domingo, 26 de fevereiro de 2012

A mitologia que encanta


RIORDAN, Rick. "Percy Jackson e os Olimpianos - O Ladrão de Raios". Ed. Intrínseca, 2ª edição, 387 páginas. 2009, Rio de Janeiro.


Resenhado por Tiêgo Ramon Alencar


Parece que as aulas de história e inglês lecionadas aos alunos de escola pública de Rick Riordan ao longo de quinze anos de sua vida só o ajudaram a tecer um dos fenômenos literários que arrebataram uma multidão de fãs, mesmo com a saga Harry Potter e a saga Crepúsculo no auge do sucesso. Nascido em San Antonio, no Texas, EUA, Rick Riordan, como fora dito, lecionou por anos antes de começar a escrever a série Percy Jackson, que o levou à fama quase que imediata. Agora, com a mulher e os dois filhos, Riordan se dedica integralmente aos livros da série, que já ultrapassa os quinze milhões de cópias vendidas em todo o mundo.
Percy Jackson e os Olimpianos - O Ladrão de Raios narra a história do personagem que dá nome à série, Percy, que tem dislexia e transtorno de déficit de atenção mas que tem sua vida virada de pernas para o ar ao descobrir, aos doze anos, que é um meio-sangue (filho de um deus do olimpo com uma humana). Após saber, mesmo que não totalmente, deste fato, Percy é levado por sua mãe e por seu melhor amigo, que se revela um sátiro, Grover, para o acampamento Meio-Sangue onde os filhos dos deuses e deusas devem ficar. Indo para lá, Percy, sua mãe e Grover são atacados por uma figura mitológica decidida a matar e um dos três acaba sendo levado. Este é apenas o começo de uma série de obstáculos que estarão no caminho de Percy. Logo lhe é contada a sua história por Quíron (também seu amigo) e lhe é revelado que Zeus está furioso pois seu raio-mestre fora roubado - e Percy é o acusado do roubo. Para provar sua inocência e ajudar seu pai, um dos deuses do Olimpo, o garoto passa por mil e um obstáculos ao lado de Grover e de Annabeth (outra amiga, só que do acampamento Meio-Sangue) até chegar ao seu destino final - onde um desafio ainda maior o aguarda.
Recheado de mitologia grega, diversão e aventura, Percy Jackson explora um universo no mínimo inusitado em tempos de vampiros e magia. A ousadia de Rick Riordan ao abordar os deuses do olimpo e seus filhos vivendo em pleno século XXI sem parecer fantasioso demais é digna de reconhecimento. Mesmo aos que não são fãs deste tipo de história, o livro é mais do que recomendado, justamente por quebrar os paradigmas daquela mitologia clássica que é aprendida em história ou em filosofia. Riordan utiliza uma linguagem bastante acessível e não tem medo de inovar ao acrescentar a jovialidade essencial nas palavras ditas por Percy durante todo o livro. A cada página lida, depara-se com algo diferente para aprender e com lições diferentes para tomar. A idade do pequeno Percy não influencia em nada na formação de nossas opiniões acerca de tudo que ele passa no decorrer da narrativa (que diga-se de passagem não cansa e é bastante prazerosa para um livro de quase quatrocentas páginas). E não focando apenas no Percy, tudo o que aprendemos com Quíron, Grover, Annabeth e os demais personagens da história pode ser levado para sempre conosco, exatamente por ultrapassar os limites do clássico e atingir o atual, o moderno, aquilo que é cada vez mais fácil de adquirir (entenda-se por isso o conhecimento ganho com a leitura).
Num equilíbrio perfeito entre a fantasia e a realidade, Percy Jackson e os Olimpianos - O Ladrão de Raios não decepciona nem um pouco, desde o início até o fim. Com sacadas inteligentes, Riordan elaborou a narrativa para todas as idades e o autor não ficou atrás ao amarrar uma história à outra. As comparações com a saga Harry Potter são mais do que inevitáveis, mas pode-se assegurar que as histórias tem rumos diferentes, enredos diferentes e focos completamente distintos. Não é pelo personagem descobrir cedo que é filho de um deus do Olimpo com uma humana ou por haver doses de fantasia no livro que ele se parecerá com a cria de J. K. Rowling. Durante a leitura de Percy Jackson, é impossível associar algo a Harry Potter. Talvez depois, quando Percy firma sua amizade com Annabeth e Grover, o que lembra Harry com Rony e Hermione, mas é como fora mencionado acima: uma série é totamente distinta da outra. Pode-se ler sem receio de que uma seja cópia da outra, pois não é.
Surpreendendo muito mais do que era esperado, o livro é viciante. Tudo é colocado na medida certa, sem exageros nem excessos. Percy Jackson é um marco na literatura fantástica e, por muitos, já é considerado um dos maiores fenômenos literários de mitologia grega existentes. É hora de dar o braço a torcer e passar a começar a acreditar que deuses podem estar mais perto de nós do que imaginamos. Perseu Jackson que o diga.

***
E esta é a minha resenha-exemplo que prometi no post inicial do "aprendendo com o Tio Tiêgo" sobre resenhas! Espero que vocês tirem um bom proveito dela! Achei polida demais, mas tudo bem, rs. Ah, e fica a dica: o box da série com os cinco livros no Submarino tá baratíssimo! Fiquei desesperado pra comprar! Mês que vem darei um jeito de adquirir todos! Cliquem bem aqui pra desejarem mais do que nunca essa série sensacional toda linda só pra vocês (e ignorem que o box está classificado como "ficção científica". PFFFF. 
 Pois é, gatos, acho que é isso! Logo mais estarei voltando para uma nova enxurrada de posts antes de voltar a estudar. SE BEM QUE tenho outro bapho péssimo pra vocês: mudaram o meu bloco na universidade e jogaram os alunos de Letras e Artes pra um bloco no quinto dos infernos, que ainda está incompleto! Vou ter um troço se tiver que esperar mais um mês pra voltar às aulas - confesso que não aguento mais esperar para o segundo semestre! Mais detalhes do andar dessa história nos próximos posts. Todos chora :/ Beijão e até mais!

5 pseudocomentaram:

Sammy disse...

Oi Tiêgo!

Nossa, fiquei na curiosidade agora! Mesmo já tendo ouvido falar do livro e tal, não tinha me interessado, mas ao ler sua resenha, fiquei com agua na boca para ler! Sem dúvidas é uma resenha, para se apreender!

Bjs

Vanessa disse...

Que resenha boa, simplesmente porque é uma resenha de verdade hahahaha Mas olha, sempre passei longe dessa série de livros. Ainda que brinque com a mitologia. Porque pra mim tá brincando, né? hahaha

Gabriela Andrade disse...

Ai, Tiêgo, você foi phyno demais nessa resenha! Hahaha.
Não achei tão polido, como você disse, porque estou acostumada com esse up na formalidade...
E eu me encaixo no grupo que você citou, os que não gostam muito de ficção, embora confesso que com esse preço (ainda estou calculando quanto sairá cada livro nesse pacote - sou de humanas né... haha), deve valer a pena arriscar, também, fiquei interessada pela história, pelo menos pareceu ser bastante interessante nas suas palavras.

Edenilton Santos disse...

Estou adorando Percy Jackson, comprei a coleção no final das férias em janeiro. Li os dois primeiro, mas tive que dar um tempo por causa das aulas e priorizar os livros da faculdade. A resenha está ótima. Quem não conhece ainda a história não sabe o que está perdendo.
Abçs.

Edenilton Santos disse...

Estou adorando Percy Jackson, comprei a coleção no final das férias em janeiro. Li os dois primeiro, mas tive que dar um tempo por causa das aulas e priorizar os livros da faculdade. A resenha está ótima. Quem não conhece ainda a história não sabe o que está perdendo.
Abçs.