sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Dinheiro: o dono da razão.


Não é exagero nem mentira dizer que o planeta gira (depois do sol, claro) em torno do dinheiro. E nem adianta mandar aquele velho papo de que "primeiro vem as coisas espirituais" porque não cola mais. Gente, vamos acordar? Nós conseguimos nos alimentar com ar? Nós podemos nos vestir com poeira? E como fazer pra contatar aquele parente tão querido e que mora tão longe? Pode-se afirmar com cem por cento de certeza que a sociedade está submissa sim ao poder inestimável que o dinheiro detém.

Acredito que o que pode fazer o real valor do dinheiro mudar é a maneira como a pessoa vai aplicá-lo. O cheque pode ter inúmeros zeros, mas se seu uso for ilegal, seria exatamente como receber de troco uma moeda de cinquenta centavos, por exemplo. Mesmo que aqueles zeros tenham valor comercial, seu destino será ilícito. E é esse tipo de atitude que desvaloriza cada centavo gasto. Eu provavelmente não aceitaria uma maleta cheia de dinheiro se soubesse que ele provinha de algo 'sujo', fora-da-lei. Muitas pessoas nem pensariam duas vezes, mas eu prefiro milhares de vezes ganhar meu salário honesto e pouco, sabendo que fiz por merecê-lo.

As pessoas brigam por dinheiro e são tão aficcionadas por ele que chegam ao ponto de acabar com a vida de alguém. Acompanhamos diversos casos na TV sobre isso; filhos que mataram os pais por causa da herança generosa que seria dividida entre os familiares (a Suzane von Richtöffen serve como um belo exemplo disso). Políticos corruptos que desviam dinheiro público para seus próprios prazeres não pensam nem um pouco nas outras pessoas que sairão profundamente prejudicadas com o ato nada correto. A sensação de poder, de dominação sobre os demais que o dinheiro transpassa que é o grande causador de todo este mal; até porque ninguém quer ficar por baixo de ninguém em tempos em que somos obrigados (sim, obrigados) a ser, no mínimo, apresentáveis. Nunca se prezou tanto a boa aparência como hoje. E por trás de tudo que fazemos para melhorá-la, quem se esconde? O dinheiro, não é incrível?!

Admito que o dinheiro me é muito mais essencial do que o padrão considerado 'normal' - se é que existe um padrão considerado normal, não é? - para as pessoas. Porém, sei exatamente o que fazer com o que ganho, mesmo que nem sempre eu possa me dar ao luxo de comprar tudo o que quero. Utilizo o dinheiro da forma mais consciente possível, por mais que o capitalismo queira me arrastar para o mar da perdição dos endividados. É apenas uma questão de saber bem como e onde usar seu dinheiro. Ele traz (muita) felicidade sim, e atire a primeira pedra quem disser que não!



Pauta para o Blorkutando - 102ª Semana: Money.

***

E por aqui acaba minha postagem quase diária. Me ocuparei ao máximo esse fim-de-semana e ficarei impossibilitado de postar, volto só na semana que vem. Espero que tenham achado uma explosão de conteúdo pra pouco tempo, desculpem-me o exagero. É da minha natureza ser exagerado assim com as palavras mesmo. Espero vocês semana que vem! Até a próxima!

12 pseudocomentaram:

Jeniffer Yara disse...

Concordo com você ao dizer que o mundo,depois do sol,gira em torno do dinheiro.Não é uma coisa legal,mas é a realidade.
Eu tento no máximo não ir para o caminho da perdição de compras e mais compras,mas confesso,ás vezes,exagero.rs

Beijos.

Jota disse...

Feliz podium, rs :D

Zettel disse...

Realmente, nada faz muito sentido sem dinheiro.
Gostei do blog, continue assim ^^

Allan disse...

concordo com você Tiêgo, dinheiro é fundamental, porém tem gente que dá importância extrema a ele, como se fosse a razão de viver, por isso há muita morte em favor disso. Eu valorizo cada centavo que eu ganho kpsoksposk

Gêsa disse...

Muito bom seu texto, Tiêgo.
Dinheiro traz felicidade sim, mas não significa que se você não o tem não pode ser feliz. No fim das contas a felicidade tem muito haver com simplicidade, a diferença é que o que simples pra mim, pode não ser pra você.

Bjo, até mais.
(:

M. disse...

Acharia demagogia da minha parte dizer que dinheiro não traz felicidade. O mundo está cada vez mais capitalista e para ser aceito o ser virou ter desde que o o fogo foi inventado.

Jéssica Fiaz disse...

Olá, como vai? Eu queria convidar você que gosta de escrever - blogueiros ou não - para participarem do projeto "De onde veem as letras?".

A cada semana são dois desafios: um de leitura de imagens e um outro variado. E a cada semana teremos dois vencedores: um blogueiro e um outro não-blogueiro. E os textos serão publicados no blog: http://deondeveemasletras.blogspot.com/

Para se cadastrar e saber mais informações visite nossa comunidade: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=106177803

Obrigada!

mms disse...

Dinheiro na nossa sociedade é algo de extrema importância, apesar das consequências que ela trás acho que o mundo não esta preparado para o socialismo, as pessoas ja estão dependentes do capital ._.

Fuve disse...

Tiêgo, posso colocar teu blog nos "indicados" do meu? =D

Yasmin Kuhnert disse...

Dinheiro sempre foi o centro de tudo e agora está pior ainda. Bem dizem os policias, siga o dinheiro e descubra quem cometeu o crime. Afinal não há nada de errado que nao esteja ligado a ele. As pessoas não pensam, e só enxergam o que ele pode comprar, esquecendo que as coisas importantes da vida ele não compra, ou pelo menos não deveria. =) Voltei.

Italo Stauffenberg disse...

virou DIVO, parabéns, mais um vez!

Vc merece!

Erica Ferro disse...

Ao que parece, essa sociedade caduca e hipócrita realmente valoriza muito mais o "ter" do que "ser". É verdade, também, que o dinheiro nos traz muitos prazeres, muitos momentos felizes, momentos luxuosos. Mas quem procura preencher algum tipo de vazio, de contentamento que não podem ser preenchidos por alguns momentos "felizes", se realmente tratar-se de um preenchimento da "alma", jamais tal pessoa conseguirá se preencher-se com milhões de dinheiro. Será sempre aquele milionário vazio.
Eu vejo assim...

Beijo, Tiêgo.