sexta-feira, 23 de julho de 2010

Gostar é sinônimo de discutir, mas também de dialogar, de negociar...

Eu gosto muito de chocolate branco. Sempre que posso, vou até o mercado e compro uma barrinha pra ficar feliz. Mas minha amiga, a Má, detesta chocolate branco e prefere mil vezes o amargo. Certa vez, a Má veio aqui em casa e a gente conseguiu fazer, depois de muito tempo, a noite liberada, na qual a gente fazia o que quisesse e desse na telha. No decorrer das compras pra noite, chegamos na seção de chocolates do supermercado e, como nossas economias significavam uma escolha só em um tipo de chocolate, formou-se a briga. Eu, quase berrando pra ela que o chocolate branco era melhor e ela, esperneando, apostando tudo o que ela tinha em cima do chocolate amargo.

Nesse dia, eu dei o braço a torcer e comprei uma barra imensa de chocolate amargo.

Quando chegamos em casa, que fomos comer e falar besteiras vendo filmes de suspense pra ficarmos acordados a noite toda, minha vontade de dar uma dentada no chocolate foi maior. E a Má me pegou, dizendo que gosto era mesmo uma questão muito relativa e que se eu nunca tivesse experimentado, jamais saberia que o amargo podia ser tão consumível quanto o branco. Daí, comecei a pensar numa questão que geralmente dá dor de cabeça em muitas pessoas: preferências. Na música, nas telinhas, nos livros, na internet. Há diferenças em todo o lugar e é quase impossível encontrar alguém que goste das mesmas coisas que você gosta. Tivemos um ótimo exemplo há alguns dias, com a briga entre o Fiuk e o Felipe Neto. Essa briga dividiu, literalmente, o twitter. De um lado, aqueles que achavam um absurdo que uma pessoa fique famosa falando mal de outra(s). Do outro, os que acreditavam que a verdade merece mesmo ser dita, mesmo que com palavras maldosas. Vou confessar que apoiei o Felipe Neto e sua verdade incontestável a respeito dos famosos que ele criticou, mas eu também preciso falar que tive que encarar a fúria de muitas pessoas por eu estar, supostamente, apoiando o lado negro das coisas. E aí que eu vi a questão do gosto de novo. Porque eu jamais ia ter total razão em cima de minha tese, porque o mundo é completamente diferente. Mais diferente do que você possa imaginar. As divergências sempre existirão, por mais que você encontre aquela pessoa que ama rock, assim como você, mas que detesta ler, coisa que você ama. As chances são grandes de chegar a uma discussão feia por causa de gosto. Só que eu acredito que não valha muito a pena estimular o lado discussivo-explosivo das pessoas, se você já tem vaga noção de onde isso vá parar.

Portanto, gosto é discutível, sim. Tá que não é muito boa ideia discutir sobre ele, mas é bom parar pra pensar um pouco no que lhe é conveniente. Não que eu seja o maior fã de chocolate amargo, mas aprendi a aceitar determinados gostos alheios. Assim como eu fiz a Má se trair comendo um pedaço imenso da minha barrinha sagrada de chocolate branco. Além de evitar eventuais brigas sem motivo, nem cola ficar discutindo por algo tão particular. O gosto é seu, a preferência é sua e pronto. Nada justifica a briga por tanta igualdade nos gostos. Senão o que seria do arroz sem o feijão e do amor sem o ódio?


Pauta para o Blorkutando - 95ª Semana : Gosto não se discute?

4 pseudocomentaram:

Jeniffer Yara disse...

Ah concordo com você! *.*

Sempre escrevendo maravilhosamente,espero que ganhe!

Beijos.

Italo Stauffenberg disse...

Sempre surpreendendo. Vendo por este lado...

Sorte na pauta!

Abraço.

M. disse...

Depende da situção, da pessoa e do clima para se discutir um gosto. Há momentos que o silêncio é um melhor caminho para mostrar algum sinal de respeito.

Anônimo disse...

Moreover, due to the basic necessity performed by our company, the UK voter cash for a long period of time to get rid of all kinds of financial difficulties. c) Age should not be obstacle tired for applying for advance valid active checking. payday loans With the aid of this combination of a sufficient amount and a suitable employment record, to him in the quickest manner after he has been approved. Even if a person has bad by greatly in this way.