sexta-feira, 30 de julho de 2010

Confessarei à você que...

... fui estúpido. Não, não deveria ter agido como tal. Meu maior erro foi confiar demais em mim mesmo e esquecer de você. As minhas dúvidas, os meus reflexos, os meus insólitos pensamentos já não tem mais sentido se eu tento imaginar algo que não seja relacionado à você. Não entendo como pude fazer isto. Você, que sempre foi a pessoa que mais me apoiou na vida, não merecia o que eu lhe havia feito. Foi ultrajante! Trair sua confiança acreditando que eu estava fazendo um bem maior à mim próprio foi egoísmo. Entender isso é quase um martírio para mim. Já pensei em fazer coisas que eu jamais tinhapensado em fazer por alguém, mas que eu faria sem pestanejar por você. Meu final feliz já não está mais cogitado em fazer parte dos meus planos. Não serei feliz sem você. Diga-me como me redimir da culpa! Diga-me como fazer para você confiar em mim outra vez! Eu sei que trair é imperdoável, mas quando não se age dentro de si, é preciso rever seus conceitos. Eu não estava em mim. Você sabe que eu fui nitidamente induzido à praticar atos que não condizem com minha conduta por estar ingerindo o que jamais tinha me tocado os lábios. Errar dói, dói muito. Arrepender-se dói muito mais, você não imagina o quanto. Jamais deveria ter feito o que fiz com você, pois nada no mundo substituirá o amor inigualável vivido por nós dois. As cartas trocadas, os beijos intensos, os sonhos compartilhados e as experiências inesquecíveis. Nunca esquecerei do quando você foi importante para mim. E pretendo, mais do que nunca, reconquistar seu amor. Minha vida não faz sentido sem você. Eu te quero de volta. E estou arrependido. Confesso que sou um estúpido e que só irei me perdoar no dia em que tiver a mais plena certeza de que você me aceitou de volta. Porque nada nesse mundo me reconforta mais do que estar perto de você. Absolutamente nada, Jean Paul.

Eu te amo.

Nicolas."

Pauta para o Blorkutando - 96ª Semana : "Meu maior erro foi..."

[Pra quem boiou na carta do Nicolas, eu explico: é um casal gay que foi abalado por uma traição. O Nicolas foi drogado e traiu o JP. E errou,  mesmo que involuntariamente. O parceiro não quer mais voltar com ele e ele implora pelo amor de volta. Afinal, foi o único amor que ele teve em toda a sua difícil vida.

Tá, não falo mais nada! Interpretem o resto, sei que não vou ganhar no BK mesmo, mas foi a única ideia que tive dez minutos antes da meia-noite.

 Pra vocês que me amam,



@tiegoalencar.]

8 pseudocomentaram:

Erica Ferro disse...

Cacilda, bonita carta. Gostei, gostei...
Há momentos em que saímos de nós e traímos nossos conceitos e as pessoas que tanto amamos e, claro, que também nos amam.
Há de se perdoar quando se sente que o que o outro diz é sincero, que o arrependimento é real.

Beijo, querido.

Buba. disse...

Perdoar uma traição é complicado. Mas, para quem traiu, perdoar a si mesmo é mais difícil ainda.

Manuela Cara De Panela disse...

Ah eu perdoaria uma traição, não sei mas acho que o que deve contar é o amor, não um momento de fraqueza. Somos todos tão imperfeitos e cheios de momentos de dúvida..
Enfim.
Gostei daqui, e amei o teu nome é totalmente único. Voc~e é o único Tiêgo que conheço.
Tiêgo. è, gosto de como soa.
Beijos.

Italo Stauffenberg disse...

HEUEHUEHUEHUEHUEHUE'

Sempre se superando não é?

Excelente carta!

Um abraço.

Juliete Souza disse...

Bah, linda a carta. Adoreii mesmo. Também acho que se fosse eu a pessoa traída, perdoaria com certeza, porque um amor desses não é todo dia que acontece. É tudo muito intenso e sincero.

=D bju

Taw disse...

Hum... no que há arrependimento, acredito que é bom que haja perdão... mas isso não quer dizer que deva haver uma volta...

o cara tem que ficar esperto... a fila anda...

rsrs


xD

:P

@_jotaerre disse...

Sem palavras!
Amo seus textos, você é simplesmente demais.


Beijos! :)

Anônimo disse...

http://achatcialisgenerique.lo.gs/ cialis commander
http://commandercialisfer.lo.gs/ cialis commander
http://prezzocialisgenericoit.net/ cialis
http://preciocialisgenericoespana.net/ cialis