quarta-feira, 13 de junho de 2012

Aquela atração...




Há muito, muito tempo mesmo, eu não me importava nem um pouco com meu corpo. Achava que se preocupar demais com a aparência era coisa de gente retardada e vazia, que não se dava ao trabalho de tirar um dez na prova, mas que fazia questão de jogar vôlei no final da aula. E de certa forma eu estava certo, porque a galera que gostava de exibir os corpos bonitos que tinham era a galera que mais me pedia cola nas atividades. Whatever, não me lembro de nenhuma vez ter parado para pensar o porquê de eu ser tão desencanado com esse fator beauté que faz as pessoas enlouquecerem na busca pela perfeição.
Até que ontem à noite, depois que um dos meus irmãos me convidou para fazer academia, percebi na mesma hora o que me deixa e o que sempre me deixou despreocupado com a “mania de beauté” daquela galerinha que aparecia (e ainda aparece) na minha vida: eu não tenho nem nunca tive o hábito de pensar que as pessoas iam gostar de mim pelo o que eu aparentava ser. Mas sim pelo o que eu era. Ok, não sejamos tão hipócritas a ponto de dizer que o físico não conta em nada porque conta sim. E inclusive comigo é ainda mais complicado de as pessoas verem desta forma porque não sou o tipo de pessoa que, à primeira vista, você queira como melhor amigo. Várias amigas (sim, amigas, porque eu nunca tive amigos de verdade) já admitiram que tinham uma imagem minha na cabeça e que eu consegui quebrá-la no exato momento em que elas me conheceram. E não satisfeitas, ainda completaram as confissões me dizendo que eu sou atraente. É, aquele que não chama a atenção à primeira vista, mas que muda isso após ser conhecido tem o seu quê de atraente, por mais improvável que possa parecer.
Eu, por exemplo, não vou negar que acho caras mais velhos bem mais atraentes. Mas não é por causa disso que eu vou menosprezar um guri mais novo que use óculos de grau, aparelho nos dentes e faça a maior linha “sou nerd, beijos”. Até porque no cara mais velho dificilmente encontrarei gostos em comum com os meus. E o nerd dos óculos e aparelho pode muito bem saber de tudo aquilo que eu gosto e acho legal e me fazer morrer de amores apenas com uma conversa. Ou seja, não deixarei de conhecer uma pessoa por ela parecer ser menos interessante do que outra. Muito pelo contrário, inclusive! Tenho uma estranha mania de me aproximar de pessoas esquisitas. Ou que pareçam esquisitas, mas que se mostram mais legais do que eu poderia imaginar. Enfim, não suporto clichês, mas esse do “as aparências enganam” é a mais pura das verdades.
E é nisso que eu acredito. Na atração por aquilo que você é de verdade, acima de músculos, maquiagem ou vestes. E é por isso que eu sou tão despreocupado com meu corpo, porque eu estou tão próximo de ser sarado e lindo quanto de ficar rico amanhã. Sei que vou arcar com as conseqüências desse descuido lá na frente, mas quer saber? Se eu sou feliz comendo como se não houvesse amanhã e satisfeito com meu corpo, vou me preocupar pra quê? Quando me conhecem, uma hora ou outra acabam admitindo que eu sou atraente do mesmo jeito! Então prefiro me sentir o Cauã Reymond do que ficar me remoendo por nada! Lembram que eu já deixei de ser o patinho feio há tempos?

***
Tô tão feliz, mas tão feliz esses tempos que vem me dando vontade de escrever o tempo todo! Já me surgiram mil ideias, que sempre coloco no papel e amadureço quando tenho tempo para escrever. Ao decorrer da semana penso que postarei mais vezes, até porque prometi que ia aumentar o ritmo de postagens até meu aniversário, né. E eu costumo cumprir minhas promessas, então aguardem! Vai baixar o Tiêgo competente de algum tempo atrás em mim! Todos comemora! hahahaha Até logo!

5 pseudocomentaram:

Jeniffer Yara disse...

Awn Ti, que inveja da sua despreocupação com a beleza, com o físico ideal que a mídia nos impõe, etc. Eu fiquei encanada com isso na pré-adolescência, não queria ser mais a gordinha da sala e decidi que iria emagrecer, no começo, tomei atitudes erradas, deixar de comer nunca é uma boa ideia --' rs Mas aos poucos fui me moldando e depois de passar uns mal bocados, percebi que cuidar melhor da minha alimentação é o melhor que eu poderia fazer e isso me ajudaria sim a ficar na 'forma' que eu quero, confesso que odeio meu corpo ás vezes, mas nasci assim e não quero mudar, por mais que ás vezes ache isso. rs

Beijos ><

N disse...

Eu também fui assim, e ainda sou um pouco desencanada com vaidade. E já fui modelo, então imagine só. Uso óculos, sou magrela, já perdi muito menino bonito por ser engraçada e incurável. Mas sabe de uma coisa? Eu me prefiro desse jeito.
Abraços!

Nina disse...

Eu também fui assim, e ainda sou um pouco desencanada com vaidade. E já fui modelo, então imagine só. Uso óculos, sou magrela, já perdi muito menino bonito por ser engraçada e incurável. Mas sabe de uma coisa? Eu me prefiro desse jeito.
Abraços!
(perdão pelo comentário duplicado!)

Emilie S. disse...

Ainda perdura essa ideia das aparências? Putz, achei que as pessoas já tinham saído dessa...
Mas,enfim,concordo contigo. Eu mesma não sou lá essas coisas em termos de beleza,mas,quem me conhece acaba gostando de mim (depois de um tempo,claro) xD

Emilie Escreve

Maristela... disse...

Bom, eu posso dizer que não sou tão preocupada assim com aparência. Eu faço academia sim, gosto muito e me esforço, e os elogios que passei a receber depois que melhorei meu corpo me agradam muito... Mas isso eu gosto pra mim, não necessariamente vou sentir atração apenas por alguém que valorize o corpo... pelo contrário, na minha atual situação! kkk