segunda-feira, 11 de abril de 2011

Minha primeira viagem, parte três

Oi, gente!

E hoje estou um pouco menos cansado. BUT descobri tanta coisa sobre Belém hoje que nem sei se conseguirei contar tudo. Meu celular, pra variar, começou a ficar com chatice pra tirar fotos e eu fiquei putíssimo da vida com isso, nem perdi meu tempo com ele. Portanto, hoje teremos menos imagens e mais textos, ok lindos? Bora se jogar comigo no meu diário do penúltimo dia em Belém!

Acordei um pouquinho mais tarde do que os dias anteriores, às oito e meia da manhã. E gente, o que é a segunda-feira belenense? BUZINA E BUZINA E BUZINA E CARROS E ÔNIBUS E TRÂNSITO E ZÁS. Vocês não fazem ideia do que é ser despertado por aquele barulho de motor acelerando e de gente gritando "chip da Vivo cinco reais". Precisei de uma segunda-feira pra perceber que Belém NÃO É aquela coisa toda que eu pensei que fosse. Mas se acalmem que eu não vou gritar desesperadamente pra meio mundo que Belém é uma porcaria ou coisa do tipo. Longe disso, acabei caindo na real e vendo que aqui tem mais problemas do que se possa ter alguma noção. De novo vou tocar no assunto do trânsito. Caramba, KD PACIÊNCIA HEIN SEUS CONDUTORES IRRESPONSÁVEIS? Taquipariu, juro pra vocês que quis dar uns socos num motorista do ônibus ANANINDEUA-PA/PTE.VARGAS (ALO VOSSEIS DA PREFEITURA DE BELÉM DEEM UMA RASTREADA NESSE CARA) - acho que é esse o nome do ônibus - que além de parar em cima da faixa de pedestres, ainda gritou uns palavrões pra um passageiro que pediu pra entrar e arrancou sem o coitado nem ter subido direito. Fiquei chocado! Em Macapá, eu já estava acostumado com a pacificidade das ruas e avenidas... Acho que esse contraste todo me deixou meio assim. MAS CONTINUANDO, a manhã pelas ruas me foi bem proveitosa. As calçadas da Presidente Vargas são lotadas por ambulantes que vendem de frutas a chips pra celular como já havia dito lá no começo. Um detalhe: no final de semana, não vi nada de movimento ali. Pouquíssima coisa. Mas eu aconselho dar uma entrada num beco próximo à uma loja chamada Big Ben (uma das lojas da rede, porque vi VÁÁÁÁÁRIAS dessas na cidade desde que cheguei). A ruela dá acesso a uma IMENSIDÃO de lojinhas e mais lojinhas, barracas e mais barracas de tudo o que se pode imaginar. DVD's piratas brincam de pira (gíria nortista pra 'andam de lá pra cá') naquele camelódromo, nossa. Mas não há só barracas, tendas e lojinhas. Existem muitas lojas grandes também, fiz muitas compras em várias delas. Aproveitei bem as promoções porque sou prático e gosto de economizar e me chamem de pão duro depois disso mas eu amo comprar MODERADAMENTE, risos. ANYWAY, lavei a burra e comprei mooooontes de coisas lá: camisas, calças, bermudas, um moleton sensacional que pechinchei pra tia lá da lojinha me dar um desconto básico... Ai, foi ótimo. Super recomendo!

Como que num passe de mágica, a hora voou. Quando minha tia e eu nos demos conta, já eram quase duas e meia da tarde e ainda nem tínhamos almoçado. Deixamos as coisas no hotel e descemos pra almoçar num restaurante self-service aqui próximo. Ia tirar uma foto do meu prato que tava LINDO, fiz uma caretinha e tudo pra vocês - mas a câmera do meu celular me fez o favor de estragar meus planos. Almocei lindamente e sem esperar nem mais um segundo, minha tia me levou até o hospital Ophir (ou Ofir, como tava nas plaquinhas de identificação das salas) Loyola, porque ela precisava do resultado dos exames dela pra receber os remédios na Farmácia de lá (um parêntesis: minha tia é transplantada de rim. E diferente do que todo mundo pensa, a vida reinicia depois de um transplante. Dai essa rotina dela de vir sempre aqui se consultar e tudo, receber os remédios e tal) do hospital. Até que achei uma graça a estrutura do hospital, pelo menos o sofrimento todo que eu vi no Globo Repórter dia desses não me apareceu em nenhum momento, graças a Deus. No bairro de Nazaré, onde se encontra o Hospital Ophir Loyola, TUDO É RYQUEZZA. Tudo. Desde as lojas até os cinemas que passam filmes pornô que eu também não consegui fotografar (risos risos risos). A gente sente a atmosfera diferente naquele local, uma loucura. Mas continuando, depois de sair do hospital, fui conhecer a Catedral de Nossa Senhora de Nazaré, que diga-se de passagem foi a igreja mais linda que eu já vi na minha vida, deu até vontade de rezar como vocês podem ver nas fotos abaixo (sim, por obra divina a câmera pegou):














Dei uma rezadinha básica pra não dizer que eu me desvirtuei completamente (porque né, faziam SÉCULOS que eu não entrava numa igreja) e depois segui com minha tia para o Castanheira Shopping Center. E GENTE, que contrastíssimo: esse shopping fica NA PUTA QUE PARIU. Longe pra chuchu de onde eu tô hospedado! E pior, numa zona de TOTAL movimento, mais do que em todos os lugares aqui. Já senti o impacto do lugar quando desci do ônibus na frente de uma galeria imensa E XOXÍSSIMA bem na frente do shopping. DICA: não percam tempo nessa Galeria. Tem tanto espaço e NADA de útil, só fiz abestar indo lá. Depois de ter quebrado a cara, parti pro Castanheira Shopping. E gente, CUI-DA-DO, cuidado TRIPLO ao atravessar as ruas. Os carros são AINDA MAIS imprudentes e só param na faixa quando o povão todo passa junto, o que sempre acontece. Fiquei CHOCADO com a grande massa que veio do shopping e foi junto comigo pra lá. É muita gente! Deus é pai, quase caí bem perto de chegar no final da faixa, fiquei horrorizado só com a possibilidade de CAIR em Belém. Deem uma olhada e acompanhem o meu drama - foco na fubá toda que se concentra pra passar:





















E a minha impressão do Castanheira Shopping Center? ACHEI POVÃO. Sabe, a gente nota na mesma hora a diferença entre o Pátio Belém e o Boulevard Shopping pro Castanheira. O Boulevard pra mim foi o melhor dos três sem sombra de dúvidas. No Castanheira não tem UMA livraria, fiquei chocado! Em compensação tem lojas e mais lojas pra siacabar nas compras. Fora os magazines de departamento, que tem de um tudo e são IMEEEEEEEENSAS! E as salas de cinema lá pra cima também não deixam a desejar. Quis MUITO parar pra ver Vips, filme nacional com Wagner Moura (meu ator favorito s2s2 depois do Ashton Kutcher, claro). Mas como sempre eu não pude parar por que ainda tinha MUITO o que fazer. Não me demorei no Castanheira, dei uma parada na C&A pra comprar umas coisinhas pra mamãe e pra minha irmã e segui pra casa das amigas da minha tia, pra ela buscar o que faltava da bagagem dela. Foi ótimo conhecer gente daqui, ENFIM! Uma pena eu não ter demorado :/ Mesmo com os imprevistos, como a chuva que cai A TODO MOMENTO nessa cidade PARECE BRINKS COM A GENTE NÉ, deu pra conhecer mais de Belém pela boca de outras pessoas.

Cansadérrimo, pegamos o ônibus e demos mais uma volta na cidade antes de chegar ao hotel. Ah, e fica a dica: os ônibus, pelo menos os que eu andei, passam pela maioria dos pontos turísticos de Belém. Só com uma passagem a gente conhece MUUUUITO mesmo! Fora que pra mim ainda foi ótimo, o busão (FAVELEI NA GÍRIA) para bem perto daqui de onde estou hospedado. Larguei as compras na cama, tomei meu banho e desci pra jantar alguma coisa (em "alguma coisa" leia "X-Bacon com guaraná") antes que eu definhasse de fome. E a tia da lanchonete era super simpática, cheguei lá armando um escândalo porque tava perdendo a novela (viram que o maldito do Léo quis roubar a Carmem na cara de pau? MALDITOOOOOOOOOOO!) e a tia super entendeu, até comentou comigo que queria dar um soco nessa peste. hahahahaha. Meu jantar foi uma delícia, voltei com a titia pro quarto do hotel e agora tô terminando de escrever CORRENDO porque ainda vou arrumar minha mala e eu tenho MUITO o que ajeitar, amanhã eu me despeço de Belém e enfim direi todas as minhas impressões da cidade. Tô com muito sono, logo mais eu volto!

Do seu escritor-aspirante,


4 pseudocomentaram:

Juliete Souza disse...

Aii lindas as fotos. Adoro viajar. Isso é realmente incrível, conhecer pessoas, lugares...

bjus

Jeniffer Yara disse...

Ahh Castanheira é POVÃO mesmo Ti! HAUSHUAHSUAS E é,são muuuitos os problemas dessa cidade,parece São Paulo,mas de uma forma mais 'pequena' rs'

Amei as fotos!E suas impressões até agora são iguais ás minhas,haha

E ei,tem livraria sim no Castanheira,fica no térreo da Loja Visão ;) huashu'

Beijos

Jhenni Costa disse...

Também acho o Castanheira povão AHSUAHSUAHSA'

Lindas fotos *-*

:*

Natália Di Santis disse...

Ai, que viajem maravilhosa! Primeira viajem deve ser emocionante, espero fazer a minha em breve, divo!

Te desejos outra viagens, muitas outras! ;)
Beijos.