quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Pseudopsicologia #04

Fala, galera! Todos lindos?

Pois hoje, depois de quase quatro meses sem, volto com o Pseudopsicologia novinho só para vocês! Hoje o caso é baphônico e vamos comentar ajudando a guria também com as palavras! A M., nossa "precisada" de socorro de hoje lê o blog desde que ele começou - riqueza - e disse que queria muito saber não só a minha opinião, mas as dos meus leitores sobre como agir em relação ao problema dela. Prontos? Segurem na cadeira, acomodem-se no colchão, preparem-se e venham comigo!



Leitora linda says: Oi, Ti! Que saudade que eu senti dos seus posts! Agora vou torcer pra você ficar com muitas folgas na faculdade pra postar mais! rsrs Meu nome é M. e já havia mandado um e-mail para o Pseudopsicologia uma vez e adorei o seu conselho, me ajudou muitooooo! Gostei tanto do seu conselho que mostrei seu e-mail pra uma amiga, que também amou e disse que apostava como você não ia negar a me ajudar mais uma vez com seus conselhos lindos e eu espero que ela esteja, pois mais uma vez estou com um problema terrível e que está "sambando na minha cara" como você diria rsrs. Bem, aqui em casa moramos eu, minha mãe, meu pai e meu irmão mais novo. Eu tenho 19 anos e ele tem 1, mas eu sinto que meus pais adoram bajular ele como se ele fosse o filho único! Não é exagero nem nada, mas tem vezes que o meu irmão faz a maior burrada como dormir fora de casa sem avisar, coisa que eu nunca fiz, e eles simplesmente passam a mão na cabeça dele! Eu nunca me atrevi a fazer nada do tipo e eles vivem reclamando das minhas notas, das minhas roupas, do meu namorado... Eu não aguento mais tanta pressão! Eu falo pra eles pararem para prestar atenção no que eles estão fazendo, mas eles riem da minha cara e sempre dizem que é ciúme do meu irmão e eu te dou essa certeza, Ti, NÃO É CIÚMES DELE. Eu só acho muito injusto o que eles fazem comigo! Ficam jogando na minha cara porque eu passei na estadual da minha cidade e não passei na federal, porque é o que eles queriam, sendo que meu irmão quase reprovou de ano e eles simplesmente o presentearam com um notebook novinho! Depois disso, não me segurei e vim pro meu quarto chorar, me sentindo um lixo e rejeitada! Mas aí eu lembrei que você tinha voltado pro seu blog e que talvez poderia me ajudar expondo meu problema no seu blog e pedindo a ajuda dos seus leitores! Essa situação tá insustentável e eu acho que não vou suportar e vou embora da casa dos meus pais e vou morar com meu namorado. O que você diz, Ti? Me ajuda!


O pseudopsicólogo says: Olá, M., querida. Em primeiro lugar, agradeço pelo carinho comigo e com o blog  durante esse tempo todo. E eu me lembro bem do seu primeiro e-mail, nem sei o que dizer de você ter mostrado pra sua amiga. Acho que um "obrigado por divulgar meu falso trabalho" serve, né?  E saiba que sempre que eu puder, estarei ajudando a todos os meus leitores como eu puder. Enfim, vamos ao seu problema: amada, não se assuste com a situação porque isso acontece com  outros 239028323 jovens pelo mundo que tem irmãos mais novos. Eu, por exemplo, já fiquei com a cara na poeira porque meus pais compravam várias coisas pra minha irmã, dois anos mais nova e a caçula dos quatro irmãos, e sempre esqueciam de mim ou não queriam mesmo comprar, sei lá o que se passava pela cabeça deles, mas eu ficava deveras triste com isso. Mas aprendi com tudo isso que os pais nunca vão adivinhar o que se passa na sua cabeça.  Quando eu reparei que isso já estava demais,  abri minha boca e reuni os três na minha frente pra dizer que  pra mim já bastava dessa bajulação toda pro lado da minha irmã e eu que sempre dei motivos pra isso nunca ganhava nada. Pensamento de criança, mas eu era uma criança anormal, rs. Depois disso tudo, eles viram que estavam mesmo errados e passaram a dar mais atenção aos outros irmãos e a mim, que apesar de mais velhos merecíamos do mesmo carinho dado. Partindo disso, penso que a solução para o seu problema está justamente em reunir seus pais e seu irmão para uma conversa franca e sem mais delongas, porque o que eles estão fazendo chega a ser absurdo! Nunca na minha vida eu faria o que eles fizeram, passar a  mão na cabeça de um filho que dormiu fora de casa sem dar satisfação! E você, sua linda, continua sendo essa guria maravilhosa que você tá sendo porque eu sei bem o que é dar o exemplo e pagar o pato por isso, por mais nada a ver que possa parecer da parte dos nossos pais. Ah, e mais uma coisa: seus pais não vão pra faculdade no seu lugar. Siga o caminho que você achar melhor! Ninguém sonha em cursar medicina tendo pesadelos com sangue! E se você não conseguir conversar com seus pais e seu irmão de uma vez só, converse com um de cada vez. A situação é muito grave para que você fique calada, amiga.  Nem seu namorado nem amigas nem ninguém substitui uma família. E eu te garanto que pôr tudo em pratos limpos vai te deixar mais aliviada, sem sombra de dúvidas. Arrasa, não deixa a deprê te impedir de ser feliz e samba na cara da sociedade, linda!

***
Tá com um problema escabroso, feio, horrível e que você não consegue compartilhar com mais ninguém? Conta pro divo que ele te ajuda! É só mandar um e-mail pro tiegoramon@gmail.com e aguardar minha resposta. Se eu perceber que ele precisa não só da minha ajuda, como a dos meus lindos leitores, seu problema será publicado aqui no blog.

That's all! À bientôt, ses jolis!

Do seu escritor-aspirante,

3 pseudocomentaram:

Jeniffer Yara disse...

Concordo com o Ti, uma conversa franca com os pais é uma ótima idéia! E acho que sair de casa não adianta muita coisa, é como se a M. estivesse desistindo da sua família, deixando ela 'toda' pro seu irmão mais novo. Uma boa conversa com os pais, explicando tudo é a saída pra isso. Se mesmo assim não se resolver, não desista M., é a sua família também, e como disse o Ti, ninguém substitui a família :}

Beijos

Vanessa disse...

Poxa, que situação difícil. Eu não sei como é porque sou a filha preferida hahaha Mas eu também voto no diálogo, pois é o que eu faria se estivesse no lugar dela.

natália di santis. disse...

Já passei por isso muuuuuuuuuuuuuitas vezes, mais aprendi que a satisfação própria é a mais deliciosa que tem!
-
Ti, estou apaixonada pelo Pseudopsicologia desde o #01! Parabéns pelo 'falso trabalho' como você diria, rs.
Beijos.