quarta-feira, 6 de julho de 2011

Das férias, as lembranças

E não é que de tanto a gente chorar elas resolveram chegar depressa? As férias chegaram e cá estamos fazendo mil e um planos pra esses trinta e um dias de ócio antes da fatídica volta ao pegar no batente (entenda por isso trabalhar E estudar, como será meu caso). Quisera eu estar lindo e de bobeira que nem vocês só curtindo os dias fazendo nada… Sim, eu trabalho nas férias também. E queria muito que meu salário recompensasse isso MAS ENFIM. Eu queria poder ter os trinta dias de férias pra fazer o que eu quisesse. Desde nada até nada. Era tão bom o tempo em que eu me jogava na cama e ficava lá, sem fazer nada, só planejando uma próxima história pra um futuro livro ou então imaginando o que eu faria de diferente no dia seguinte. Aliás, uma máquina do tempo ia bem agora. Jogaria todas aquelas partidas de jogo imobiliário com a galera da rua da minha casa, sem se preocupar com a hora. As férias tinham um significado tão intenso pra mim que eu tenho quase certeza de que não existia outra época do ano que me fosse mais conveniente e atraente. Não ligava para as despedidas de final de semestre/ano, porque eu sabia que voltaria a revê-los logo mais – diferente do que seria perder um dia todo de férias trancado em casa chorando a falta dos colegas. Sinto uma falta danada de quando eu não sentia vergonha de ir à praia e me esbaldava naquela areia quente e naquelas águas refrescantes de verão. Putz, quando as tias chamavam os sobrinhos para ir até a cozinha ajudá-las no preparo de algum prato? Íamos pulando de alegria, sabendo que raspar a vasilha com o que sobrou da mistura que levaria ao bolo de chocolate seria nossa recompensa! É, já houve um período em que eu me contentava em raspar as vasilhas com a mistureba do bolo mágico de chocolate que minhas tias faziam… Caramba, eu olho pra trás e percebo que eu era tão feliz com tão poucas coisas! Bastava o decreto das férias para que eu simplesmente passasse a ficar feliz com tudo, seja lá com o videogame no fim de semana ou com os textos que eu escrevia em pedaços de papel jogados no chão. Não vou dizer que é triste constatar que essas coisas todas passaram e não voltam nunca mais porque isso é uma prova de que eu estou amadurecendo e aceitando minha condição de “quase-adulto” mais rápido do que eu imaginava, mas não vou ser hipócrita ao dizer que essas lembranças não mexem comigo. Elas despertam uma coisa boa dentro de mim, um sentimento de saudade, mas aquela saudade boa, sabe? Aquela falta que você sente de coisas boas, que te fizeram bem! Para essas férias, além das lembranças, tentarei fazer coisas diferentes. Para que daqui a alguns anos eu possa me lembrar do esforcinho que fiz tentando recuperar os momentos incríveis que passei nas férias de cinco, seis anos atrás.

E você, que acabou de ler esse texto  (ou que mal leu o título), fica a dica: aproveite de verdade suas férias. Não sei se você é como eu ou não, mas faça o possível para não ter do que reclamar depois. Lembrem-se de que o tempo passa mais rápido do que o normal quando menos queremos. E lá na frente, vai ser de um conforto ímpar saber que você soube driblar esse impecilho do tempo voando num dos períodos mais gostosos do ano: as férias!

6 pseudocomentaram:

Quim Buckland disse...

Parceiro muito obrigado, fico grato e espero vê-lo sempre por aqui, vou aparecer no Pseudo sempre que puder... Por que gostei é claro, abração!

Vanessa disse...

Sinto falta das férias escolares, quando eu ficava no ócio puro. Nas férias da faculdade eu acabo só pensando na volta às aulas hahaha

Edy Santos disse...

Nossa, depois que acabei o colegial a minha vontade era de poder voltar e parar no tempo, na faculdade também é legal, mas ainda não é como antes. Estou trabalhando para que essas férias sejam inesquecíveis, e já tem um motivo especial, pelos menos pra mim: 15 de julho, rsrsrs
E sim, devemos mesmo aproveitar ao máximo, porque quando menos esperamos já passou.
Ótimo post!
Abraços e curta bastante as suas férias!!!

Xixa disse...

É isso ai, aproveitar bem é o que nos resta, mesmo que seja das 18 as 22, pois as ferias sao apenas da faculdade, mas ja da para matar a saudade de uma jana quentinha da panela e do jornal nacional...sucesso nas ferias!

Jéssica Trabuco disse...

Meu último mês de férias e pode deixar que eu aproveito as noites livres, porque o trabalho continua.. rs
Gostei do seu texto, bateu uma saudade.

Jeniffer Yara disse...

Férias sempre significaram pra mim ir para a casa da avó,ou ficar em casa o dia todo sem fazer nada,vendo TV,fazendo 'arte' em casa,comendo besteiras e indo dormir e acordar tarde,haha *-*
Amo as férias,mas sempre sentia falta da galera do colégio,até que hoje,não têm mais as férias,e nem a galera do colégio pra rever na volta as aulas =/
Sinto falta desses tempos,e quero tentar aproveitar os momentos o melhor possível ;)

Beijos