domingo, 20 de março de 2011

TiTiTi 2010 : o melhor remake de todos os tempos



Ontem demos o adeus definitivo ao remake mais bem produzido e sensacional da TV brasileira. TiTiTi 2010 entrou pra a história da teledramaturgia nacional por diversos fatores. O primeiro deles – e o mais importante, devemos considerar – foi a missão arriscada incumbida à Maria Adelaide Amaral de dar uma roupagem atual e descontraída a uma novela que foi sucesso de audiência em seu período de exibição (5 de agosto de 1985 a 8 de março de 1986). E podemos dizer sim que a autora cumpriu com louvor a sua tarefa. Mesclando núcleos de Plumas & Paetês (que assim como TiTiTi 1985 foi escrita por Cassiano Gabus Mendes), Elas por Elas, Locomotivas e Meu Bem, Meu Mal, o remake acertou em cheio ao tratar de assuntos não tão abordados na sociedade brasileira em geral, como moda, com um toque de naturalidade e extravagância que foram capazes de seduzir o expectador sem muita dificuldade.



Além disso, a novela teve seus momentos de ápice com a rivalidade sem fim entre os personagens André Spina/Jacques Leclair e Ariclenes Martins/Victor Valentim, rixa esta que conquistou o coração de todos. Os trejeitos forçados de André/Jacques como arma para seduzir suas clientes consagraram o ator Alexandre Borges, aclamado pela versatilidade do personagem. Murilo Benício, que deu vida à Ariclenes Martins, também deixou excelentes impressões ao encarnar o estilista espanhol Victor Valentim.



O núcleo cômico de TiTiTi também não ficou por menos. Rodrigo Lopéz e o próprio Alexandre Borges foram destaques e sinônimos nítidos de risadas na maioria de suas aparições.



Triângulos amorosos foram elementos que instigaram os telespectadores, seja para torcer ou simplesmente para tentar adivinhar quem terminaria com quem. Luis Otávio Martins, Camila Bianchi e Valquíria Spina, interpretados respectivamente por Humberto Carrão, Maria Helena Chira e Juliana Paiva, começaram a trama de um modo e terminaram de outro completamente diferente. Mas quem roubou mesmo a cena foi a personagem Marcela de Andrade, interpretada por Ísis Valverde, que viveu boa parte da novela em uma dúvida sem fim entre ficar com o pai do seu filho, Renato Villa (interpretado por Guilherme Winter), e o homem que aprendeu a amar, Edgar Sampaio (interpretado por Caio Castro). E o desfecho desse triângulo, só ficamos sabendo mesmo no último capítulo!



O público se comoveu com a história de Cecília Sipna e sua perda de memória. Acolhida por Ariclenes, a personagem de Regina Braga emocionou em vários momentos, desde suas lembranças da família até a confecção dos vestidos de suas bonecas (que Ariclenes usava para transformar nos croquis que davam origem às “criações” de Victor Valentim).




Os vilões de TiTiTi não decepcionaram no quesito maldade. Tanto os vilões cômicos, como Help e Rony Pear (vividos por Betty Goffman e Otávio Reis) quanto os vilões “de verdade” como Luísa Salgado e Stéfany Oliveira, interpretadas por Guilhermina Guinle e Sophie Charlotte, deram um show de interpretação. Mesmo que todos tenham tido um ‘final feliz’, não podemos deixar de bater palmas para os personagens no decorrer da trama. Despertaram muita antipatia e raiva de quem via o folhetim – inclusive eu.



Um parêntesis deve ser aberto para a atuação de Clara Tiezzi, a Maria Beatriz Spina, filha caçula de André Spina na trama. Em sua estreia na TV, a atriz mirim mostrou-se um tanto talentosa e sua personagem, que esbanjava inteligência e riqueza em seu vocabulário e bom gosto ao falar de moda, exigiu uma atenção a mais. Clara se mostrou mais do que só um rostinho bonito – e ganhou o respeito e a consideração de quem via a novela. Aprovada!



A internet foi uma grande aliada na trama de Maria Adelaide Amaral. O site da revista Moda Brasil, os blogs de moda como o de Beatrice M. e os portais de fofoca como o da revista Drix Magazine deram um toque de modernidade e adicionaram ainda mais tititi à história!



E eu não poderia deixar de citar o núcleo gay da novela, claro. André Arteche, em seu segundo papel na TV e de maior destaque, deu vida ao homossexual bem resolvido Julinho Santana – o que de longe foi um desafio bem cumprido pelo ator. Na história, seu namorado Osmar Sampaio (interpretado por Gustavo Leão) acaba falecendo num trágico acidente de carro. A dor da perda acabou dando lugar a um amor que foi crescendo aos poucos pelo surfista bem confuso e nem tanto resolvido assim Thales Salmeirón, vivido por Armando Babaioff. O final feliz dos dois agradou muito a quem acompanhava a relação cheia de altos e baixos. Mas além deles, Adriano Novais (personagem de Rafael Zulu), Vicky (interpretado por Marcos Tumura) e as belas namoradas Lourdes e Paula, vividas respectivamente por Maria Carol e Viviane Netto completam o time LGBT da novela, que diga-se de passagem foi muito bem elaborado.



As já aclamadas e admiradas Cláudia Raia, Cristiane Torloni, Nicette Bruno, Mila Moreira e Mônica Martelli simplesmente foram impecáveis com suas respectivas personagens Jaqueline Maldonado, Rebeca Bianchi, Júlia Spina, Stella Sanches e Dorinha Bacelar. Se meu respeito pelas musas já era grande, multipliquem por dois. Quem não quis dançar o Ilariê com a Jaqueline ou o amor incondicional de dona Júlia?



E pra finalizar, a trilha sonora maravilhosa de TiTiTi! Na nacional, dividida em dois álbuns, podemos contar com nomes de peso como Caetano Veloso (em Nature Boy), Titãs (em Go Back), Ney Matogrosso (em Seu Tipo) e Maria Gadú (em Rapte-me Camaleoa); sem contar os diversos outros artistas que contribuíram grandiosamente com os hits que embalaram a novela. E na internacional, cantores em alta como Ke$ha (em Blah Blah Blah), Wanessa (em Fallin’ For You), John Mayer (em Heartbreak Warfare) e Lu Alone (com Not The Right Day) fizeram por merecer estar ali. Impossível não ouvir as canções e não se recordar da novela. Baixei todos os cd’s das trihas!




Seria impossível falar de todos que fizeram esta novela, que foi mais do que só um sucesso. Chegando a superar as novelas das nove horas Passione e Insensato Coração, TiTiTi cumpriu sua missão e deixa o horário das sete horas da Rede Globo sem um motivo para reclamarmos. Á todos que ajudaram direta e indiretamente, o meu agradecimento por terem feito uma trama tão fantástica e envolvente. E mesmo quem eu não citei do elenco ficou gravado na minha memória, no meu coração. TiTiTi se vai, mas as lembranças de uma das novelas mais geniais que já assisti ficam. Neste momento, inesquecível é uma palavra que define tudo o que eu quis dizer. E que venham muitos outros tititis que nos viciem tanto quanto a trama de Maria Adelaide Amaral viciou.


***
TEM RECADINHO PRA VOCÊS AQUI ACIMA DA PÁGINA DE POSTAGEM!

7 pseudocomentaram:

Amanda disse...

Acompanhei sua empolgação com novela via Twitter e devo admitir que, das novelas das 7 - que são basicamente conhecidas por mim por serem COMPLETAMENTE sem-graça -, ela realmente foi um diferencial! Não assisti toda - não consigo assistir à nenhuma novela inteira - mas os episódios que assisti me passaram a ideia de ser MUITO boa! :)


Beijinhos!

Ill Circus disse...

Ah, assisti tão pouco dessa novela, não me prendeu muito, mas as poucas cenas que vi foram engraçadas e realmente gostosas de serem assistidas :)

Irene disse...

Oi, menino!
Tb tou muito triste com o fim de Ti ti ti. A melhor novela dos últimos anos!
Adorava ler seus tweets sobre a novela! :)
Beijos!

Jhenni Costa disse...

Acompanhei a novela e só posso dizer que ela vai deixar saudades.

Parabéns pelas indicações, vou votar em você porque você merece, divo!

Italo Stauffenberg disse...

não conheci pessoa que fosse mais amante de tititi como este ser chamado tiêgo! infelizmente não pude ver o final, mas que coisa ralada foi ver a menina ficar com o edgar! nada a ver na minha opnão!

UEHUEHEUHEUEHUE'

ABRAÇOS

Joana disse...

O meu santo não cruza com o santo das novelas em geral, mas confesso que assisti alguns capítulos dessa no início e achei um pouco de graça sim.

Ana Lu disse...

Ei Tiêgo! Nossa, eu também curti bastante essa novela! Foi mesmo um trabalho que deu super certo, eu, como aspirante a atriz, morria de vontade de estar no elenco, hahaha.
Foi uma delicinha mesmo!
Beijos!!