sexta-feira, 22 de julho de 2011

Sobre a saudade que bate - e fica

"Mãe,

Ô, mãe! Você não faz ideia do quanto estou sentindo a sua falta! Espero que esteja tudo bem por aí! Conte-me tudo e não esconda nada! Enquanto aguardo ansioso pela resposta, conto-lhe um pouco sobre minha vida neste lugar tão diferente e distante de onde sempre vivi.

A França é linda, mãe! A todos os lugares que vou, não me canso de me surpreender. É uma região tão deliciosa e mágica de se viver que a cada vez que acordo é como se entrasse num sonho ao invés de sair dele. E você sabe mais do que ninguém o quanto eu imaginei estar aqui. Ainda por cima, trabalhando com as coisas que mais amo nessa vida! Meus livros estão sendo um sucesso de crítica e vendas e eu tenho viajado bastante divulgando-os, em vários lugares, de escola a teatros. Meus alunos tem tornado as aulas bem interessantes inserindo no contexto dos meus livros, questões de gramática e produção textual. Incrível, simplesmente incrível! Mas como nem tudo são rosas, não é, mãe, preciso confessar uma coisinha: sinto falta do tempero do Brasil! Em todos os sentidos, diga-se de passagem. Parece que aqui em Paris as pessoas são tão duras, tão frias… Já devia ter me habituado, eu sei, depois desses dois meses depois de terras canarinhas; porém, é mais difícil do que eu pensava. Adentrar aquele apartamento e ver que eu não vou encontrar seus carinhos de sempre, os resmungos do papai, as brigas bobas dos meuus irmãos… Sinto falta de tudo isso. Tudo. Nunca pensei que fosse tão complicado não lembrar de sentir falta. Fico bem ocupado de segunda a sexta, mas é só parar para descansar que me recordo de vocês todos. Ah, a senhora sabe que eu sou todo bobo quando fico longe por muito tempo de casa…

Enfim, minha rainha, saiba que estou bem e completamente realizado com tudo o que venho conquistado por aqui e por apostar, não esquecerei de nenhum de vocês um momento sequer. Parte do que eu consegui aqui devo à você, mãe, por ser minha principal incentivadora e por nunca me deixar desistir dos meus sonhos. Obrigado, mesmo! Agora tenho que ir! Daqui a pouco tenhho duas aulas para lecionar e uuma sessão de autógrafos para comparecer!

 

Afetuosa  - e saudosamente,

Tiêgo.”

Pauta para o Blorkutando – 147ª Semana: Cartas #02

 

***

Oi, lindos! Todos bem? Todos felizes da vida porque o final de semana chegou pra podermos pirar na balada e na bebedeira cazamiga? rssssss

Ultimamente tenho estado bem cheio de coisas pra fazer. E a partir de semana que vem, minha vida vai ficar bem complicada, começar os preparativos da volta às aulas no meu trabalho. Fora os acontecimentos que citei no post anterior que mudarão montes de coisas na minha vida. Tô ansioso, tô nervoso, tô quase dando piti aqui de tanta apreensão. Tanto que voei no post, né? hahahaha, ignorem, vou fantasiar o máximo que eu puder porque se ficar com os pés e a imaginação fincados na realidade, tá puxado. Vou aguentar não.

Ah, e bapho pra vocês: CORRRÃO NOW PRA VER AS PÁGINAS NOVAS E AS VELHAS RENOVADAS DO BLOG! É só olhar ali pra cima e clicar na que EM TODAS. Digam-me o que acham que eu vou amar saber s2 Ainda tô verificando se vou manter esse layout ou não, então relevem toda e qualquer desorganização for here, rs.

E uma última observação: tem post novo meu lá no O Quanto Quiser! Quero ver meus lindos indo me ler lá também, hein? Até a próxima!

Do seu escritor-aspirante,

Tiêgo R. Alencar

0 pseudocomentaram: