sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Vídeo: Retrospectiva 2011 + expectativas para 2012

PROMESSA É PROMESSA!
Eu disse que viria para um último post do ano, não disse? Pois cá estou eu prontíssimo e sem muitas observações a fazer a respeito deste vídeo. Vamos à elas:

  1. O blog da Ana Seerig que eu cito no início do vídeo é http://algomaispraler.blogspot.com! O que eu digo no vídeo é o título do blog dela!
  2. Em alguns momentos do vídeo eu vou estar com uma coceira HORRÍVEL. Tudo culpa do calor, ignorem.
  3. Seguem os links dos blogs das lindas que eu citei: Vanessa Bittencourt - Caixinha de Opiniões; Jennifer Yara - Meu Outro Lado; Amanda Arruda - Maçãs Verdes; Tay Santini - Despindo Estórias; Bárbara Farias - Ella en Palabras; Felipe Goulart - O Quanto Quiser; Erica Ferro - Sacudindo Palavras; Ana Beatriz Tomaz - Smell Of Secrets e Deyse Batista - Verdade Mal Contada.
  4. Esqueci de dizer: acho que o layout novo do blog vai ficar pra semana que vem :(
  5. E também esqueci de dizer que este post também é em comemoração às minhas TREZENTAS POSTAGENS NO BLOG! Brigado, brigado MESMO, gente, por continuar lendo e mantendo o blog! :DDDD
  6. E por fim, ignorar repetições, resolução fail, minha cara maior de um lado que do outro (paralisia facial, rs) e curtam!

No mais, FELIZ ANO NOVO MAIS UMA VEZ, SEUS LINDOS! Até 2012!

Do seu escritor-aspirante,

domingo, 25 de dezembro de 2011

Da magia de final de ano


Sem hipocrisia, eu admito: acreditei em Papai Noel até o início da adolescência. Para aquele Tiêgo ingênuo e bobo, o bom velhinho sempre aparecia na madrugada do dia 24 para o dia 25 de dezembro, deixava o presente que eu queria ao pé da árvore de Natal e aparecia em meus sonhos, dizendo que eu deveria dormir porque pela manhã eu teria uma surpresa bem feliz. E realmente, quando eu acordava e ia tomar café, deparava-me com um embrulho etiquetado com o meu nome bem embaixo da árvore colorida cheia de luzinhas igualmente coloridas. Depois daquilo, o Tiêgo só deixava de sorrir se algo muito grave acontecesse - o que não acontecia pelo menos até o Ano-Novo, quando eu morria de medo do romper de fogos e desatava a chorar.
Após crescermos, somos obrigados a enxergar uma realidade que muitas vezes queremos ocultar a todo custo. E isso faz com que bloqueemos tudo aquilo que antes nos trazia a liberdade de poder acreditar em histórias que hoje nos parecem absurdas. Estranho. Pois era justamente o fato de acreditar nestas histórias que fazia a felicidade de muitos (todos) nós... Eu sei que, com essa vida maluca que a maioria leva, fica difícil ainda crer que exista alguma coisa no final do ano que lhe transforme e lhe faça acreditar que há sim esperanças de mudar e de transformar a realidade que cerca a você e aos seus semelhantes.
Só para citar um exemplo, minha mãe é professora e leciona para uma turma de segundo ano do ensino fundamental, numa escola bem próxima à nossa casa. Então, a vida das crianças que lá estudam não é fácil, principalmente porque elas vivem em más condições e são levadas, consequentemente, a desacreditar nas pessoas. Revoltada com esta situação, minha mãe criou um projeto denominado "Papai Noel Existe", no qual cada criança é "adotada" por um "papai noel" que a ajuda de acordo com o que a criança pediu. E chovem contribuições de pessoas de todos os cantos da cidade que abraçam a causa e a apoiam como podem. As crianças, muitas passando por necessidades, pedem cestas básicas, roupas, sapatos, brinquedos e tudo mais que possa melhorar a qualidade de vida delas. É tocante escolher uma cartinha simples dentre milhares e perceber que aquelas pessoinhas, antes desestimuladas, recomeçam a acreditar que ainda existe bondade em algum lugar do mundo - e melhor, bem perto delas. Eu fiz a minha parte e serei o papai noel de duas meninas que com certeza estarão reacendendo a chama da esperança dentro de si após receberem seus presentes.
Enfim, prolonguei-me demais em meu discurso. Espero que vocês passem a olhar o Natal não só como um jogo de marketing que nos leva a gastar e a chorar com propagandas bonitinhas. Ele vai muito além disso e se você ainda não se deu conta disso, corre que o ano acaba semana que vem. Nós crescemos, adquirimos responsabilidades e deixamos de acreditar naquele velhinho que traz presentes. Apenas não podemos nem devemos deixar de acreditar que a magia do Natal existe.
E ela pode estar acontecendo neste exato momento, quando você sentir que não é só mais um entre bilhões e que pode ser mais capaz do que imagina, fazendo o possível para resgatar aquela alegria incomparável sentida quando criança no tempo de final de ano. E você é capaz, não duvide disso!

-

PS: este texto está disponivel no O Quanto Quiser, meu último texto do ano lá! Achei legal que vocês dessem uma lida por aqui também antes do meu último post do ano no A Pseudociência, cotado para ir ao ar na terça-feira! O vídeo já está gravado - sem edições porque meu moviemaker SUMIU daqui e eu só sei mexer nele - e só falta upar no youtube, coisa que minha internet linda não permite no momento. Então fiquem espertos! Espero que o Natal dos lindos tenha sido tão fantástico quanto o meu! E que venha o ano novo!
Do seu escritor-aspirante,

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Alivia aí, vida

Sabe quando as coisas resolvem dar errado quando era para dar tudo certo? Pois então.
Agora, final de ano, reta final, fechamento de ciclo, e eu estou aqui, com uma gripe linda me perseguindo desde a semana passada e com uma ardência incomum nos olhos que começa a me preocupar. Não sei se é porque estamos neste clima natalino maravilhoso ou se é porque eu sou mesmo exagerado, mas não dá pra entender porque justamente quando tenho uma "folga" (que nem é tão folga assim porque eu não deixo de trabalhar), resolvo adoecer. Natal e Ano-novo estão aí e eu não quero nem cogitar a possibilidade de mofar em casa debaixo do edredon. Pelo menos não enquanto meio mundo estará dando pulos de alegria comemorando o que eu costumava comemorar.
NÃO VAMOS NOS PRECIPITAR, não é mesmo? Tenho dois dias para melhorar e só Jesus na minha causa com os coqueteis de remédio que ando tomando todos os dias. Torçam para que eu melhore logo porque vocês nem imaginam como eu fico doente. Além de ficar com uma cara pior que a da Mulher Melancia quando acorda, é o meu estado de espírito equivalente ao das lindas de TPM (todas levanta a mão e se solidariza). Ou seja, não é legal.
Vim pra cá despejar essas palavras aleatórias porque eu sei que blog é para essas coisas. Neste momento, só escrevendo para amenizar a dor que sinto quando espirro. Vocês são uns lindos e vão ignorar meus momentos de loucura, não? NÃO?

-
In time: mais uma vez, TORÇAM pra que eu melhore logo, porque semana que vem tem vídeo bapho meu pra vocês fazendo uma retrospectiva básica de 2011 e também a mudança no layout do blog! Antes do dia 31 eu apareço, aguardem bem cheiorosos e macios que eu tô chegando!

Do seu escritor-retardado-devaneado-aspirante,

Tiêgo R. Alencar