domingo, 3 de outubro de 2010

Tudo de Blog do A Pseudociência - Nº 2


[MAIS UMA VEZ, DEIXO EXPLÍCITO: TODOS OS DIREITOS DESTE PROJETO ESTÃO RESERVADOS À REVISTA CAPRICHO.]

Acredito que agora não preciso mais de apresentações, mas aos novatos aqui no blog, cliquem aqui se quiserem ver a primeira edição oficial do Tudo de Blog aqui do A Pseudociência. Com um dia de atraso, me perdoem o transtorno, o Tudo de Blog chega até vocês com um tema polêmico, discutido por três blogueiros mais do que competentes, que desfiaram o tema em dissertações impecáveis.Eu vos apresento, orgulhosamente, a segunda edição do TDB!



Tudo de Blog                                  Edição: Tiêgo Alencar

Manhê, o que é sexo?

Indo para o lado da polêmica, nossos blogueiros pensaram e repensaram antes de expor suas teorias a respeito do sexo.


Nome: Natália Rosa
Idade: 18 anos
Blog: http://mundodenati.blogspot.com

Tabu

Quando você ouve a palavra sexo: no que pensa, em amor, prazer ou sente medo? Para fazer sexo (por prazer), transar (formal), fazer amor (apaixonados) ou ter relações sexuais têm que estar preparado, psicologicamente, emocionalmente, segura e consciente de que o arrependimento pós-sexo não irá trazer seu hímen de volta. Pois o sexo não é apenas prazer - para alguns -, há envolvimento e muitas vezes, principalmente as mulheres, confundem com amor, que vira platônico e sofrem muito por causa da má leitura da relação sexual. O ato é o mesmo só têm significados diferentes para cada um. Não posso dizer que é ruim, porque estaria mentindo, só que não dá pra sair transando com todo mundo sem nem saber da onde surgiram esses seres que querem prazer a todo momento ou então apenas quantidade para se gabar que comeram (desculpem a palavra) beltrana, ciclana e fulana. As meninas que acreditam na história do "felizes para sempre" desejam que a sua primeira vez seja mágica e perfeita, mas por causa da pressão das amigas que já fizeram sexo e para não serem as únicas do grupinho que ainda não transaram, acabam transando com qualquer um que aparecer na frente. Consequentemente, se apaixonam pelo primeiro homem, criam expectativas, sonham em ter uma vida com eles e tudo mais que a imaginação permitir. As coisas não deveriam funcionar dessa forma para a maioria das meninas. Primeiro tinham que conhecer o menino, ficar por um ou dois meses para se conhecer, começar a namorar e só assim transar, pois durante esse processo dará para saber se o sentimento é "reciproco" para se entregar. Porque, sinceramente, transar por transar não vale a pena mesmo, no começo ou no final alguém sempre sai machucado.



Nome: Felipe Goulart
Idade: 17 anos
Blog: http://oquantoquiserabril.blogspot.com

S-E-X-O


Um dos tabus mais sem pé e nem cabeça que existe por aí. Qual é o problema de se falar sobre sexo? Do que as pessoas têm vergonha? Qual é o constrangimento existente?
Há alguns anos falar de sexo, era sinônimo de “safadeza”, sinal de desrespeito. Pais e filhos não conversavam sobre este tema; aliás, a filha se casava muitas vezes ainda sem sequer ter beijado.
O não falar sobre sexo, a falta de esclarecimento tende a fazer com que o jovem ao experimentar, não saiba o mínimo de cuidado que se deve ter, tal como, o uso da famosa camisinha. E ai o que acontece depois disso?
Que tal: Filhos para o jovem e um neto para os países!
E a culpa é de quem? Dos pais que não esclareceram ou dos filhos que não tomaram providências cabíveis de proteção? Nesse jogo ninguém é culpado, é muito mais simples achar alguém em quem colocar a culpa sendo que daqui a 9 meses o ser que está se gerando dentro da barriga de sua filha chegará a este mundo completamente caótico; ambos são os responsáveis pelos rumos que a vida os conduziu, então só resta compreender, amar, ajudar e ser feliz sem fugir de todas as responsabilidades, já que será uma criança cuidando de outra.
Não podemos também radicalizar, pois, existem n vertentes desse problema que afeta a população mundial; viemos de uma sociedade preconceituosa.
Aproveitar a vida e seus prazeres não faz mal a ninguém, repito a ninguém! Agora responsabilidade é um dever de todos. Sexo deve ser sinônimo de amor e não de “baixaria”, carinho e respeito fazem parte desse ciclo.
Existe sexo por sexo e sexo por amor! Cabe a cada um escolher qual das opções.
Questionem, vivam, amem e sejam seres humanos melhores livres de preconceitos que a sociedade nos transmite diariamente, esbanjando alegria e sorrisos verdadeiros por esse mundão de Deus.



Nome: Júnior Batista
Idade: 18 anos
Blog: http://thingstogether.blogspot.com

"Amor é isso, sexo é aquilo... e coisa e tal", parecem até antônimos, mas não são.

O importante no sexo não é fazê-lo, é como fazê-lo. Amor e sexo estão e sempre estarão unidos, e informar principalmente filhos e jovens é necessário.

se.xo (definição do dicionário michaelis):
(cs) sm (lat sexu) 1 Zool Conjunto de caracteres, estruturais e funcionais, segundo os quais um ser vivo é classificado como macho ou fêmea. 2 Conjunto de pessoas que têm a mesma organização anátomo-fisiológica no que se refere à geração: Sexo masculino, sexo feminino. 3 Instinto genésico, atração sexual ou sua manifestação na vida e na conduta: Problemas do sexo. 4 Conjunto de qualidades físicas que despertam o apetite sexual. 5 Os órgãos sexuais. 6 Bot Caráter ou estrutura das plantas ou de seus órgãos de reprodução, que as diferencia em masculinas e femininas. S. anal: relação sexual que envolve a introdução do pênis no ânus do(a) parceiro(a). S. forte: os homens. S. fraco: o belo sexo, as mulheres. S. oral: relação sexual que envolve o uso da boca para estimular os genitais do(a) parceiro(a). Ter o sexo na cabeça: só pensar em assuntos sexuais.

O sexo sempre foi um assunto de tabu desde a época medieval, onde era tratado como “apenas para reprodução”, nos tempos modernos, como algo que somente quem se casasse poderia fazer. Hoje, com o avanço da tecnologia, a globalização e o avanço cada vez mais rápido do pensamento humano, o sexo se tornou um assunto normal, sendo tratado até por professores nas redes de ensino.
Quando descobri o que era o sexo de verdade, procurei tratá-lo como algo normal, que todos devem fazer quando se sentem preparados para fazer e não quando atingem uma idade específica ou quando encontram um verdadeiro amor. Primeiro porque verdadeiro amor agente não descobre, quando estamos com ele, sabemos que estamos com ele, não somos capazes de prever quando ele irá chegar ou quem ele vai ser. Segundo porque em uma sociedade cada vez mais informatizada, o sexo se tornou algo de fácil acesso, e descobrir o que é, e como se faz, se tornou simples.
As mulheres sempre procuram ter a sua primeira vez com alguém que elas realmente gostem, enquanto que para os homens para apenas um local e muita testosterona para fazer o tal ato dito banal, antigamente.
Para os gays não é diferente, a vontade fala mais alto e o momento certo muitas vezes é o motivo para fazer amor (sexo).
O pensamento contemporâneo rompe está rompendo com a ideia de que sexo é algo pecaminoso, como  a Igreja Católica dizia, somos muito mais conscientes e informatizados em relação ao que é sexo.
O que é necessário, é cada vez mais investir em prevenção, já que muitas jovens estão engravidando cedo por falta de informação referente ao risco que correm ao fazerem sexo sem camisinha, e não terem ido ao médico para se informarem quanto às DSTs. A gravidez na adolescência é muito arriscada porque os óvulos da adolescente podem não estar totalmente preparados, fora o risco que correm de desenvolverem uma doença psicológica pelo fato de não saberem administrar essa nova vida que terão. Muitos pais não conseguem conversar com seus filhos por não terem base suficiente para saber lidar com o assunto, os jovens não o fazem por vergonha. Isso precisa ser cortado na atual sociedade em que vivemos.
Sexo não é nada libidinoso ou mal, não é pecado nem nada disso, é algo natural do ser humano e que todo mundo faz, (seja heterossexual ou homossexual). Informar os jovens é fazê-los se tornarem críticos para saberem o momento certo e terem o discernimento de se protegerem para não pegarem doenças. O sexo não é mal, pelo contrário, é algo muito bom e gostoso de se fazer, sendo com carinho, respeito e principalmente amor.
Como diz a esplêndida Rita Lee, “Amor é para sempre, sexo também”. Um não existe sem o outro, e os dois se completam.


***

E por aqui finalizo mais uma edição do Tudo de Blog! Espero que tenham curtido! Logo mais eu volto pra postar a nova resposta que deverá ser dada pra pergunta proposta e tudo o mais a respeito da terceira edição do TDB do A Pseudociência! Comentem bastante sobre o tema, vamos bombar o TDB, divos!

Um beijo,

5 pseudocomentaram:

Teen Blog Felipe Goulart disse...

:))
Falar sobre sexo, realmente já foi mais difícil, hoje vemos que este tabu, vai sendo quebrado aos pouco, afinal em nossa sociedade convivemos com doenças sexuais , gravidez na adolescência , dentre outros fatos...Existe a obrigação de se falar de sexo, uma boa concientização é o que vale a uma vida saudável!

Abraços a todos! Valeu pelo TDB Tiêgo!!!
E aos demais blogueiros também!

Italo Stauffenberg disse...

falar de SEXO é super válido, principalmente, com os pais! Isso demonstra sinal de confiança!
Agora sigo a linha que SEXO só depois do casamento!

Ponto final.

Jota disse...

Sexualidade é um dos meus temas preferidos por conta dos inúmeros tabus existentes. Religião, sociedade, familia. Esses três pilares sustentam os segredos da relação sexual. O que mais tem peso sobre mim são os ensinos religosos, ou seja, SEX DEPOIS DO CASÓRIO.

Eu nem falo disso com os meus pais não, na verdade, aprendi sobre essas coisas sozinho mesmo.

Bom tema tHiêgo, perdão por não participar =/

Natália disse...

Adorei participar :D Beijo

Edy disse...

Falar de sexo é um assunto natural com os amigos. Com os pais é complicado, mas acho que é sempre bom tentar quebrar esse TABU.