Bjo :*

Jeniffer Yara disse...

Ah mudar,ser ousado,atrevido é sempre bom,claro sendo atrevido do jeito certo,fazendo as coisas certas! *_* Ah amo o Jô e o blog dele,fez um texto muito bom em relação á ele! *_*
Ah cara não acredito que você tá gostando de VDG! O_o Seja atrevido e mude de gosto por favor! HUASHUASHUAHSUAHSUAS #Brinks... Gosto não se discute não é?! rs'

Bjs!

Marie disse...

mudar é uma constante necessidade, mas ousar é para poucos.

l a l a h disse...

A ousadia é sempre importante, em varios sentidos. Quem não ousa nem vive, por que ousar é arriscar a duvida de não saber o que vem no proximo momento.
Belo texto amigo.

mms disse...

Oláá, obrigada por me seguir :D
Estou com um post novo, qdo vc postar no seu blog eu volto aqui correndo para comentar de novo. :*

A!!ªN disse...

>De um sem conteúdo total, minha condição pulou para expressivo.com.< Adorei principalmente essa parte porque é assim que me sinto as vezes. Nossa não sabia que falava francês, deve ser um tanto quanto dificil né?
Muito bom, concordo em genero número e grau com tudo o que você disse.

Atrevido disse...

Cara, ficou muito bom, vou postar hj. Você escreve maravilhosamente e bem. Muito obrigado mesmo. E não creio que vc ta gostando de VDG #fail, vc odiava. Sucesso

Ná Lima disse...

Ousar, uma palavra tão simples e impactante.

Me identifiquei com o que você escreveu, coisa que acontece raramente.

Gostei muito daqui, vou vir mais vezes!

@_jotaerre disse...

Amo seus textos, quando vejo sua atualização venho correndo ler!

Continue assim!

Vanessa disse...

Adoreeei seu post! Tento ser ousada na hora de tomar decisões. Só não gosto de gente que é ousada em busca de exibição e coisas do tipo hehehe
Opa, VDG? Não diga iussoooooou!

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Amei o seu texto. Estou aprendendo como é esse lance de ousar quando necessário. Vale a pena.

Parabéns pelo texto e pelo blog.
ps: eu tento avisar as pessoas do perigo do twitter, mas ninguém me escuta...
huashuash