terça-feira, 30 de novembro de 2010

A vitória de viver




Certa vez antes de dormir, perguntei-me o mesmo que muitas pessoas neste mundo em algum momento já se perguntaram ou que um dia com certeza irão se perguntar: porque eu existo? Lembro perfeitamente que procurei a resposta em livros, cadernos, revistas e nada. Foram dias de busca por uma explicação que eu sabia que não iria encontrar. E de fato não encontrei. Aquela foi a última vez em que me questionei seriamente sobre minha existência. Depois da procura sem sucesso pelas respostas, esqueci completamente o assunto.

Semana passada, eis que uma amiga (que é acadêmica de psicologia) resolve me perguntar, no decorrer de uma conversa, se eu acreditava que merecia estar neste planeta, naquele instante, dialogando com ela. De cara, respondi que sim. Até brinquei dizendo que antes dos meus pais me planejarem eu já sabia que ia nascer. Minha amiga riu e prosseguimos a conversa. Mas aí, a semente da neurose já havia sido plantada: porque diabos eu, Tiêgo, vestibulando, adolescente com seus complexos e blogueiro estava ali, pensando, raciocinando? A velha história do “porque eu existo?” havia voltado a martelar em minha cabeça.

Só que desta vez eu não parei para procurar em livros, revistas, cadernos ou internet a solução para esta dúvida. Não precisei pensar demais para achar a resposta que eu procurava. Apenas segui a linha no sentido contrário às fraquezas, derrotas, alegrias e frustrações que me atingiram ao longo dos meus dezesseis anos de vida. Antes de acontecer qualquer uma destas emoções, e antes mesmo de acontecer qualquer coisa em nossas vidas, nós havíamos traçado um caminho, que muitos sequer se lembram quando passam por crises existenciais ou dificuldades em alguma área de suas vidas.

Fomos todos delegados a uma missão: alcançar o fim do túnel. Foram milhões de participantes de uma corrida que ninguém sabia ao certo a duração, nem os quilômetros de percurso, muito menos como deveriam se preparar. A partir do momento em que a largada fora dada, os Matheus, as Luísas, as Cláudias e os Marcelos correram como nunca.  A disputa foi bastante acirrada. Eram muitos os concorrentes e as chances de dois ou mais atravessarem juntos a linha de chegada era remota.

E eu, motivado pelo desejo árduo de possuir aquele prêmio tão cobiçado, corri; mais ainda do que todos os outros concorrentes. Mal pude conter minha felicidade ao ver a luz que iluminava a chegada. Mas só acreditei mesmo quando atravessei a linha  que determinava quem era o vencedor da corrida.

Eu era o vencedor.

Hoje, dezesseis anos e nove meses após esta corrida, não tenho mais dúvidas a respeito de minha existência: conquistei-a com um esforço sobre-humano. E mais, ainda acabei descobrindo, com tantos erros e acertos ao longo desta trajetória, que todos os dias eu sou um vencedor. Venço a cada dia que passa, por praticar o ato de viver! Não há vitória maior do que esta!



Pauta para o Blorkutando - 114ª Semana : Minha maior vitória.


 *** 

UPDATE: Estou vivo, crianças. NOSSA, minha vida virou de pernas pro ar de terça pra cá. Entrei num cursinho e me ocupo O DIA TODO. Nossa, mal consigo respirar nesse vai e vem. Até emagreci um quilo - de semana passada pra cá, ok? hahahaha - nessa brincadeira. Caí na real e resolvi começar a estudar de verdade pra ver se arraso na hora da prova! Domingo que vem, 12/12, é a segunda fase da UEAP. TÔMITREMENDO. Mentira minha, que eu tô me tremendo mas é de cansaço. Mas garanto a todos que não é nada de muito grave a ponto de eu me afastar daqui. Sempre que tiver tempo, postarei! Afinal, será só uma semana. Daqui a pouco, a tempestade passa. Não tenho muito pra contar, espero que tenham gostado do texto acima e do meu conto gay que fiz com todo o carinho do mundo. Que tá aqui abaixo, nem dói ler e garanto que vocês vão curtir. Preciso repousar um pouco porque olha, minha vida tá exaustiva demais pra eu estar abusando das altas horas no PC. Deixar esses dias pro finde, né?

Pra vocês que me amam,

5 pseudocomentaram:

Natália disse...

Tu existe para fazer muita gente feliz, inclusive eu. Divo <3 Beijo

Jeniffer Yara disse...

Ah é a velha história de que já somos vencedores antes mesmo de nascer,amei Ti *.*

Beijo

Leila Ice Girl disse...

muito bom o texto, essa éa vitória de todos nós! Beijo! lindo blog

Fuve disse...

Tiêgo, seu sumido.
Tem um desafio pra você no meu blog.

nostalgia_tedio disse...

se é assim... Somos todos vencedores!

boa noite.