quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Eu te amo (de verdade) , sabia?

" Pedro era o galinha da turma. Nas festas, ele era o rei da pegação: promovia concurso de beijo na boca, conquistava as garotas mais lindas da festa e desprezava com alegria as que lhe imploravam por um 'oi'. Mas, em um destes acasos que só a vida nos proporciona, ele encontrou Sofia, a garota reprimida e triste que todos viam que era linda, mas que bastava pôr os óculos para ficar escondida, sozinha, isolada de todos. Pedro percebeu que Sofia era diferente. E se apaixonou por ela. Quando ele decidiu revelar seu amor pela garota, qual não foi sua surpresa: ela lhe disse não. Porque? Porque ele disse 'eu te amo' à ela como se fosse a coisa mais normal do mundo. E para Sofia, não era. [...] ."


Histórias como a do Pedro e a da Sofia são bastante comuns atualmente. Foi o que aconteceu com o amor de antigamente pra cá. As pessoas perderam completamente a noção do que é amar de verdade. Sentir um apreço por alguém não significa dizer que está amando este alguém. É necessário um tradutor de sentimentos para cada um de nós. Vou confessar que que já falei 'eu te amo' em situações que não deveria ter dito nada. Mas se pensam que me arrependi, não, não me arrependi. O sentido proposto pelo 'eu te amo' é relativo para todos. Pode significar um simples carinho pela pessoa ou até mesmo aquela adoração típica da amizade. Mas o verdadeiro sentido destas três palavras, tão pequenas e com taman ho poder, é extraordinário. Dizer que ama alguém é se autocomprometer com este. O amor é a sensação mais envolvente e estonteante de todas. O amor tem um imenso poder, que jamais deveria ser subestimado. O amor é, sem sombra de dúvidas, incrível.
Banalizar seria um verbo meio forte para se usar quanto ao uso do 'eu te amo' hoje. Acredito que não há mais a real importância das pessoas com o amor. O 'da boca pra fora' veio mesmo para ficar. Eu ainda salvo à exceção, pois sei bem diferenciar o 'eu gosto' do 'eu amo'. Aprendi a não ser inteiramente dominado pelas incertezas e inverdades que o amor infelizmentenos traz. É preciso estar convicto do que se sente de verdade. Não se pode simplesmente falar que ama, sem ao menos estar sentindo aquele friozinho na barriga só de ver a pessoa ou aquele acelerar nos batimentos cardíacos. O 'eu te amo' devia ter um pouco mais de consideração e respeito. Afinal, é a frase mais marcante e bonita que existe. É ela quem se responsabiliza por unir os corações. Esta frase é o simples fator que completa as equações das vidas dos apaixonados.


"[...] E assim, com o passar do tempo e de várias provas de amor de Pedro, Sofia foi mesmo percebendo que ele lhe dizia palavras sinceras. Após muitos 'eu te amo', Pedro conseguiu deixar de lado sua aparência supérflua e resolveu convencer, de uma vez por todas, que Sofia era o amor de sua vida. Ela aceitou a última tentativa dele de se unir à ela e os dois estão juntos, felizes e apaixonados até hoje!"


Moral da história: diga 'eu te amo' quando estiver seguro de si. "Da boca pra fora", jamais!






Pauta para o Blorkutando - 74ª Semana: Falar de amor não é amar.




*** 

Olá, gente! Tudo bom com vocês?
Minha passagem por aqui será rápida, pois meu tempo tá cada vez mais precioso. Com o terceiro ano e a tensão do vestibular, meus dias seguem uma rotina bem rígida. E assim , só atualizarei duas vezes por semana, ou até mesmo uma só. Desculpem a incopetência, mas é por uma boa causa. Sei que vocês hão de me entender, pois é meu sonho que tá em jogo. E eu prefiro dançar conforme a música.

Vamos aos fatos? Eu comecei bem o ano, participando das aulas e entregando as atividades nos prazos certos. A sistemática de ensino mudou completamente, agora estudamos que nem nas universidades, por semestre! Deixem-me explicar: teremos seis disciplinas num semestre e cinco no outro. Se já tiver passado nas matérias do primeiro semestre, já era! Morreu a parada! Agora se ficar... Dá problema. E mais: entramos às 13:15 e saímos às 18:30 na segunda-feira e nos demais dias, 17:40. Um absurdo. E assim como todo mundo, eu não concordei com os horários, apesar de ser melhor pra todo mundo. Agora a escola está dominada pelos novatos, eu tô abafando na elite da escola - pra quem não sabe, o terceiro ano é sinônimo de popularidade - e a galera desse ano vem com tudo! Muita coisa ainda está por vir, muita coisa ainda vai mudar (já diz o NX Zero ;D).

E bem, por ora, é só. No sábado volto a atualizar, e pra contar como foi o fim da primeira semana na escola!


Beijos, abraços, aperto de mão, e até a próxima!

12 pseudocomentaram:

James Pimentel disse...

Já ganhou, já ganhou, já ganhou!!!!

Cara, como você teve essa ideia? kkk, perfeitaaaaaaa!!
Eu tenho a ideia de um, espero poder competir com a sua, rs!!!

No terceiro ano eu tbm me sentia assim, popular. Mas qndo eu entrei na faculdade vi que não era nada e assim desejo ser: um anônimo no mundo dos outros, protagonista principal no meu mundo [filosofei]
sausuhshuashahs

abraçãooo

l a l a h disse...

Dessa pauta eu gostei e até vou escrever... A sua ficou otima....
Anem você falando fico numa saudade do meu terceiro ano... to entrando na faculdade agora :S

Bjus amigo, não suma.

Jana Barreto disse...

eu acho meio chato ficar 'rotulando' um eu te amo... apreço também é amor, na minha opinião. como me disse Clara, não se mede sentimentos. Acredito que basta ser sincero, então, eu te amo vale sim.
Boa sorte, com certeza vai pro topo!

Mel disse...

Com certeza já ganhou!

Uma graça a história de Pedro e Sofia, a forma como você falou do amor e depois a conclusão. Genial. Acho que o amor da boca pra fora é um gostar pequeno e sem vida. O amor deve ser demonstrado, apesar de tudo, confesso que já me embolei em meus sentimentos e disse um ou dois 'eu te amo's sem realmente senti-lo.
Boa sorte em seu terceiro ano, o meu ainda vai demorar mais um ano! Beijos, Mel

A!!ªN disse...

gostei daqui
muito bom o texto..parabéns
to te seguindo....

Tata disse...

Já ganhou mesmo *-*
Fiquei até desanimada de escrever agora.. UHSAUHSUHSUHASUHA
Mas, entãaao, adorei mesmo seu texto, menine! Ficou muito bom, parabéns!
Saudades do meu terceiro ano.. eu sei que me esforcei muito, mas dava pra ter me esforçado mais, sabe? Agora, já foi. Fiz um ano de cursinho e, mesmo que tenha demorado um ano a mais pra chegar na faculdade, tenho certeza que tudo que eu vivi naquele perído valeu muito a pena, dicona ;)
Agora, posso até falar aquela coisa tosca, porém verdadeira, que o povo fica enlouquecido: "foi mal, mas a minha é federal" =P
LOL

Danii Ferreira disse...

Nossa, tá simplesmente lindo esse texto'
Todo mundo precisa mesmo saber diferenciar os sentimentos.'
O amor é tão mágico'. Eu já disse eu te amo às vezes da boca pra fora, algumas vezes me arrependi sim', mas enfim, percebi e aprendi a saber pra quem eu realmente devo dizer isso :D E descobri, que são poucas as pessoas que merecem :x

cн૯ℓуηнα disse...

Aff Tiêgo tem com nao gostar dos seus posts creio que seja impossivel toda vez que venho até aki é algo novo e interessante...Adooorro mto tudo isso.

3° ano e bem complicado ms chegio de escolhas e deveres,mais vc conseguira passar por ele facinho.

BJuss e obrigado pela vistinha.

See You Later disse...

Gostei muito, com certeza vai ganhar! Estou seguindo.. beijos

Tata disse...

GANHOU!
AEAEAEAEAEEA \O/

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Sei como é essa tensão do terceiro ano, que só passa depois do resultado do vestibular. Acabei de passar por isso, mas- acredite! - vale a pena todo esse esforço quando você vê que aquele nome na lista de aprovados é o seu. ;)

E eu amei o seu texto!
"O amor é a sensação mais envolvente e estonteante de todas" Mas é preciso responsabilidade para distinguí-lo dos outros sentimentos, como você frisou.
*

baobah disse...

Acho que você ganhou hein?
Vou lá no BK ver o resultado!

beijos
http://minidesastres.blogspot.com