quinta-feira, 15 de abril de 2010

Paquerar, cantar, azarar .



Sabe aquele típico cara que chega em uma garota com o ar de “vem-que-eu-te-quero” ? Se sim, saiba que não faço parte destes genótipos de galos. Paquera nunca foi meu forte, admito. E algumas vezes eu já tive que rebolar para conseguir conquistrar alguém sem parecer tão, azarão (ou azilão, como é chamado aquele que azara).
A paquera é um lance meio irado: se é um garoto que chega na menina, ele é o bom, o gostosão. Se a garota chega num desses caras,  ela é tachada de piriguete, de saidinha. Mas não era pra ser o contrário? Ela não teve a coragem e a determinação de ir lá no cara mais cobiçado da balada, por exemplo, e pedir para conhecê-lo melhor? É, caros leitores. A paquera tem dessas coisas mesmo. Eu próprio, por não saber lidar com ela, tive “aulas” (sim, aulas!) de como aprender a cantar com moderação! Os objetivos foram todos cumpridos. Só que na hora H, tudo o que foi aprendido em quase um mês escorreu por um breu imaginário, dando lugar a um vazio imenso em meu ego. O que resta, nessas horas, é apelas para a improvisação, dom que os garotos dominam bem – não que as garotas não sejam capazes de improvisar, claro.
A linha “tô-te-cantando”, seguida pela maioria dos homens, dificilmente faz efeito se vier acompanhado de clássicos como “não sabia que existia anjo na Terra” e “nossa, que gata você, hein?”. O melhor a se fazer é partir pra uma conversa sadia, sem muitos exageros nem intromissões, com constantes elogios de acordo com o papo. É nesse tipo de paquera que as garotas caem. E é ela que eu aplico quando tento me aproximar de alguém. Certas palavras, expressões e comentários, se contidos naquele momento, podem fazer um bem extraordinário para os dois. E sem nenhum esforço, a paquera pode fluir positivamente; só basta ter um pouco de bom senso e lábia pra segurar a garota.
Cantadas à parte, o que não se pode perder em momento algum no ato da conquista é a essência do que te levou ali, a estar sendo guiado até aquele alguém para paquerá-lo. Porque, enfim, ninguém merece um fora quando se quer muito ficar com alguém, não é?



Pauta para o Blorkutando – 81ª Semana : Paquerologia.

***

Oi, gente!

Vocês devem estar se perguntando como alguém tipo eu, que não tem nenhuma experiência com paqueras, praticamente, consegue falar com tamanha precisão sobre tal assunto. Eu explico: é um simples caso de observação. Nas poucas vezes em que a utilizei, adquiri o conhecimento olhando os outros caras. Se bem que agora eu não preciso mais tanto dela, porque, segundo algumas amigas, “tu tem um charme natural de cara gostoso mesmo, Ti!” – um minuto de eu-me-achei.
Continuando: a internet em casa ta melhor do que pensei. Voltei ao Twitter, to aprendendo a mexer no Last FM e, enfim, to podendo pensar mais nos meus textos sem ter que me preocupar com dia da postagem nem com a hora. Ai, que ótimo! Hehe.
W. Ai, W. Me armou uma terça-feira que quase morri. Nunca me senti tão... valorizado. É, eu também tenho meu valor, tá? Haha.
No mais, acho que é só. Na escola, tudo normal. Só tenho alguns trabalhos pra entregar e história, que praga! Tirei 0,5 numa prova valendo 4,0, acreditam?! Minha situação se agravou em história e vou correr contra o tempo pra estudar. Nem tô ligando tanto pro vestibular esse ano, quero mesmo é passar na escola. O que seria da universidade sem o ensino médio completo?

Pra vocês que me amam,

17 pseudocomentaram:

@vitinhobinho disse...

Adorei o blog . Tens talento pequeno

Jeniffer Yara disse...

Ahh amei seu post! E sabia que tem garotas que também não se dão bem na paquera?! (tipo eu?!haha)

Ei vê se estuda viu?! rs' Pelo menos passar no ensino médio é preciso!haha

Bjs!

Juliana Lima disse...

eu não me canso de ler suas postagens! rodo, rodo por ai...leio textos maravilhoso mas você supera todos eles sempre! *--*

disse tudo, as vezes o cara é super gato, mas fala tanta besteira que eu até desanimo! sou do grupo prefiro feios com papo legal do que bonitos que so dizem besteiras! rs*

boa sorte no trabalho de história! eu sei como é, a gente persta tanta atençaõ no vestibular que as vezes esquece de passar de ano!

beiijos
e desculpa pelo tamanho do coment! eu tinha que me exrpressar! rs (:

Erica Ferro disse...

Vixe, eu sou uma merda na paquera, viu?
Quando começo a falar algo interessante, sempre me enrolo e falo uma merda que acaba o clima. Não conquisto ninguém, rs.

Beijo, Tiêgo.

James Pimentel disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Essa foi ótima Tiêgo. Eu sou um cara que nem liga muito pra essa coisa não. Deixo Deus fazer a obra e vou vivendo minha vida, sem ninguém, só com Ele. Sou feliz assim

Abração

Marilia disse...

cantada supimpa-
Se merda fosse beleza, vc estaria toda cagada kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

@_jotaerre disse...

Olá! Gosto de passar no seu blog e ler porque já percebi que você tem talento!
Parabéns!

Vai fazer Letras? Deveria ser escritor.

Abraços!

Passe no Things ;D

A!!ªN disse...

kkkkk muito bom, e a foto então? Acho que o melhor jeito de conquistar garotas assim como qualquer pessoa (chefe por exemplo) e ser quem tu és e espontaneo. abraço

Gêsa disse...

Com certeza ser espontâneo ajuda muito na hora da paquera. As pessoas esquecem de agir normalmente.

Felipe disse...

Eu não tenho talento algum pra paquerar. Não nasci com o talento necessário. Mas sei que um dia eu aprendo, ou não kkkkkk
Quanto ao estudo se concentre. E tente pensar no vestibular porque lá cái tudo o que se aprende na escola.
Boa sorte.
abraço!

Vanessa disse...

Sério que teve umas "aulinhas"? hehe
Cantada interessante é aquela leve e sem exageros. Gostei do seu post!

Tatah disse...

Adorei o post, e como garota, devo confessar que só caio nas cantadas inteligentes mesmo! Aliás, eu e a torcida do Flamengo, né?
Beijos!

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Amei o seu post, rapaz. Tá com pinta de vencedor, sabia?

Hum, quer dizer que há aulas de paquera? Dessa eu não sabia mesmo. E fiquei com medo agora: quando eu estiver gostando do papo de um garoto, posso apenas estar caindo numa cantada mais sutil...

Dani disse...

Muito legal o texto. Concordo com a idéia que quis passar. Você Escreve muito bem! Parabéns pelo blog.
Até mais :)

l a l a h disse...

Esse negocio de paquera padrão nunca funcionou comigo, quando quero ficar com alguem é pela inteligencia ou algo impressionante que vejo nessa pessoa.
Mas seu texto ficou muito bom, continue escrevendo

=*

Mel disse...

É, paquerologia é coisa séria! Adorei o texto, Ti! Adorei mesmo, e é verdade menina que tenta já é tachada de saidinha e o menino é sempre o gostosão, injusto isso, né? Eu particularmente nunca teria coragem de chegar em ninguém, mas as corajosa deveriam ser respeitadas como tal! Adorei o texto, beijos!

Carla Rosenvelt disse...

Li os textos vencedores e, sinceramente, o teu está bem melhor escrito. Parabéns, viu?
Comecei a participar também. Meu texto dessa semana é o anterior ao postado.
Beijo solitário.