sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Vamos brincar de estar de férias?

Quando pequeno, lembro perfeitamente da angústia que me assolava nos meses de junho e novembro, vulgos os meses que precedem as férias anuais. Fazia planos e mais planos: queria construir castelos imensos na areia e ganhar o mundo em cima de um patinete velho; sonhava com as horas em que passaria enfiado numa piscina e também sonhava com a bagunça de fim de tarde. Porém, à medida em que fui crescendo e vendo que o mundo não ia permitir que os meus devaneios continuassem sendo criados, passei a ser um pouco mais, digamos, realista a respeito deste período tão cobiçado por uns e odiado por outros.

As férias desempenham um papel crucial em nossas vidas: todas as neuras, todos os estresses e complicações se vão quando elas chegam. Eu sem dúvida gostava e gosto delas, porque é o tempo de se divertir, de relaxar e de se alegrar´por vários dias sem se preocupar com regras e deveres para cumprir. Mas aí é que se encontra o X da questão: em excesso, nada é legal. Nem mesmo a diversão - que o diga os baladeiros de plantão que caem na night e extrapolam na alegria. Sou do time dos que curtem as férias do jeito "deixo a vida me levar". Pode ser que num dia eu saia de casa e curta com meus amigos, ou fique jogando videogame com eles; ou pode simplesmente ser que eu entre no MSN e digite a frase "ai que tédio" e saia gritando Twitter afora o quanto queria estar na sala de aula com as mesmas paredes, o mesmo chão, a mesma turma com as mesmas caras que você já está enjoado de tanto olhar. Querendo ou não, a instabilidade toma conta de todos nós no período das férias.

O conselho que eu posso dar para quem está de férias assim como eu é  um clichê barato, que há muito já me vem fazendo sentido e que serve para todos: vamos viver um dia de cada vez. Porque afinal, férias são férias. Seja com a rotina que nos mata de desgosto, seja com as saídas com a galera sem horário pra chegar em casa. Férias é uma temporada para se viver mais intensamente do que já vivemos a cada dia. Que tal torná-las ainda mais incríveis apreciando o passar das vinte e quatro horas sem se preocupar com nada? Tudo fica bem melhor quando não existem motivos para ficar tenso. E com as férias não é nem um pouco diferente. Vamos nos deixar viver nestas férias! Sem medo de ser feliz!



Pauta para o Blorkutando.


Crianças lindas do meu coração! Perdoem-me a incompetência! Mas tenho motivos plausíveis pra vocês me perdoarem, seus lindos. É que hoje foi a formatura das crianças da escola onde trabalho e vocês não tem noção do que foi a correria de quinta-feira pra cá. Tanto que tô postando de madrugada, cozóio loucos pra repousar e com uma vontade terrível de só acordar domingo. Tinha tantos baphos pra contar pra vocês, acaba que eu tô correndo aqui praticamente. Primeira vez que posto de um notebook, kixike, risos. E tô achando tenso procurar onde ficam as coisas... ENFIM, prolonguei o conto "Um Encontro No Metrô" e não serão cinco capítulos como planejei e sim seis. AMANHÃ SEM FALTA (em caps lock pra ninguém esquecer) tem o quarto capítulo! Tá do babado! Mas olha, deu pra mim. Amanhã meu papo com vocês será melhor, tô trêbado de sono.


Pra vocês que me leem,


1 pseudocomentaram:

Belisa Cardoso disse...

É verdade as férias fazem parte de nossas vidas,são sinônimo de imaginação sem limites.
Muito legal o seu post!!!!
bejocas Tiii