domingo, 11 de abril de 2010

Carta de uma jovem apaixonada (1).


Bernardo,


Ontem à noite não consegui dormir. Fechava meus olhos e a sua imagem, sorridente e impecável como o horizonte laranja no pôr-do-sol, invadia meu pensamento, sem pedir licença. Por vezes caminhei de um lado para o outro com o celular nas mãos, pronta para te ligar e falar que não consigo mais viver sem você. Mas o receio, o medo da sua decepção, do seu desprezo era maior, tão maior que não consegui reunir coragem o suficiente para procurar seu número na agenda e apertar o CALL. Os minutos, os segundos se arrastavam pela madrugada silenciosa e sorrateira, que tomava conta do céu imenso e cinza que restava de um dia chuvoso. Bernardo, meu amor, sou grata a você por ter me oferecido aquele lugar no cinema, pela pipoca repartida e pelo discreto beijo dado no final do filme, que virou mero coadjuvante nessa história. Meu querido, meu amado. Você ter sumido assim só me fez acreditar ainda mais no que eu já sentia. Esta noite passada em claro, relembrando nossos passeios, beijos ardentes e abraços sintonizantes, conseguiu me prender ainda mais à você. Bernardo, você é o único perfume que minha pele aceita; você é a estrela que ilumina minhas solitárias noites; você é o sonho que insiste em penetrar minha mente. Você, com toda esta atenção e respeito para comigo me fez cair, ceder, ser derrotada pelo amor. Já não posso evitar. Outros homens cruzaram meu caminho, implorando por uma única chance. Mas a sua imagem aparecia ao meu lado, sussurrando palavras de amor em meu ouvido e fazendo com que eu não me sujeitasse à conversa de nenhum deles. Eu sei o que quero. É a você que eu amo, Bernardo. E sei que seu sentimento por mim por mim não foi nem é apenas mais um para a coleção. É por isso que lhe confesso que falhei ao me apaixonar por você, por aceitar condições totalmente opostas , e por acreditar na esperança da compreensão novamente. Assim que puder, mande notícias. Já não suporto mais um dia sem notícias suas. Preciso de você, meu amor.




Da sua amada,
Sophia.

***

 
Oi, gente.

Caso não tenham reparado a dose cavalar de sentimentos que pus nesa carta, eu estou apaixonado. De uma forma muito mais intensa e diferente do que das outras vezes. W. é total e completamente diferente de mim e sei que não daremos certo de jeito nenhum. Mas lá no fundo, algo me diz que devo persistir nesse amor. Não é brincadeira nem nada. Quando escrevo cartas de amor, podem ter certeza de uma coisa: elas demonstram tudo o que estou vivendo no momento. Interpretem-a do modo como preferirem, pois já fiz da minha maneira.



*Tirei a ideia das cartinhas da Mel, que sempre me fazem pensar e refletir. Valeu pela inspiração, Mel!

8 pseudocomentaram:

Felipe disse...

Sofrer por amor é o fim, mas todo já passou por isso :x
Invista nesse amor vai que da certo?
Voce tem que tentar.

Mel disse...

Ai o amor, sou uma boba apaixonada e todas as cartas que escrevo são escritas para serem enviadas, mas nunca tenho coragem! Como ficou linda a sua carta, me senti e me vi escrita na Sophia, nas palavras dela.
Meus olhos, muitas vezes teimam em deixar-se escurecer, é como se aquela imagem voltasse a cada tentativa falha de dormir iluminando a minha noite e tirando o meu sossego...
De nada pela inspiração, querido! Cartas de amor são sempre uma forma sincera de mostrar o que sentimos, o que está em nossos pensamentos com um remetente fixo, adorei a sua carta!! Escreva outras, faz bem pra quem escreve e para quem as lê! Beijos

Erica Ferro disse...

Ai, Tiêgo... a paixão dói, em certo momento sempre dói. Mas que bom que rende poesia, cartas sinceras, repletas de sentimentos puros como essa, nascidos de uma paixão ardente.

Beijo, querido.

Rúvila Magalhães disse...

Sabe, as diferenças são o que fazem um relacionamento mais legal, se esse é o seu medo, desencana. E outra coisa que você não pode esquecer é que as coisas só acontecem no tempo certo, se vocês não estiverem preparados para um amor ainda não vai rolar, caso role não será tão bom quanto deve.

beijos

jefhcardoso disse...

Tiêgo, que bom que gostou do meu blog. Fico feliz. Espero que volte mais vezes. Abraço!

Jefhcardoso

Jeniffer Yara disse...

Ah que lindo!*.* Amei seu texto! E cara,estar apaixonado é muito bom,mas é preciso que seja uma correspondido esse sentimento pra ficar melhor ainda!*.* Que lindo tudo isso que você escreveu! Eu particularmente sou uma eterna apaixonada,pela vida,pelos amigos...rs'

Bjs!O blog tá mara!

Carla Rosenvelt disse...

Acabei de escrever um comentário enorme que não foi enviado.
O fim dele dizia: Desejo-te sorte nesse caminho novo de uma paixão nova e anseios tão teus.

Beijo solitário.

Taw disse...

Hum... só não coloca tua felicidade nas mãos de outra pessoa, hein, véio... juizo.

:P