domingo, 9 de maio de 2010

Salada mista?

 Imagem daqui.



No fim do ano passado, eu conversava com alguns amigos sobre um certo grupo da minha escola que brincava o famoso jogo de "verdade-ou-consequência" de um modo bem diferente: cada membro do círculo continha sete pulseiras de silicone em cores sortidas nos braços. A ponta vermelha da garrafa dava o direito de um dos integrantes do grupo de arrebentar uma das pulseiras de qualquer outro integrante. Para mim, a brincadeira parava ali, pois eu não tinha a menor noção do que era aquilo. Pesquisei na internet por coisas parecidas, e nada. O significado daquele gesto eu só viria saber muito tempo depois, com uma notícia na TV sobre uma garota que havia sido estuprada por dois adolescentes por causa da "brincadeira" que eu tanto queria saber qual era: as pulseirinhas do sexo. Uma evolução da antiga salada mista, talvez? Tenha certeza que não. Fiquei extremamente revoltado quando vi que simples adornos para o pulso tinham intenções tão grosseiras e pretensiosas. Confesso que quando era menor, usei várias delas por um bom tempo e só as larguei porque minha massa corporal as fez arrebentar por si sós. Mas não seria por causa deste significado que surgiu só agora que eu deixaria de portá-las. Acredito que só cai na "brincadeira" de transar quem quer. Portar as pulseirinhas do sexo não é um convite para o ato em si: é necessária, no mínimo, uma intimidade entre os participantes deste jogo nada modesto. Não é possível que ninguém consiga impedir a ação de um indivíduo que arrebenta as ditas pulseiras se não estiver afim de jogar o jogo. É um ato desrespeitoso e constrangedor, que deixa traumas incorrigíveis e que serão levados para o resto da vida. Já houve o tempo em que beijar na boca era considerado sexo explícito. Atualmente, o sexo explícito pode também ser resumido em apenas pulseirinhas coloridas e frágeis que tem um valor bastante significativo. O uso delas, eu não condeno. Eu não aprovo o que foi acrescentado à elas. A solução mais óbvia que temos para este problema é começar a ter um pouquinho mais de bom-senso e uma real cobrança sobre os princípios de cada um. Não adiantará de nada proibir as crianças/pré-adolescentes/adolescentes de usar as pulseiras, pois o circo já foi armado há muito tempo. Aquela velha história de ingenuidade jovial ficou mesmo para trás.Não há culpados nesta novela das pulseirinhas do sexo. O mundo por si só não atua mais como mero coadjuvante em nenhuma destas peças da vida. Nada é por acaso. Que tais joguinhos continuem, porém que haja a responsabilidade de quem for jogá-los. Afinal, quem está na chuva, tem que se molhar.






Pauta para o 2º Tribunal How Deal - Pulseirinhas do sexo: chegou ao extremo?


***

Oi, gente!

Eu disse que ia voltar mais cedo, né? Hehe ;D
Esse meu texto foi o primeiro pro How Deal. Amei a proposta dele! Bem organizadinho, temas bons... Resolvi participar, e não tô me arrependendo! Recomendo também!
Ah, eu conheci um cara. Rafael, o nome dele. Ele é incrível. E arrastou uma asa imensa pra cima de mim. Mas o meu amor pelo Willian não me deixou ir além com o Rafa, que é um amor de pessoa. Eu não consigo acreditar que eu não esqueci o Will. Também, com tanta perfeição, como é que eu vou esquecer alguém tão marcante na minha vida? Oi? Ele é meu melhor amigo, vou conviver com essa perfeição pro resto da vida! Ou pelo menos, penso eu. Só sei que tô todo confuso e não sei pra onde seguir. Me ajudem! Não posso deixar de viver minha vida por causa de alguém que não me quer nem nunca vai querer! Concordam?
É , eu acho que eu tava precisando desabafar com vocês. Nunca gostei tanto de falar aqui nesse blog. E tamo seguindo! Brigadão pelo apoio e atenção de vocês. Amo todos vocês, muito!

Amanhã começa tudo de novo. #todocagado. Odeio as segundas-feiras. São um fardo na minha vida. Ninguém merece!

E ao som de We Are Golden, do Mika, eu tô partindo pra uma semana cheia! Mais novidades por aí!


Pra vocês que me amam,


10 pseudocomentaram:

Vanessa disse...

Ahhhh, esse negócio de pulseirinha do sexo me dá nos nervos! Muito ridículo! Ainda bem que minha adolescência foi em outros tempos hehehehe Mas acho que proibir não vai adiantar nada. Pais e professores precisam dialogar com os adolescentes, discutir esse tema.
E sem querer me meter na sua vida, mas já me intrometendo: é complicado demais deixar de viver sua vida por quem não te deu esperanças...Pense bastante...

♥Fabi♥ disse...

hey, sobre seu desabafo , vai com calma hein querido rs cuide de seu coração *;*

e sobre as pulseiras nossa isso é assustador, a que ponto nós chegamos ?

Boa semana!
Bjus

Erica Ferro disse...

"O uso delas, eu não condeno. Eu não aprovo o que foi acrescentado à elas."

Posso dizer o mesmo.
Ridículo isso, de colocar significados tão 'nada a ver' em pulseiras coloridas. Eu, hein...
O mundo está perdido, hehe...

E olha, eu sei que você irá me bater e me odiar por uma coisa que irei dizer agora:
Não existe ninguém perfeito. Certamente você não achou os defeitos do Will...
Ele pode ser realmente uma pessoa fantástica - disso eu não discordo. Mas... UM defeitinho ele tem que ter, uai! =P

Beijo, coração.

A!!ªN disse...

esse negócio de pulseirinha é realmente preocupante, mais eu concordo com o que você disse, porém acho melhor nem usa-las pois vai que alguém acha que você tá a toa aí pra qualquer um arrebentar uma pulserinha?

Taw disse...

Hum... só conversei com meu primo adolescente mais próximo e pronto, ele nunca mais usou... ninguém precisou proibí-lo. hehehe

só diálogo pode resolver [pontualmente] a perversidade do mundo...

@_jotaerre disse...

Garoto, eu já disse que você tem futuro?
Precisamos trocar e-mails, msn, orkut, sei lá!
Você é muito interessante, e tem um senso crítico IMENSO!
Daria um bom jornalista, viu?



Seu leitor assíduo e já me tornando Fã,

Beijos, jotaerre.

Ceres        disse...

Segunda vez que eu passo por aqui, e vou ter que repetir que você escreve super bem, de verdade!
Enquanto as pulseirinhas do sexo, concordo plenamente com tudo o que você disse. Não vai adiantar a abolição das coitadinhas, afinal de contas, se não fossem pulseiras, seriam anéis no sexo, prendedores de cabelo do sexo, cintos do sexo! Não é o adorno que faz com que as pessoas de vulgarizem dessa maneira. Simplesmente é a sociedade que não reprime mais esse tipo de coisa. Não podemos dizer se isso é bom ou ruim, a liberdade sexual de cada um. Mas eu acho um absurdo essa menina ter sido estuprada e ainda ficar como vítima. Como dois garotos abusam dela SÓ por causa das pulseiras? Não, pode ter certeza que ela deu motivos. só entra na brincadeira quem quer, não é verdade? Então nem ligo.
Enfim, recomendo desabafos, são sempre bons, não é? Aliás, meu blog nad amais é do que 192 postagens-desabafo! hauahaua Boa sorte com tudo aí.
beijinhos

Juliete Souza disse...

Bah, o que mais tenho assistido na TV é sobre essas "pulseiras". Acho ridículo isso! Em outros tempos isso nunca iria acontecer... bem, em outros tempos mesmo. Mas as coisas mudam e estão cada vez piores. Mas penso que cada um sabe o que faz, e cada um participa desse "jogo" se quiser.

bju =D

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Essas pulseirinhas deram mesmo o que falar. Fiquei também muito surpresa quando estourtou na mídia o significado que elas traziam pra algumas pessoas. Confesso que nunca as tinha usado nem pretendido, mas será que todo mundo que as carrega no pulso pretende transar com alguém? E se não pretender, será que alguém que queira, não vai se sentir no direito de "aproveitar a deixa"? É mesmo um assunto polêmico...

:]

Tem selo pra você lá no blog.

Gêsa disse...

Acho patética essa história de pulseira do sexo. Que necessidade de afirmação é essa? Como se sexo fosse algo pra se exibir, "Ah, eu faço isso você não faz".
É ridículo!

................

Oi Tiêgo tudo bom? Tempão que eu não vinha por aqui! Até mais.