terça-feira, 23 de agosto de 2011

Testes e vitórias

Há uns dois anos, mais ou menos, recordo-me bem de um fato curioso que aconteceu na escola: eu fora candidato a vereador jovem. Quando recebi o convite do setor técnico da escola, senti-me o cúmulo do honrado; e envergonhado, admito que eu ligava demais para essa história de popularidade. Pois bem, passou-se o tempo, conheci a Câmara dos Vereadores, entendi como funcionava aquele lugar e acho que não esquecerei tão cedo de tudo que aprendi durante aqueles dois meses que eu e mais quatro estudantes do meu colégio vivemos descobrindo um pouco mais sobre política. Chegaram as eleições, vi que ser candidato não era pra mim e desisti de campanha, o que acarretou na minha derrota nas urnas. Aquela movimentação toda passou e as reflexões vieram quase que em seguida, fazendo-me parar para pensar em várias coisas; dentre elas, a nossa capacidade de estar pronto para entrar em fase de teste, a qualquer hora, a qualquer minuto, a qualquer segundo.

Desde que me entendo por gente, gosto de desafios. Sinto prazer em me desafiar, em ser desafiado e gosto ainda mais da confiança que me invade quando venço um desafio, independente de qual seja ele. É bom lembrar que ser desafiado é bem diferente de se desafiar, de estar disposto a se testar. Mas não entendam por propor desafios coisas do tipo “chegar ao topo do monte Everest em cinco minutos”, mas coisas construtivas e que lhe farão crescer como pessoa, como “mudar meus hábitos perante meus pais” ou algo assim. A sensação de vencer é maravilhosa, todos vocês já devem conhecê-la. Agora experimentem vencer um desafio criado por vocês próprios; um teste que você sabe que será difícil, mas que justamente por isso merece ser ganhado com honra e louvor dignos de medalha. Testar-se nas mais variadas situações, seja resistindo ao veneno de uma pessoa maldosa, seja driblando o mundo te chamando para beber e fumar, é talvez a principal maneira de mostrar para si próprio que você é capaz sim de passar por obstáculos com facilidade e, acima de tudo, confiança de sobra para quem quiser ver.

Lidar com os testes que a vida nos aplica tem lá seus contras, mas se formos apenas levar em consideração o lado ruim de tudo que ocorre conosco, dificilmente iremos conseguir vencer em algum momento de nossa curta passagem por este planeta. Por isso, não encontre mais motivos para enfrentar uma doença já acreditando que ela vá te matar, estudar para uma prova já achando que vai levar um zero ou namorar alguém pensando no dia do término (sim, existe gente assim). Pense nestes fatos como testes e que, passando neles, suas vitórias serão cada vez mais acumuladas para um prêmio lá no final. Costumo dizer que se testar vai além de se desafiar. Testar-se é provar para o mundo que você é capaz de se superar e que você pode (e deve!) ser alguém satisfeito consigo mesmo. Como eu me sinto neste exato momento.

2 pseudocomentaram:

Yasmin disse...

Entendo seu "prazer" em ser desafiado e sair vitorioso, acho que somos, como dizer, não competitivos, mas ávidos por desafios. São eles que nos fazem aperfeiçoar nossos talentos e descobrir nosso potencial. Crescer. Quando estava no colégio adorava trabalhos difícies e feiras que ficaca responsável pela organização. É trabalhar para aquilo acontecer. Depois colher frutos. É muito bom ser reconhecido por algo bem feito, ou por se destacar em algo. Hoje minhas metas são bem definidas, mas não escritas em ferro e fogo. E nada melhor que um mês louco na faculdade para colocar a perfeccionista, detalhista e competitiva em ação. ótimo texto :)

Carol disse...

A vida é uma coisa muito louca mesmo...Adoro seu blog...bjos