segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Tchau, 2012! Vem, 2013!


Eu não quero me prolongar muito nesse texto porque no video que postarei logo mais contarei tudo de bom e de ruim que aconteceu em 2012 e mais algumas coisinhas, mas reservei esse texto para transcrever o que minha alma sente neste momento: uma vontade inexplicável de querer fazer tudo diferente.
É, não quero mais nada estático. Quero mudar tudo em 2013. Quero mudar meus hábitos, minhas companhias, meus costumes, tudo. Quero transformar minha vida de uma forma que eu nunca vi antes. É o primeiro ano do resto da minha vida. Não quero repetir tudo o que fiz nos outros anos ou pior, repetir e gostar. Quero me surpreender. E para isso, decidi não criar expectativa alguma sobre nada que virá neste novo ano que está prestes a chegar (daqui a exatamente quatro horas, no horário aqui da minha cidade). Quero apenas sobreviver  em 2013 para poder fazer tudo diferente e me permitir viver tudo de forma diferente. Minha palavra para 2013 é MUDANÇA. Fazer a diferença. Ser mais, ser além. Quero deixar registrado neste texto que quero e vou fazer de 2013 uma revolução em mim. E tenho dito!

Que nós sejamos sempre agraciados com a força para lutar por dias melhores e que tudo mude para o mais incrível que puder mudar neste novo ano. FELIZ ANO NOVO, MEUS QUERIDOS! Até 2013!

sábado, 29 de dezembro de 2012

Anything can happen - or not

[Sobre o título: tô ouvindo neste momento Anything Could Happen da Ellie Goulding e decidi botar no título. rs]

Não sei por onde começar esse texto, mas acho que eu preciso me desculpar com vocês.

Esse ano foi meu ano de maior negligência bloguística de todos os quase quatro que já passei por aqui. Até ano passado eu ainda fui um blogueiro responsável, mesmo tendo desaparecido por algum tempinho. Mas aí veio 2012 e acabou com a minha graça. Foi tanta coisa mas tanta coisa ao mesmo tempo que as coisas saíram de controle. Vamos elencá-las para vocês terem uma ideia:

- UNIVERSIDADE. Comi o pão que o diabo amassou no primeiro semestre desse ano pra vir uma greve de quase quatro meses e me desestruturar totalmente. Quando as aulas voltaram, foi ainda pior, pois tive que pegar o ritmo da coisa de novo e demorou BASTANTE. Foram inúmeras leituras, inúmeras pesquisas, inúmeras noites em claro... Quando eu tinha algum tempo livre, só pensava em descansar e nada mais. Coitado do blog :(

- AUSÊNCIA DE COMPUTADOR: desde o final do ano passado que estou sem notebook e estou morrendo por conta disso porque o que eu consegui pra acessar e fazer as coisas da faculdade (e minhas, quando dá) se encontra em estágio terminal. Não aguenta mais duas horas ligado direto, a tela está toda rachada (tenho que ligar num monitor pra poder usar), falta uma penca de teclas, é lento demais... Meu maior plano consumista pra 2013 é comprar um notebook novo porque fica mil vezes mais fácil pra eu conseguir blogar. Acompanhemos.

- NAMORO. Que inclusive já até acabou. Foi bom enquanto durou, mas acordei pra realidade e vi que não estava vivendo o que era pra viver. Ou seja, estou dançando ALL THE SINGLE LADIES, ALL THE SINGLES LADIES no repeat porque né. rs Mas enfim, eu tive que me dedicar a esse relacionamento também e acabei deixando o blog de lado por causa disso :( todos chora.

- TRABALHO. De todos os meus quatro anos nesse emprego, esse foi de longe o mais puxado de todos! Pra quem não sabe, eu trabalho numa escola de ensino infantil como auxiliar educacional à tarde, depois da universidade. Aí vocês imaginam: pela manhã, estou estudando e exercitando meu cérebro. À tarde, estou cuidando das crianças e da parte administrativa da escola também (SEVERINO EU MAGINA?!?!?) e estou exercitando ainda mais loucamente tanto o físico quanto o mental. Chega a noite e, quando eu não tenho deveres da universidade pra fazer, tem leituras obrigatórias a serem exterminadas ou assuntos a serem revisados e adivinha quem fico sem tempo nem pra me coçar? Pois é. Isso porque eu nem estou contando com as aulas de inglês às segundas e quartas. IT'S-MY-LIFE.

E foram basicamente esses fatores que me afastaram do blog esse ano. Minha média de posts ficou bem abaixo do habitual e eu estou triste por isso, até porque o blog é uma parte de mim e é como se eu tivesse esquecido dessa parte e do quão importante ela é pra mim. Eu sempre digo que nunca abandonarei esse blog porque ele faz parte da minha história e não importa o que eu tenha feito ou deixado de fazer, ele estava presente. Está presente, quer dizer. Espero mesmo me organizar em 2013 pra não deixar mais o A Pseudociência de lado. Sei que será difícil, mas vou tentar. Torçam por mim!

-

Fatos aleatórios:

  1. Lembram que eu fiz o ENEM 2012? Pois então, me fodi e me fodi feio. Se bem que pra quem não se preparou nem um pouquinho, fui bem. Bem melhor do que muita gente por aí que estudou. Fiquei decepcionadíssimo com minha nota em linguagens que não correspondeu ao que eu esperava, porque eu arrasei, e não foi pouco. E na redação, feliz por não ter zerado com aquela redação super meia boca e ainda ter ficado com mais de 600. hahaha
  2. Meu Natal foi maravilhoso. Tão maravilhoso que eu não consegui vir aqui desejar pra vocês um ótimo Natal como faço sempre e peço desculpas por isso mais uma vez :/ Só de peru e carne assada, engordei uns vinte quilos do dia 24 pro dia 25. Só estou esperando passar o réveillon pra começar a academia. SIM, ACADEMIA. Já jurei pra mim que ia fazer e vou fazer. Superar essa vergonha que existe em mim e começar a me exercitar porque isso tá começando a influenciar no meu desempenho em outras coisas na vida (A.K.A PREGUIÇA PARA TUDO).
  3. Eu prometi um vídeo de final de ano pra vocês e vou postar esse vídeo até o dia 31. Se tudo der certo, porque tô numa crise absurda com minha internet que só vocês vendo (aos leitores amados que ainda não sabem, eu moro no Amapá e não existe banda larga aqui). Hoje eu já comecei a ensaiar o que vou falar porque é uma penca de coisas, mas creio que eu vá conseguir falar tudo. Torçam por mim, seus lindos!
  4. E por fim, estou em pleno período letivo enquanto todo mundo está de férias. É assim a situação de quem estuda em universidade federal, gatos. Enquanto tá todo mundo dormindo de ressaca, tô acordando seis horas da manhã pra ir pra Unifap. Mais um motivo pra vocês entenderem a negligência com o blog. rs
E é isso. Com esse post super diário do Titi, estou indo e espero voltar logo logo pro último post do ano! Aguardem! Até mais, queridões!

sábado, 8 de dezembro de 2012

Que delícia!



Da série "fatos aleatórios do dia":

Hoje à noite saí pra dar uma volta com meu amor e foi tudo muito lindo como sempre. Até que na volta estou lindo e sensual caminhando na rua quando duas mulheres (MULHERES) dirigindo um carro vão passando com o carro bem devagar do meu lado. Eu, como um homem comprometido e fiel que sou, nem dei moral. Mas não tive como evitar o olhar quando as duas gritam antes de arrancar com tudo dali:

- "EI, SEU GOSTOSO!" - e riem alto, indo embora imediatamente.

Isso tudo com uma penca de gente atrás de mim e outra penca à minha frente. Olha, não sei se eu fiquei constrangido, se eu fiquei com vergonha, se eu fiquei triste ou se fiquei feliz por ter sido chamado de gostoso. Eu não costumo ser chamado desse adjetivo um tanto quando peculiar. Sempre sou o "fofo" ou o "lindo" ou até o "xi bebê da mamãe". Agora gostoso? Como diabos eu devo me sentir quando sou chamado de gostoso? Como vocês se sentiriam se alguém gritasse "EI, GOSTOSA" ou "SEU GOSTOSO!" em alto e bom som no meio da rua?
Eu me acho lindo, até porque se eu não achar ninguém mais vai achar e eu me amo. Mas não sou o tipo de pessoa que atraia olhares desejosos ou coisa do tipo. Sou gordo, sou sedentário e não tenho nem vergonha nessa cara de estar falando tudo isso, mas sou sincero acima de tudo e admito que eu poderia ser um pouquinho mais cuidadoso comigo mesmo. Só que eu não tenho culpa de x-tudo e milkshake serem tão maravilhosos e tentadores, tenho? Dou graças a Deus por ser alto e conseguir disfarçar um pouco tanta gordura nesse corpo porque olha, não está fácil.
Mas enfim, voltando ao assunto de ser chamado de gostoso, ainda estou aqui raciocinando que diabos essas mulheres enxergaram em mim. E ainda estou tentando desvendar como eu me senti. Foi um mix de "estou me sentindo uma puta de esquina" com "OMG! Existe gente que me admira num sentido sexual" com "WTF???" com "socorro, me enterrem" e com uma pitada de "Estou podendo nesse grau?". No final das contas, eu acho que isso fez bem pra minha consciência, porque voltei para casa com um sorriso de orelha a orelha.
Até que esse incidente serviu para alguma coisa: resolvi aceitar um pouco mais os elogios (sem ser os dos meus amigos e dos meus parentes). Mesmo que eu me sinta uma puta de esquina sendo chamada de gostosa por dois caras num carro, porque não basta só ser gostoso. O mundo tem que saber disso, só para variar.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Em transe

Nem sei como começar esse texto, de tão enferrujado que estou.
Sei lá o que aconteceu comigo, perdi completamente a essência blogueira que me dominava quando criei esse blog. Quer dizer, não perdi totalmente porque continuo sentindo muita vontade de blogar, mas quando chega na hora de escrever, parece que sinto um bloqueio tão forte que tudo o que eu escrevo acaba sofrendo nas mãos do backspace, o tempo todo. Todo o tempo.
Eu queria culpar alguém ou alguma coisa por isso, mas acho que não há culpado maior do que eu próprio nisso tudo. Poderia facilmente dizer "ah, vivo ocupado e não sei mais escrever" ou "a universidade está me matando!", mas seria mentira. Já aprendi a me organizar pra ter tempo pra tudo: diversão, trabalho, inglês, deveres de casa, enfim. E o blog também entrou nessa organização. Mas só que com ele é um caso a parte: as palavras não fluem mais com a facilidade que fluíam antes. Há algum tempo atrás, eu só precisava pensar num tema e escrever sobre ele era consequência disso. Agora eu preciso raciocinar uma vida pra poder desenvolver um texto (muito mixuruca, diga-se de passagem) sobre o assunto. Já aconteceu tanta coisa que me fez querer escrever aqui! Da posse do Joaquim Barbosa na presidência do STF até homofobia (da qual inclusive sofri), já anotei inúmeros temas que me agradaram e me fizeram querer escrever. E aí o maldito bloqueio vem e acaba com a minha graça. Começo os textos e eles ficam ali, estacionados. Essa barrinha piscante espera ansiosa pra que eu comece a escrever. E ela fica frustradíssima, porque geralmente não sai nada. Nadica de nada.
Mais uma hora de espera.
Estou tentando arrumar uma forma de terminar esse texto de uma maneira legal, mas não dá. Vou passar outra eternidade pensando em algo legal e vou mais uma vez quebrar a minha cara porque não arrumo uma maneira decente de organizar as palavras de modo que elas soem pelo menos compreensíveis. Ia prometer um retorno breve, só que eu não costumo prometer coisas que não vou cumprir, então direi aos lindos que eu quero (EU QUERO, JURO) retornar antes do natal com a minha retrospectiva do ano em forma de TCHAN TCHAN TCHAN TCHAN... Video! Que nem fiz ano passado! Melhor pra vocês e melhor pra mim, né? Já estou organizando meu ~~script~~ e só estou arrumando uma câmera digna pra poder gravar. Aguardem! Até breve (eu acho)!