quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Um encontro no metrô. (Parte1)


18:00h. Hora de sair do trabalho e ir para casa, com aquela velha porém adorável sensação de missão cumprida. Todos os dias, de segunda a sexta, era este o final das jornadas exaustivas da Global PC's Corporation Ltda., a empresa de informática para a qual eu prestava serviços. Eu trabalhava na área de análise de sistemas, talvez a área mais cansativa e exigente de todas as funções. Mas o saláriuo compensava todo o esforço do mês e era o que me motivava a pular às 05:30h da manhã para trabalhar. Ao chegar na plataforma do metrô no fim da tarde daquele dia, meus olhos estavam a um passo de saltar das órbitas. O cansaço extrapolava meus limites. Recordo-me apenas do movimento tranquilo - o que é anormal para uma sexta-feira - próximo a mim e de ter entrado num vagão dos fundos dele. Desmaiei logo em seguida, exausto. O cansaço havia me aplicado uma bela dose de anestesia e com apenas um sopro me fez desfalecer sobre um banco de metrô. Dormi a viagem toda e acordei com os berros do maquinista, dizendo que era a parada final e que todos deveriam saltar. Tonto, recolhi minha pasta caída no chão e saí rapidamente dali, sem me dar conta de que estava há anos-luz longe de casa.

Ao descer e ver a plataforma vazia, o desespero tomou conta de mim. Não passaria outro veículo que pudesse me apanhar e me levar para o aconchego do meu lar e senti as pernas bambearem com o peso do medo. Caminhei até as escadarias na outra extremidade da plataforma e qual não foi minha surpresa ao reparar que a minha pasta estava mais leve. Abri as abas e constatei que alguns papéis importantes haviam sumido e, dentre eles, o resumo do trabalho que me consumira o dia inteiro. Uma loja de informática bastante credenciada havia solicitado os serviços da Global por não encontrar profissionais capacitados em análise de sistemas como eu, e a ida à loja me reservou um belo trabalho. Um dia inteiro de trabalho perdido. "Aquilo poderia ter valido a minha promoção", pensei. Mas foram apenas três segundos para que eu me desse conta de que ainda estava numa plataforma vazia num lugar completamente desconhecido. Olhei ao redor e não via vestígios de vida humana. Subi as escadarias até a 'civilização', como costumava dizer, e me surpreendi com a noite já vibrante no céu; a luz do luar iluminando aquela avenida. O frio cortante de outubro lambeu-me o rosto e estiquei a manga da camisa. O último degrau havia sido deixado para trás quando dedos congelados tocaram meu rosto e me viraram para contemplar um rapaz alto, moreno e de olhos negros, trajando um casaco azul-marinho de lã, calça jeans e boné listrado com a aba para trás que me estendia um bloco de papéis com um sorriso encantador no rosto:

- Acho que alguém encontrou a salvação de um dia exaustivo de trabalho, Stevie Leans. - disse o rapaz, parecendo estar se divertindo com a situação.


***
UPDATE:
Ooooooooooi, gente bonita, cheirosa e bem aventurada! Como estão?
Pois é, resolvi escrever uma mini-história dividida em quatro capítulos, a começar por este curtinho e super sem detalhes. Aos poucos vocês verão como a história vai se desenrolar ^^
Ai, nem conto pra vocês que eu perdi um ponto na UEAP e fiquei com 29 :S Quase morri, né, /mentira. Achei bapho eu ter tirado tudo isso, passei pra segunda fase do mesmo jeito \o/
GANHEI PENCAS E PENCAS DE LIVROS DE ONTEM PRA HOJE *------------* O resto da série The House Of Night mais A Senhora do Jogo, de Sidney Sheldon ♥ Fora um do Augusto Cury, só que é de ouvir, vou deixar esse por último.
Erm... Meu irmão foi internado, tô megapreocupado aqui :X
Ai, o trabalho de geografia tá me matando, vou morrer pra apresentar ele no auditório pra mais QUATRO turmas. Parece mentira que eu vou terminar o ano com uma apresentação, só de gracinha do professor!
Minha vida tá uma coisa tão retardada esses dias que olha, não se admirem se não verem vestígios dos textos razoáveis que postava quando estava afiado.
Sono... Vou dormir e volto quando tiver algo BOM pra postar.

Do seu amante e amigo,

@tiegoalencar

3 pseudocomentaram:

Jeniffer Yara disse...

Hm belo conto Ti! Vai ter continuação?!

Beijo

Leila disse...

ARRRASOOOU na primeira parte :D quero ver essa continuação, hein? ;)

Natália Souza disse...

Uma série encantadora ! Não vejo a hora de ler as outras 3 partes ! Arrazou como sempre meu divo !

<3