sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Humanamente do bem.



Deus fez a coisas de uma forma tão incrível que ainda perco a cabeça para entender tais criações: a água, fonte de vida, simples e leve como uma pena; o ar, imperceptível e indispensável; os sentimentos, essenciais à vida. Ele interligou tudo de uma maneira que nos deixa totalmente pasmos. Somos frutos do maior arquiteto que já existiu.
Se ele caprichou em cada toque como se fosse o último, não poderíamos sair diferentes: somos perfeitos. E por possuir tamanha perfeição, acabamos sendo submetidos à testes. Frio calor, tempestades e enchentes são apenas algumas delas. Conseguimos sobreviver à estas situações graças à capacidade de resistência que nos foi dada pelo Criador. Somos cristais de diamantes: rígidos, belos, e lapidados impecavelmente. Tive a prova clara de que nossa força é maior do que imaginamos quando ocorreu há pouco tempo a tragédia no Haiti. Senti um aperto no coração quando soube o que havia acontecido; temi que não fossem restar sobreviventes devido à veracidade do terremoto. E me surpreendendo, foram retiradas muitas vítimas conscientes dos escombros. Isso me emocionou. As teorias que eu havia criado sobre o quanto o homem pode suportar caíram por terra. Aquele pensamento antigo que dizia que o ser humano é fraco a ponto de perder para uma formiga não faz sentido. Até pode fazer para outras pessoas, mas meu ponto de vista deixa claro que nós somos fortes. Ser capaz de resistir a todos estes acontecimentos é impressionante. Imagine então ainda estender a mão ao próximo num momento tão crítico, mesmo sem nem ter ideia de quem possa ser este próximo! Isto só comprova ainda mais o quão humanos as pessoas podem ser. Fico imensamente feliz em saber que o nosso mundo, que parecia tão irrecuperável, ainda conta com uma frota de gente praticante do bem. Gente que sabe honrar o título de humano e que não esquece deste pequeno detalhe. Gente que faz  por merecer e que muda, se necessário. Gente que sabe amar e compartilhar o que tem com quem não teve a mesma sorte de possuir algo para compartilhar. Estes sim, são perfeitos seres humanos.
Acredito que o conceito de ser humano se encaixa basicamente no que as pessoas entendem de si próprias. Agora, por exemplo, eu me considero um ser humano. Faço a minha parte, ajudo onde posso e dou auxílio a quem necessita. Todos precisamos começar a nos mexer em prol da humanidade. Nossa sede por igualdade e justiça precisa ser saciada e pode ter certeza que não iremos ser contemplados com o que queremos de mão beijada. Temos que correr atrás! Ninguém pode fazer isso por mim, nem por você. Nossas mentes tem que ser humanas o suficiente para nos motivar a praticar o bem, sem receber nada em troca. A plenitude que futuramente alcançaremos somente será atingida por mérito de nossos gestos de bondade. Duvidar da capacidade que nós temos de fazer o bem com as próprias mãos só serve para nos fazer desviar por um caminho que não vale a pena.
Temos que adquirir um pouco mais de autoconfiança e força de vontade, porque somos seres humanos, fortes, solidários e, principalmente, capazes de exercer a força mais incrível e poderosa que existe: o bem.




Pauta para o Blorkutando - 70º Semana: ser humano.




***

Oooi, gente! Tudo bom?
Minha vida atingiu minhas espectativas. Acho que pela primeira vez em muito tempo tô me sentindo completamente feliz. Feliz por tudo.
Algumas considerações:

1 - Vocês pararam de curtir o blog? Fiz uma pauta megacurta e apareceram poucos comentários. Escrevo pautas imensas e aparecem bem mais! Me digam o estilo de texto que lhes agrada mais e comente! Façam de tudo para que eu melhore, não quero decepcionar nenhum de meus estimadíssimos leitores.

2 - Gossip Girl tá me prendendo cada vez mais! A trama nas telinhas não é melhor do que a dos livros, mas confesso que adorei! Recomendado, e torçam pelo Dan ( meu favorito desde o livro, me assemelho horrores na personalidade com ele ) e pela Serena ( a perfeitona. ) ! Terminei de ler o segundo volume da série, Você Sabe Que Me Ama e já passei para o terceiro, Eu Quero Tudo! Maravilhosos, todos!

3 - A TV me deixa maluco das cinco e meia da tarde em diante. Malhação, Cama de Gato, GG, Viver a Vida e BBB são minha mais nova rotina. Para alguns, fútil; para mim, ótima. Quem não gosta do Fiuk levante a mão! o/ Eu levanto. Odeio aquele cara. Podem me atirar pedras, mas sou muito mais fã do Ricky Tavares, que interpreta o Rodrigo e do William Barbier, que interpreta o Alê. Malhação tá bombando!

4 - Torçam por mim no TDB 2010! Provavelmente as inscrições começam semana que vem, e eu tô mais do que pronto para encarar mais essa na minha vida; e

5 - Uma bomba: me apaixonei de novo.

E por hoje - ufa ! - é só!


Beijos, abraços, cuidado com o desequilíbrio no fim de semana, e até a próxima!

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

O cordeiro na pele do lobo.



Sem nem pensar duas vezes, eu seria avatar do Taylor Lautner, o lobisomem mais cobiçado de Hollywood. É, vou puxar a sardinha pro meu lado: sou Team Taylor/Team Jacob. Passar um dia habitando o corpo (sarado, determinado, perfeito, e mimimi) do cara do momento seria maravilhoso! Tiraria proveito de várias situações: andar de mãos dadas com a não menos linda Taylor (!) Swift, gravar o filme mais esperado e me consagrar o ator do ano, receber vários prêmios importantes e passar horas em entrevistas defendendo com unhas e dentes o personagem que teve o maior recorde de histeria dentre as - e os ! - fãs do gênero. Conquistaria ainda mais fãs e a confiança de todos. Seria exatamente como a vida dele sem minha mente em seu interior, mas garantiria um diferencial: faria o máximo para parecer o mais simples possível. Não abriria mão de meu modo básico de ver a vida, mesmo cercado dos melhores ternos da Armani e dos melhores champanhes franceses. Afinal, pau que nasce torto morre torto e quem sou eu pra discordar disso?


***

Olá, leitores assíduos do A Pseudociência! Tudo bom com vocês?

Comigo não estava nada bem. Conquistei o recorde de convalescência em menos de uma semana. Ainda estou com febre baixa e um pouco de dor de estômago, mas estou em plenas condições de postar - ainda bem!
Ai, estou uma pilha de nervos. Como a pauta aí de cima mostra, continuo firme e forte escrevendo os textos com os temas dados pelo Tudo de Blog. Ainda não começaram as inscrições e eu, apreensivo, tentarei minha quarta vez. Todas as vezes em que falhei, deletei meus blogs e espero que não aconteça o mesmo com este. Torçam por mim e que dê tudo certo!
E hoje tem paredão no BBB! Já votei mais de vinte vezes na Ana Marcela porque ela ofereceu risco à minha amada Tessália e isso é inadmissível! Além do mais, eu gosto do Alex e da Morango, então sobrou pra ela, coitadinha. #mau.


E por hoje é só. Meus olhos estão doendo e eu morro de medo que isso seja dengue.




Beijos, abraços e até a próxima!

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Uma lição para toda a vida




Para um ser de apenas quinze anos, já errei muito nesta vida. Em provas de fogo, como um pedido de namoro ou uma entrevista de estágio, não me lembro de ter recebido a graça do acerto. Engraçado. Parece que quanto mais erro, mais aprendo e, consequentemente, acerto. Tudo tem sua serventia, mesmo que simples, e com os erros não é diferente. Sabemos que eles fazem parte do nosso dia-a-dia, por mais que tentemos evitá-los. Nem a física, nem a biologia que aprendi ano passado se comparam com o que aprendi com os erros, grosseiros ou não, que acabei cometendo. Mas apesar dos incovenientes, sempre consegui tirar proveito da situação. Errar não é o fim do mundo como todo mundo pensa. Errar é uma lição que a vida nos aplica para testar nossas capacidades. Eu e você erramos, ele e ela erram. Não há como evitar. É como uma explosão de mil sóis que você não consegue bloquear. Um erro pode ser o grande desestruturador de vidas. Um erro é capaz de desorganizar o ambiente com apenas um movimento. Mas acima de todas essas consequências, errar é um aprendizado.
Toda vez que as pessoas fazem algo de errado, logo pensam coisas negativas em torno deste ato. Não penso desta forma. Como aprendi desde pequeno que não se deve subestimar o destino porque ele sempre saberá agir perante todas as situações, sempre soube que o erro, por mais estúpido que possa ter sido, tem seu lado bom. Podemos consertá-lo por já saber qual é a falha. Ou simplesmente podemos tirá-los como uma lição de moral, depois de perceber o quanto fomos tolos em tê-los praticado. Eu já recebi diversas lições: na escola, em casa, na rua, no trabalho. E apesar de todas estas terem sido bem aprendidas, somente as que meus erros me ensinaram que marcaram de verdade minha vida. São lições que jamais esquecerei. Sao pequenas lições, mas com significados bem grandes. Os erros servem para alguma coisa sim! Pelo menos em minha vida eles simbolizam muito. Pode até soar estranho, mas eu gosto de errar. A sensação de poder melhorar e superar aquilo é incrível. E o melhor é que ainda ganhamos o bônus, que é aprender com os tropeços dados.
O importante mesmo é saber que errar faz parte da natureza humana e que todos merecemos uma segunda chance. Ou uma terceira, ou uma quarta. Não somos perfeitos, mas até chegar, no mínimo, próximo disso, iremos encontrar muitos erros no caminho. Querendo ou não.






Pauta para o Blorkutando - 69º Semana: Eu erro, eles erram, nós erramos.








***


Oi gente, tudo bom com vocês?

Eu estou bem feliz. Estou neutro. Não sinto mais nada por ninguém e melhor, meu blog está me rendendo umas belas alegrias! Gente,eu dei uma entrevista para um blog super legal que já entrevistou Erica Ferro, Mariana Amorim, dentre outras celebridades na blogosfera. O blog é o Cosmopolitan Ice , comandado pela ilustre Yasmin Carli. Aguardem!


E no vai-e-vem do BBB, o Cadu virou líder. #BJOMORRI. Com o Dourado imune, as chances da Tess ir pro paredão são imensas e eu não quero isso! Ainda mais agora que ela pegou o Michel! OMG, esse BBB me mata do coração! Alguém dá um soco no Dourado pra mim? #éatreva.


Mais uma: meu twitter está adquirindo seguidores e eu estou bem satisfeito com isso. Mas não custa nada fazer mais uma propaganda básica: sou o @tiegoalencar , ok?

E por hoje é só!



Beijos, abraços e até a próxima!

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

I am... insuperável!




Antes que vocês pensem que eu estou todo convencido ou coisa parecida, permitam-me esclarecer a história: sábado, eu estava em CE - Crise Existencial - e, como nas outras vezes, pensei em fugir, morrer e mimimi. Parecia que nada mais me fazia sentido. Até que então tive a prova concreta de que perseverar é sempre a melhor saída: tenho uma amiga, chamada Luísa, que é religiosa demais e legal demais também. Ela, dentre os 47 (!) contatos on-line no Messenger, era a única que eu conseguia enxergar para contar tudo. Logo, chamei-a para conversar e ela me recebeu com o típico " oooooi Ti! ", com os cinco ós e o ponto de exclamação exatamente, que é todo o carinho do mundo reunido. Detalhe: eu já estava sorrindo! E sorriso foi o que não faltou no papo. Tanto que o desfecho era previsível: eu já estava feliz, satisfeito comigo mesmo e o melhor, aceitando minha vida do jeitinho que ela é. Mas antes de finalizar a história e partir pro texto em si, não posso deixar de citar a frase digna de Augusto Cury dita pela Lu, que foi o fator responsável pela minha recuperação: " você é insuperável, desde que tenha fé em Deus e acredite que nada lhe impede de ser feliz." Diga lá se ela não tem vocação pra ser psicóloga?!

Essa injeção de ânimo dada em mim pela Luísa me fez pensar por horas a fio. Há tantas pessoas que não ligam para suas vidas e simplesmente se desfazem delas como se fossem insignificantes; tanta gente que age contra sua própria vontade só para mostrar aos demais que a vida é facilmente manipulável; tantos indivíduos que abrem mão de suas vidas perfeitas para conhecer uma vida sombria, cheia de desencantos e horrores... Todas essas pessoas precisam de um pouco mais de autoconfiança e um estímulo de um anjo - que no meu caso é a Lu - que fará com que nosso instinto autodestrutivo desacelere seu ritmo de que nunca devia ter sido aumentado. Devemos ter em mente que nada é para sempre e que justamente por isso temos que viver de verdade cada segundo que possuímos para respirar. Agradecer, rezar, ser humano. Com as pessoas, consigo mesmo, com o ambiente no qual se habita. Nunca é tarde para se conscientizar de que há sim solução para tudo. E eu confirmo isso com todas as letras. Digo com 100% de certeza que me amo e me aceito do jeitinho que eu sou, seja com minha mania estranha de comer ovos fritos com açaí, seja com minha vocação incontestável para ser amigo. Hoje eu sei que não posso evitar a tristeza, mas lembrar do que a Lu disse me faz ter força e superar tudo que venha me atingir negativamente: eu sou insuperável.






***



Olá, caros leitores!

Desculpem minha total ausência daqui. Acabei adoecendo do estômago, tomei pilhas e pilhas de remédio e horas no banheiro. Foi assim até ontem, quando melhorei e tentei blogar, mas o Blogger não me ajudou e eu fiquei a ver navios. Mas hoje deu tudo certo, estou sem dores, e melhor, disposto a continuar, firme e forte com o A Pseudociência, já que a ideia estúpida de deletá-lo passou pela minha cabeça neste dia citado acima.
Mas hoje está tudo resolvido, quero ver sorrisos de vocês e comentários transparecendo felicidade, hein?


Nossa, daqui a uma semana voltam as aulas. É meu último ano no ensino médio e confesso que estou meio assim sei lá de ter que voltar pra escola. Destesto despedidas, mas esta é a mais necessária de todas. Vamos ver como vai ser! Quero que vocês me contem como estão também, além de só comentar meus textos, ok?


Não mudarei a cor do PS hoje. Quero que ele apareça de verdade.








Última observação: quase morro de felicidade quando a Joseane saiu ontem do BBB. Bem feito, quem mandou dar o anjo pro Marcelo Monstro Dourado?!




Bem, é isso! Um beijo, um sorriso e sintam-se abraçados por mim!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Bombando no BBB



Se eu, por algum acaso, conseguisse adentrar a casa mais vigiada do país, com certeza abalaria as estruturas do reality. Como já fomento o sonho de entrar no BBB já há algum tempo, não decepcionaria caso fosse selecionado. E primeiramente, criaria um personagem, assim como muitos outros participantes que fizeram de sua personalidade um marionete. Aham. Rafinha e Max são um belo exemplo disso; foram algo que não são fora da casa e alguém se lembra da consequência disso? Os dois levaram a bolada que na época ainda era de um milhão de reais. Eu iria fazer exatamente o mesmo. Seria alegre, palhaço, apartador de brigas, santo, justo e amigo. E conquistaria milhares de admiradores pelo Brasil afora. Tirando meus colegas de confinamento, que iriam me amar! Seria engraçado se alguém se apaixonasse pelo meu personagem, mas eu iria a fundo nessa relação. Curtiria cada segundo ali na casa, tomando cuidado para não parecer inocente demais. Porque uma hora a máscara cai, não é? E este momento seria quando o Bial falasse: " E numa disputa acirrada, com 33,34% dos votos, você é o vencedor, Tiêgo! ". Meu pudor ficaria de lado e a sensação de ter conquistado o prêmio falaria mais alto - assim como os gritos, os palavrões, a choradeira e por aí vai. Afinal, ninguém passa pelo BBB sem deixar sua marca. E eu não seria exceção.






***




Oooi, gente! Tudo bom com vocês?
Ainda falando em BBB, a décima edição do reality está dando o que falar, hein? Três homossexuais, sendo um deles transformista. A rainha do Twitter também está marcando presença. Fora o festival de beleza; tem pra todos os gostos: morena, loira, ruiva, sarado, careca. Confesso que nunca me liguei tanto numa edição do BBB quanto essa. E já tenho meus favoritos! O líder da semana, Serginho Orgastic e a Tessália são meus cotados para a final. Aguardo ansiosamente por cada programa, sem medo de ser feliz. Que é o melhor reality show da TV brasileira ninguém discorda. Então, cedo ou tarde o BBB será o assunto do momento e eu já comecei a minha parte. Segurem o BBB 10, pois ele ainda vai dar o que falar!

A propósito, segue um link hilário sobre o BBB, vale a pena! Clique aqui para garantir altas risadas com os sósias dos brothers! E aproveitem e deem uma conferida no Fotolog do Serginho! É um dos mais bombados do Brasil!





E por hoje é só!


Beijos, abraços e até a próxima!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Consciência é freio para excessos.





Consumir nos dias de hoje nada mais é do que uma obrigação. Sim, uma obrigação, não errei de termo. A lei da oferta e da procura nos atrai muito. O desejo de possuir aquele celular de última geração e maior do que nosso real gosto por ele, mas mesmo assim, adquirimos. Somos mais manipuláveis do que imaginamos. O capitalismo no qual estamos inseridos nos impõe apenas uma regra, que seguimos sem pestanejar: consumir. E cada vez mais cedo, este consumo desenfreado assume lugar em nossas vidas. As crianças já não querem mais que os pais as comandem pelas mãos na hora de ir às compras. Elas querem ser independentes financeiramente para gastarem com o que quiser. Exatamente como os adolescentes, que por volta dos 13, 14 anos, já são donos do próprio nariz e não admitem a guarda dos pais quando saem para comprar. E de alguma maneira, certos responsáveis acabam por sucumbir à vontade dos filhos. E então, o consumo absurdo começa. Eu mesmo confesso que já comprei muito mais do que devia e sem necessidade alguma. Simplesmente tiva a vontade incontrolável de gastar. Foram três camisas, dois cintos e quatro calças a mais do que eu havia planejado. Entretanto, hoje, diferente de vários outros adolescentes, eu tenho um autocontrole incrível. E sei bem como usar meu dinheiro da melhor maneira possível. Aprendo a administrar o que agora é limitado. Saí das custas dos meus pais e consegui um emprego que me remunerasse o suficiente para meus gastos pessoais. Ainda bem!
É da natureza adolescente conjugar incessantemente o verbo ' querer '. Com destaque para a primeira pessoa do singular, claro. E é quase normal as lojas seduzirem os jovens com promoções tão tentadoras. De queima-estoque à liquidações com 70% de desconto, as opções de consumo variam muito. Para a sorte da juventude, que mais do que nunca compra sem dó nem piedade. Os jovens consumistas devem ter em mente a palavra que fará não só reduzir o consumo excessivo, mas também auxiliar as demais áreas de sua vida que necessitam de ajuda: consciência. Talvez seja o termo-chave para tais situações serem solucionadas. Os ambientalistas nos pedem consciência. A polícia rodoviária também nos pede consciência. A igreja, idem. E porque não conjugar para si próprio o verbo ' querer ' na primeira pessoa do singular, mas ao invés de pôr objetos ou peças de roupas no final da frase, colocar a palavrinha consciência? Não seria ótimo se todos soubéssemos a hora de parar quando estivermos prestes a extrapolar nossos limites nas compras? Pois é justamente o que está faltando na cabeça complexa dos jovens.
Pelo menos eu já faço a diferença impondo limites às minhas vontades, já que sei que não poderei satisfazer à todas. E com a consciência adquirida na hora de consumir, faz muito tempo que não compro nem uma calça, nem um cinto e nem uma camisa a mais do que o planejado!






Pauta para o Blorkutando - 68º Semana: Jovem e consumista

sábado, 9 de janeiro de 2010

Manias estranhas, estranhas manias

Desde pequeno, sempre fui fadado a habitar o estranho mundo dos diferentes. De roedor de unhas compulsivo a cheirador de talco assumido, nunca existiu ninguém que pudesse me livrar destas manias. Então, de acordo com a lei 000.000/00-1 da minha constituição, irei postar todas as pautas para o Tudo de Blog  até o dia em que começarem as inscrições. Então fiquem com meu Top 5 - Manias Estranhas! Confira!


1- Batucar com a mão em tudo , em especial nas partes ocas de madeiras, porque elas fazem mais barulho e irritam mais;


2- Cheirar talco e demais coisas em pó , porque é tão bom! Adoro aguçar meu olfato!

3- Morder E.V.A e bastões de silicone , simplesmente porque eu amo coisas sólidas e mastigáveis. Uma pena eu não conseguir engoli-las;


4- Ler revistas nerds e teens , pois sou irrecuperavelmente diferente e


5- Comer ovos fritos com açaí , por ser minha comida favorita e apesar de ser estranha pra muita gente!


E há muitas outras! Só que essas aí são as mais bizarras!


E você, tem alguma mania louca também?



***


E aí, galera leitora do A Pseudociência? Tudo bom com vocês?
Tenho mais uma novidade pra contar pra vocês: ganhei novamente em primeiro lugar no Blorkutando! E dessa vez, sozinho! Gente, estou tão feliz e emocionado por ter ganhado com meu texto tão simples... Vocês que leem meu blog merecem os títulos mais do que eu, pois vocês são minha força pra continuar!
Ah, e outra coisa: está chegando a hora das inscrições pro Tudo de Blog 2010! Minha esperança está alta!

Por hoje é só.


Um beijo, um sorriso e até a próxima!

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Amar, acima de tudo!



Recordo-me como se fosse ontem das exatas três vezes em que me apaixonei perdidamente pelas pessoas que eu considerava as mais importantes de minha vida: minhas melhores amigas. Na primeira vez, não expressei meu amor por medo de prejudicar nossa amizade. Falhei. Na segunda vez, a total insegurança me deixou mudo. Falhei novamente. Já na terceira tentativa, com minha mente mais madura e estruturada, resolvi me declarar, reunindo toda a coragem que poderia existir em mim. Recebi um não como resposta, apesar de ter tirado isso como lição. É importante dizer o que sentimos. Por mais que doa à sua alma gêmea que sempre esteve ao seu lado. É necessária a sensação de estar livre da angústia que penetra nossos corações enquanto decidimos se falamos ou não aos nossos melhores amigos que queremos ir além da amizade.
Sentir que aquele apreço, aquele carinho que é tão normal entre melhores amigos está se transformando numa paixão ardente como a que se vê nos filmes de romance ou num amor desses bem piegas de novela, é como uma tempestade que chega do nada depois daquele dia quente de verão. É inevitável. Não temos o menor controle sobre nossos sentimentos. O desejo de estar junto daquela pessoa é maior do que nossas próprias vontades e acaba tomando uma proporção muito grande em nossas almas. E então não se pode mais fazer nada; o destino se encarrega de armar as peças em nossas vidas. Brincamos a todo momento em uma roda gigante de emoções. A confiança já existente no amigo reforça o que estamos vivenciando e ainda colabora para que, caso não tenhamos sucesso na hora de falar ao melhor amigo que ele é o mais novo alvo de nossos olhos apaixonados, demoremos a esquecê-los. Minhas infelicidades com o amor me fizeram refletir muito sobre isso. Não é nada fácil ter que suportar a dor de ter seus sentimentos mais intensos serem rejeitados pela pessoa que você, provavelemente, mais preza no mundo! Porém, quando o contrário acontece não há nada mais lindo do que o amor originado de uma amizade tão incrível como a de melhores amigos. Unir o útil ao agradável pode ser bem melhor do que imaginamos. Ainda mais quando se fala de um amor que surge após semanas, meses ou até mesmo anos de convivência!
Amar, assim como chorar ou sorrir, é algo inexplicável. Amar seu melhor amigo é bem mais indescritível. Mas não deixa de ser amor. Não importa se ele for correspondido ou não; estaremos sempre ligados de algum jeito com esse sentimento tão forte que é o amor. E vivenciando-o a cada dia, aprendemos a ser pacientes, já que não se trata de qualquer pessoa. Afinal, é seu melhor amigo e nada mudará este fato.
E querem saber mais? Não me importo com o fora que levei na única vez em que consegui me declarar, porque o prazer de estar satisfeito comigo mesmo por ter aberto o jogo com ela simplesmente me bastou. Pois amargar calado um sentimento tão bonito não faz sentido. Amar sim é que faz sentido! E muito!










Pauta para o Blorkutando - 67º Semana: Meu melhor amigo?!




***


Ooooi gente!
Após uma semana de ressaca moral (SAHUSHUASH) resolvi voltar. Fiquei mesmo muito satisfeito em ver que as pessoas leram as minhas últimas considerações sobre 2009. Foi realmente um ano memorável, então a pauta ia mesmo ficar imensa!
E antes que eu me esqueça, ontem tive a maior alegria da minha vida! Como de costume, entrei no blog do Blorkutando , para ver se pelo menos na última semana do ano, eu ficava entre os três melhores. Não apostei naquele texto, confesso. Mas para minha imensa surpresa, eu havia ficado em primeiro lugar! Que coisa, eu jamais imaginei ganhar! Afinal, são mais de 30 textos por semana! E eu quase morri de tanta felicidade! Juro que ainda estou tentando acreditar.
E como foi o ano novo de vocês?

Meu fim de ano foi melhor do que todos, apesar de não ter tido nada de mais. Apenas fiquei mais feliz do que o normal. Parece que meu 2010 será brilhante! E conto com a ajuda de vocês, lendo o blog e me contando o que acham, ok?
Ah, e valeu mesmo, gente, pelos treze comentários num só post. Outra marca que eu ainda não havia atingido. Obrigado mesmo, meus leitores mais lindos e atenciosos do mundo!


Bem, acho que por hoje é só.


Beijos, abraços e até a próxima!