sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Um pacote e suas desvantagens.

O amor vem numa caixinha, cheia de surpresas.


Admiro muito uma pessoa que ama sem medo do que possa acontecer com este amor no decorrer de um relacionamento. Já foi comprovado que mais de 80% das pessoas tem algum tipo de receio na hora de se entregar completamente à uma paixão, mesmo tendo total certeza de que se está louco para encará-la de vez. Agora eu me pergunto: esse receio por boa parte da população tem fundamento?

Arrisco-me a dizer que sim, há fundamento neste receio que pode parecer absurdo à primeira vista. Suponhamos que eu namore alguém temperamental, que odeie o purê de batatas que eu tanto gosto e que curta forró tanto quanto eu curto pop. Será extremamente difícil o convivío com uma pessoa tão controversa a mim como ela, mas não fui eu quem quis se apaixonar por esta pessoa. A vida inclui certos pacotes quando nos é concebida e um destes pacotes é o amor. E dentro deste pacote do amor estão inseridos certos obstáculos, que convenhamos chamar de "extras adicionais". E nestes "extras adicionais" é que estão diversos fatores que nos fazem repensar várias vezes se o amor vale mesmo a pena, nos fazendo sofrer de forma desleal. Posso citar como exemplo destes "extras" as estranhas mudanças quase inevitáveis no comportamento do companheiro, depois de algum tempo juntos. Nada dura para sempre e com o amor não é nem um pouco diferente.

É bom, muito bom, fazer um esforço (quando se sabe que a relação tem um futuro certo, of course) para pôr tudo nos eixos novamente. Mas 'esforço' é diferente de 'influência externa'. Eu por exemplo jamais mudaria por alguém para salvar um relacionamento, porque a pessoa ficou comigo exatamente como sou, sem mais nem menos. E não seria a beira do precipício que me faria mudar por ela. Acredito que a personalidade é uma das poucas coisas existentes que são originais e que nos acompanham pelo resto da vida. E não adianta destruir uma personalidade formada, e que você supostamente já não consegue mais ficar sem, por causa de algumas desavenças na relação. Há outro modo de resolver a situação: conversando. Um longo e saudável diálogo conserta qualquer imprevisto que possa ter ocorrido num namoro. Sem contar que nem é preciso apelar para meios tão radicais como mudar pelo outro!

Obstáculos fazem parte de toda a vida. Não há como escapar deles. Buscar o equilíbrio no amor também tem os seus, mas não é impossível de acontecer. Tudo depende da maneira com a qual se lida com os imprevistos que surgiram no meio do caminho para conturbar a relação. Mas aqui deixo a dica: não tente se forçar a pulá-los. É muito melhor superar obstáculos e se ver livre deles do que acumulá-los e depois ver que eles destruiram um romance que poderia ter um "felizes para sempre" no final!


Pauta para o Blorkutando - 103ª Semana: Amor na Balança.
 

***
E essa foi minha pauta pro Blorkutando. Espero que gostem, eu adorei abordar esse tema! Aliás, falar de amor é sempre tão legal! Poderia passar horas falando que eu nem me importaria! Mas enfim, como sei que é chato e maçante ler um texto grande demais por causa do brilho do monitor, aprendi a frear na hora certa, digamos assim. Talvez eu poste domingo, senti falta de atualizar mais aqui, tive certos imprevistos esses malditos de novo com o colégio e com o curso de francês que não deixaram o menor tempo pra racionar em algo bom pra postar. Mas taí, curtam e comentem bastante! E não esqueçam do TDB ali no cantinho superior esquerdo da página do blog! Até a próxima, divos!

3 pseudocomentaram:

Allan disse...

Acho que para mantermos o relacionamento de amor com alguém temos que renunciar algumas coisas, desde que isso não afete de maneira conturbadora e desnecessária nossa vida. Agora não acho que tenhamos que SOFRER por amor, sou totalmente contra esse tipo de pensamento, o amor veio pra somar e jamais subtrair, se alguém me diz que sofre por amor logo eu respondo: - Isso pode ser qualquer coisa menos amor.

Complexo esse assunto não?!
Abraço, ótimo texto, por sinal.

mms disse...

nunca me apaixonei, e nem tenho muita vontade, sei lá, tenho a ideia de que se eu namorar vou ficar "presa", eu não suporto a ideia de alguém que não seja os meus pais me dando ordem -qq

Jeniffer Yara disse...

Obstáculos no amor é o que mais têm,e são os mais difíceis de superar,mas acredito que quem ama,consegue superaá-los sim e como você citou no textom,através de diálogos,uma atitude não muito usada hoje em dia pelos casais,infelizmente.

Saudades de vir aqui *-*

Beijos.