quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Da série "o que foi que eu fiz?"



Lá vem mais um daqueles posts desabafo que eu sei que vocês gostam.
Vamos lá: não sei se é assim com vocês, mas eu nunca fui de ser barraqueiro nem nada do tipo, mas eu sempre gostei de deixar tudo às claras. Nunca fui de esconder nada de ninguém - quer dizer, a não ser que fosse me prejudicar, mas aí é outra história. Vivi cercado por pessoas sinceras e dificilmente topava com aquelas mais falsas do que Luís Vuitão da esquina da sua casa; mas pra tudo tem uma primeira vez. Na universidade, isso não mudou: continuei convivendo com pessoas sinceras e legais que felizmente fazem o mínimo pra me aturar todos os dias de manhã. Eu também faço o possível pra me aguentar porque sei que manhã meets eu é uma coisa complicada, mas tento esquecer isso sorrindo, o que faço de melhor.
Mas aí tem gente que não liga nem um pouco pra isso. E começa a te tratar mal, desnecessária e ridiculamente, mesmo com você usando de tudo o que pode para parecer legal. Isso sim me deixa bastante irritado.
Indiferença SEM MOTIVO.
Deixa eu contar pra vocês: uma amiga (agora ex, com certeza) minha de anos (anos mesmo, tipo cinco, seis anos) passou no vestibular junto comigo pra Letras na Unifap. Aí tá, tudo bem. Eu achando que íamos nos dar superbem como nos demos esses anos todos, quebro bonito a minha cara justo no primeiro dia de aula: me viro pra falar com a menina e ela simplesmente acena com a mão e se levanta, saindo da sala. Tá, ignorei, né, primeiro dia de aula e tudo o mais, conhecendo tudo acabei nem ligando. Porém, isso foi se agravando dia após dia e, no dia da eleição pra representante de turma semestre retrasado, percebi a tensão: éramos dois candidatos, um outro colega e eu. Ela disse que votaria no outro colega, na maior. Foi então que meu alerta mágoa deep começou a me avisar de que tinha algo de errado. Passou-se o tempo, a indiferença foi crescendo, crescendo e chegou ao ponto da menina passar por mim no corredor, esbarrar em mim e nem sequer pedir desculpas ou sei lá, dizer um "foi mal". Fiz a primeira tentativa de aproximação pra saber o que era que tava acontecendo e a menina me inventa algo pra fazer justo naquele momento, se esquivando igualmente na segunda tentativa. Parei com as investidas. Agora, depois que a greve voltou, as aulas retornaram e eu com saudades de todos (inclusive da menina que me esnobava), falei com todo mundo. Chegou na vez dela, ela simplesmente vira as costas e sai da sala, como se eu fosse contagioso ou coisa parecida. Fora que ela me excluiu do Facebook e do MSN sem pensar duas vezes. Tentei mais uma vez conversar com ela, que sumiu nas escadas do prédio onde estudo. Aí foi a gota d'água. Todo mundo percebeu que ela parece me ODIAR. E o mais engraçado é que todo mundo gosta de mim na turma. E ela se recusa a fazer parte do meio, sendo o pior de tudo o fato de eu não fazer a menor ideia do porquê dessa menina estar agindo assim. Várias pessoas já me disseram "esquece, é frescura", "ignora que isso é uma fase, essa menina é de lua" e até mesmo "com tanta gente gostando de você, você realmente se importa com o que ela pensa?", dito por uma amiga minha ontem no ônibus.
Fiquei com isso na cabeça. Eu realmente me questionei se eu fui atrás dela por gostar da menina, por consideração à nossa amizade (já morta) ou simples e puramente por obrigação. É, de tirar esse peso chato das costas de se sentir ignorado sem motivos. E cheguei à conclusão de que eu só queria saber o que aconteceu para que eu fosse tão odiado assim sem uma razão consistente. Já tentei usar esse argumento com ela, mas não adianta. Mandar a real também não vai adiantar, porque cabeças vão rolar. A única saída viável que enxergo neste momento é ignorá-la exatamente como ela faz comigo, pois não dá certo se importar com alguém que não liga a mínima para o que a gente pensa. E se é esse o jogo que ela escolheu jogar, ótimo. Problema o dela. Só sei que estou decidido e este post é testemunha: NUNCA MAIS VOU ME DIRIGIR VOLUNTARIAMENTE À ESSA MENINA. E que ela leia esse post, porque conhece meu blog e vai que ela me ame secretamente e esteja com medo de assumir, né. Tá aqui esse texto lindo pra ela quebrar a cara e nunca, nunca mais pensar em vir com hipocrisia e indiferença desnecessária pro meu lado. Tolero até onde posso (e olha que posso MUITO). Depois disso, sinto muito. Você perdeu por livre, espontânea e patética vontade um confidente, um companheiro e um amigo que poderia levar para o resto da vida.
E a propósito, eu não planejei esse post. Desculpem qualquer coisa, só precisava desabafar. Até logo, gente!

7 pseudocomentaram:

Nati disse...

Ei meu bem, tu não precisa dela pra ser feliz, sei que na teoria é bem mais fácil isso o que eu disse, mas na prática é tenso. Já vivi isso, das pessoas me esnobarem sem eu nem saber o porque, mas o tempo me mostrou que eu não precisava dessas pessoas pra viver, não nasci grudada com elas e saberia continuar a viver sem elas normalmente. Isso não passa a dor, porque se chegamos a procurá-las é porque nos importamos... Enfim, viva, outras irão aparecer iguais ou melhores.

Beijo

Anônimo disse...

Love what you are doing with the blog man!

Dayane Pereira disse...

Hey Ti, vc é querido mesmo por quem nem te conhece pessoalmente, que ela leia isso e se entenda como uma patética. Ainda que fosse algo que vc fez (que pelo jeito não é pois a essa altura vc teria se lembrado), que ela chegasse na sua face e mandasse a real, pois ela nem vc são mais crianças né.
Tem gente que pensa que amizade verdadeira se encontra assim fácil, mas um dia a realidade bate na cara dessas pessoas e aí se lembrarão das merdas que fizeram.
Peace seu lindo <3

Tay disse...

Uau, que desabafo amigo! Mas relaxe que é visível que ela não merece sua amizade. Até pq você tem pessoas bem bacanas ao seu redor (eu estou entre elas, hahaha). :P

Vanessa disse...

Acho que fez muito bem em desabafar. Todo mundo acaba topando com gente assim na vida pelo menos uma vez. Como as pessoas podem mudar tanto do nada? Como podem jogar fora amizades incríveis e sem nenhuma justificativa? Eu sou do tipo que não supera facilmente a perda de uma amizade, mas acho que ignorar a pessoa é o melhor que você pode fazer mesmo, principalmente para evitar se machucar.

leila disse...

Vishi, Tiêgo, essa daí é das loucas, só pode! Talvez inveja ou paixão recolhida, quem sabe? Alguém que age dessa maneira não merece que você perca seu tempo se preocupando com ela. Move on, ahaha!

Laís de Medeiros disse...

Oi, Tiêgo! Primeira vez que eu venho no seu blog e gostei muito do post!
Eu realmente não entendi o que aconteceu com a garota e imagino que você deve estar na mesma situação que eu. Ela simplesmente começou a te odiar? Parar de falar com você? Te ignorar? Assim sem mais nem menos?
Que estranha. Sabe de uma coisa? Nem liga. Sei você deve ter feito muitos amigos na universidade e, querendo ou não, daqui a um tempo ela nem vai fazer mais falta. Vai acabar que um não vai mais falar com o outro naturalmente e não por algum motivo - ainda que não esclarecido :) haha
Mais uma vez, adorei conhecer seu blog!
Beijos!
Xiricutico.blogspot.com