domingo, 19 de fevereiro de 2012

Aprendendo com o tio Tiêgo #1: Resenha

Olá, queridos! Pois então, já postei hoje, já desabafei e cuspi minhas mágoas fora e já prometi que vou dar tchau para a ingenuidade e tudo o mais como vocês podem ver no post abaixo. Mas por uma obra linda do destino que quis que meu lado professor de língua portuguesa em formação aflorasse mais rápido do que o normal, decidi estrear uma seção nova no blog chamada "Aprendendo com o Tio Tiêgo" onde meus leitores lindos e maravilhosos vão poder desfrutar dos meus conhecimentos adquiridos na universidade, usando-os para si (eu espero) para todo o sempre, amém.

Enfim, deixando a lenga-lenga para lá e indo ao que interessa, a aula do dia é sobre resenhas ou sobre como a fubá na internet resolveu "orkutizá-las" (muito obrigado pela definição, !) de uma hora para outra, tecendo comentários mais pessoais do que as minhas roupas íntimas a respeito de livros, filmes e companhia. A galera aí não está se tocando, infelizmente, que uma resenha vai muito além de "amei o livro e recomendo, me emocionou!". A resenha, na maioria das vezes crítica, vai mostrar (como o próprio nome sugere) o posicionamento crítico do resenhista a respeito da obra analisada, seja expondo a mesma e apontando os fatores positivos e negativos, seja criticando a obra como um todo - mas sempre, sempre fazendo referência ao autor da obra e jamais enfatizando mais a sua opinião e esquecendo do principal a ser analisado.

Indo por um caminho mais nerd (alô povo que tá na faculdade, essa é pra vocês!), a resenha pode ser descritiva (quando se limita apenas descrever algo, sem expor a sua real posição sobre - ou seja, é um resumo só que com o nome mais fresco - essa não nos interessa porque eu sei que vocês adoram meter a primeira pessoa do singular nos textos de vocês) e pode ser também crítica, que é a que nos interessa de verdade. Para ser considerada uma resenha crítica, você deve colocar na sua, obrigatoriamente:

1- Título da sua resenha (não preciso dizer nada sobre, preciso?)
2 - Referência bibliográfica (aqui na referência bibliográfica ficam apenas o 'essencial' a respeito da obra: autor, título da obra, nome da editora, data, número de páginas, lugar onde a obra foi publicada e o preço da mesma)
3- O básico de dados bibliográficos do autor da obra (como origem, quantos livros publicou, famoso por tal livro, etc)
4- O resumo do conteúdo da obra analisada (só aquele apanhado geral bem resumido, do tipo "'Crepúsculo' é a história da menina pateta chamada Bella que se apaixona por um vampiro gay chamado Edward") e o principal,
5- A AVALIAÇÃO CRÍTICA DO RESENHISTA. Reza a lenda que um bom resenhista jamais lê o seu objeto de avaliação uma só vez, mas é só uma lenda. Você pode ser bom o bastante para ler uma vez e resenhar sua obra sem medo de ser feliz, apenas atentando para não deslizar em certos erros que nós vemos que os novos 'resenhistões' da blogosfera literária em especial cometem e muito. Um exemplo de erro comum nas resenhas é o esquecimento parcial ou total do resenhista de expor diretamente os pontos negativos e positivos da sua obra analisada - e ao invés disso, o mesmo resenhista exagera nos "eu": 'fiquei encantado com o livro', 'o filme me impactou', 'chorei quando terminei de ler o primeiro capítulo' e por ai vai. Atençãozinha aí, galera. A sua avaliação crítica é o que realmente conta na resenha, nunca se esqueça disso. É nela que se encontra toda a graça do negócio!

Para iniciar sua resenha (e garanto que ajuda), comece expondo a obra em questão, de preferência já mostrando a sua crítica, mesmo que em palavras, como no exemplo a seguir:
"Querido John - O que você faria se uma carta de amor mudasse sua vida?" (Moderna, 2009, 250 páginas) do inglês Nicholas Sparks, mostra com precisão numa trama envolvente que o amor pode sobreviver à distâncias maiores do que o coração pode imaginar.
Esse foi só um exemplo de como iniciar, viu? Os dados são imprecisos, não me joguem pedras.
E depois de iniciar a resenha, uma vez que você já iniciou sua crítica, pode desenrolá-la da maneira que achar melhor. Lembrando que deve-se expor o resumão da obra resenhada logo após introduzir a resenha (e você pode inserir seus comentários logo no resumo) e evitar deixar acumular sua critica para o final. Muita gente peca nesse aspecto por achar que a resenha é 80% resumo e o resto de crítica. É até absurda a ideia de só resumir uma resenha sem tentar sequer introduzir um adjetivo entre as frases da introdução ou do resumo.

E só para finalizar, algumas dicas de alguém que (acha que) entende do bapho para ajudar a todos na confecção das suas resenhas:

- Pelo amor de Deus, NUNCA, NUNCA abreviem, usem emoticons ou coisa do tipo em suas resenhas. Tentem escrever como se estivessem numa prova de redação - que eu aposto que vocês nem cogitam a possibilidade de usar tais absurdos nos parágrafos;
- Antes de resenhar, procure mais informações a respeito do que você irá analisar criticamente. Isso ajuda a dar um norte antes de começarmos a escrever e ainda enriquece o conhecimento adquirido depois da leitura ou de ver um filme, por exemplo;
- A partir do momento em que você clica em "publicar", a sua crítica será vista por todos - inclusive poderá ser vista pelo alvo dos seus comentários, por mais que seja absurdo imaginar que J.K Rowling esteja na frente de um notebook lendo a sua resenha sobre Harry Potter e o Enigma do Príncipe. Logo, você poderá ser também alvo de críticas pelo o que escreveu. Saiba lidar com gente que fala mal sem piedade, porque isso é normal e você deu sua cara a tapa, mesmo sem saber;
- Antes de mais nada, escreva a resenha para si. Nunca comece-a pensando nos demais.
- E para finalizar, sua resenha é seu reflexo. Quanto mais bonitos aparentamos ser, mais atraimos pessoas para nos conhecer. É exatamente assim que acontece não só com a resenha, mas com todo tipo de texto. Se sua linguagem é boa, formatou legal seu texto, seguiu todas as regras para uma boa resenha, já atrai logo de cara quem se depara com seu texto.

E a nossa aula vai ficando por aqui! Se eu publicasse uma das resenhas que fiz durante o período passado na faculdade, com certeza vocês iriam dormir e o texto ficaria grande demais e esse não é meu intuito. Assim que eu terminar de ler um dos mil livros que estão na minha estante para devorar, farei uma resenha só para mostrar a vocês um exemplo dessa linda toda polida e cheia de mimimi - mas que fica bem mais linda do que umas que vi por aí. É isso, pessoal, façam o dever de casa direitinho e até a próxima aula!

-
PS: aqui tem um modelo de resenha crítica de livro e eu tirei algumas informações do texto daqui deste guia de Produção Textual. Façam bom proveito!

13 pseudocomentaram:

Babi Farias disse...

Olha o que nosso papo rendeu, rapaz... Adorei, li tudinho e dicas anotadas, profe! Vamos divulgar esse post, porque tem um povo desinformado precisando ler!

Beijo, Tii.

Nati disse...

Meu lindo, tu sambou na cara dessa gente metida a resenhista. Particularmente, acho que para alguém querer fazer alguma coisa, tem que entender e saber fazer corretamente.

E essa questão de escrever sem emoticon, abreviações e gírias, de seus respectivos estados, que quando nós chegamos pra ler, não entendemos nada e acabamos fechando a página sem nem conhecer o blog por inteiro.

Enfim, para se fazer, tem que entender e saber a fundo o que está fazendo para não ser ridicularizado.

Beijo

Jeniffer Yara disse...

Que ótimo que nosso papo no twitter rendeu viu, graças a Vanessa e ao Fê <3 Dicas anotadas, li tudo e entendi tudo, até faço algumas coisas que você citou(me senti responsável),haha'.

Quero mais textos do Aprendendo com o tio Tiêgo, ficou maravilhoso!
Vou divulgar por aí, como a Babi falou, tem muitas pessoas precisando ler seu texto.

Beijos

Gabriela Andrade disse...

Gostei das dicas e, concordo em gênero, grau e número com essa:
"Pelo amor de Deus, NUNCA, NUNCA abreviem, usem emoticons ou coisa do tipo em suas resenhas. Tentem escrever como se estivessem numa prova de redação - que eu aposto que vocês nem cogitam a possibilidade de usar tais absurdos nos parágrafos (...)"
Sério, isso é meio que auto-tiração.

Beijos!

Caroline Farias disse...

Confesso que já fui metida a resenhista e tal, mas particularmente adorei esse post!
Tenho orgulho de pessoas como você que sambam mesmo na cara de resenhistas tolos que NUNCA expõe sua opinião verdadeira pra não perder parceria com editora. Mereço isso? Gostei muito mesmo, e confesso mais, tirei bom proveito das dicas para minhas próximas resenhas no Skoob.

Beijos

Jota disse...

Tive essa aula na faculdade também. Pensei que ia sair arrebentando com uma resenha minha, mas consegui nota 3,0 de 5,0.
Eu tenho dificuldade com a crítica e adoro a literária. Você já deve ter percebido a minha mania de mesclar as duas né? Ah, vamos combinar, eu posso fugir dos padrões um pouco e ser feliz não é? kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Tio Tiêgo, sou seu fã guri. Continue assim (:

By

Sammy disse...

Dicas fabulosas, com certeza serão bem aproveitadas, li e re-li para compreender bem e sei que seu ensinamento, Tia Tiêgo, vai ser muito útil para mim e futuras resenhas! Não veja a hora da próxima aula!

Bjs

Jade Amorim disse...

Divo, agora você me preocupou. Não sei se sou uma completa farsa ou estou indo "mais ou menos" nesse negócio de resenha.

Obviamente suas dicas foram maaara, só que estou insegura agora. #comofas?

Beijos.

Vanessa disse...

Que beleza de post! Que tapa na cara dessa galerinha que acha que está abafando, mas não sabe nada de nada. O que custa estudar, pesquisar, queimar a cabeça um pouquinho? Ninguém é obrigado a fazer uma resenha incrível na blogosfera, mas se você se compromete e dá esse nome de resenha ao seu boi, então trate de arrasar e seguir as regras. Eu não me comprometo se não me garanto. Incrível, mas eu acho que a galera da blogosfera está precisando estudar mais.

Felipe disse...

Incrível Tiêgo. Está aí uma DICONA para quem quer escrever as VERDADEIRAS RESENHAS em seus blogs. Aprender nunca é demais. E se quer fazer uma coisa bem feita é necessário pesquisar ir atrás e fazer segundo as normas vigentes.
Mas que fique claro que isso não é só para blogueiros é também para os universitários que com certeza um dia farão muitas resenhas.
Quem quiser aprender a chance tá aí.

L.H.C disse...

Dicas muito válidas, Tiêgo! Tem muita gente se achando colunista do NY Times por aí. Sério mesmo, além de começar a fazer uma resenha de verdade, poderiam também começar a ler livros de verdade.

Thamy disse...

Haha vou salvar as dicas para quando for fazer as minhas!

Me sinto tão, mas tão aliviado que ache o mesmo sobre poesia. Não sabe o quanto foi dificil para mim contar aquilo, porque tenho leitores que tem blogs só sobre isso e quando eles comentam e eu vou retribuir eu fico nos mesmos comentários que o seu " Nossa, que profundo"! rs

Suzi C.L. disse...

Eu nunca sei ao certo que caminho seguir numa resenha. Digo, resenhas acadêmicas são bem mais apuradas. As da internet são informais. Eu sou mais informal :'D
Blog Abstrações