segunda-feira, 30 de maio de 2011

Cinza ou colorido?

 

Lá em 2005, quando me foi ensinado em Estudos Sociais o uso ofensivo e altamente prejudicial à saúde do cigarro, não fazia ideia do que era a dimensão deste problema presente em toda a sociedade. Passaram-se anos e anos e parecia que a história só piorava: o que antes eu só via entre os dedos de adultos, já estava vendo nas mãos de adolescentes. E isso realmente começou a me preocupar.

Não vou mentir: já me ofereceram cigarro sim. De todos os tipos, cores, cheiros e sabores. Nunca experimentei. Nunca senti a menor vontade de colocar aquela bomba tóxica na boca para sair cuspindo uma fumaça insuportável que nem uma chaminé. Vários amigos meus dizem que é bom para relaxar, para desestressar. E cá fico pensando: como diabos alguém pode imaginar o desestresse, o relaxamento com umas quinhentas substâncias completamente corrosivas e devastadoras acabando com seu organismo? O ser humano é mesmo uma coisa complexa: prefere estar mofando na fila de um transplante de pulmão do que parar com um vício que, como todos estamos exaustos de saber, leva fácil à morte. E mesmo com aquelas imagens horrorosas atrás das embalagens dos cigarros, a galera não para de cometer esse suicídio lento e doloroso.

Ano passado, consegui fazer com que fois amigos se livrassem do vício, mostrando a eles que sem o cigarro, tudo fica melhor. Os dois viam as coisas na cor cinza, tinham um péssimo rendimento escolar e não conseguiam nem respirar direito. Fiz pesquisas na internet, indiquei grupos de apoio para dependentes químicos (não, não é só para outras drogas além do cigarro, viu?) e, acima de tudo, fiz com que eles enxergassem que, além daquela fumaça cinzenta que acarreta na contaminação de fumantes passivos, existia um mundo que sorria para eles, incentivando-os a viver sem restrições e sem medo de ser felizes.

E se você tem algum amigo que fuma, converse com ele. Explique a ele que os ganhos sem o cigarro são muito maiores do que com ele. Acho que faz bem sonhar com uma famíllia, uma casa só nossa e um jardim colorido – sem que haja um certo borrão cinza nos impedindo de fazê-lo.

 

 

***

Oi, lindos!
Dei uma sumida do PS, né? Ultimamente minha vida tem estado tão parada e estacionada na rotina que olha, faz um século que eu não sei o que é um bapho fortíssimo daqueles de abalar estruturas. Mas tô relevando porque maio É MEU INFERNO ASTRAL e eu acredito em astrologia. SIM, eu acredito em horóscopo e bububu. Sou supersticioso? rs
Ah, a respeito do post: fumar tem me causado uma repulsa IMENSA. Pra todo canto que ando vejo gente com cigarro nas mãos, jovens, adultos, velhos. Fico de cara com essa gente, sério. Mas eu sigo a base do “se mata quem quer, eu lavo as minhas mãos” porque ninguém ingressa nisso por falta de aviso. Mesma coisa válida pra legalização da maconha, tema pra um próximo post. Enquanto isso, discutam sobre a droga do cigarro e seus prejuízos IMENSOS não só pra quem usa, mas pra toda uma sociedade.
Amanhã é o último dia do mês! Maio vai-se embora GRAÇAS A DEUS e vem junho, o meu mês, o mês do meu aniversário lindo e maravilhoso. Como ninguém lembra de me dar um presente sólido desses que a gente usa de verdade, já tô providenciando uns agrados pra mim. Porque eu tenho condições e porque eu me valorizo e porque chega.
Ai, lindos, acho que é isso. Espero voltar loguinho pra um próximo tema legal! Não esqueçam que tem pauta nova minha lá no O Quanto Quiser, blog do ilustríssimo Felipe Goulart para o qual eu colaboro!

Do seu escritor-aspirante,

 

 

Tiêgo R. Alencar

5 pseudocomentaram:

Leila Ice Girl disse...

Ai Tiêgo, essas pessoas que fumam, além de prejudicar a própria saúde ainda querem foder com a dos outros, por que fumante passivo é tão prejudicado quanto o ativo, você sabe não é?
Detesto alguém fumando perto de mim, e quando acontece não faço questão nenhuma de ser simpaticazinha não, viro a cara e tapo o nariz mesmo.
xoxo, seu lindo

Jeniffer Yara disse...

Detesto cigarro também e ver as pessoas se matando por isso. Falou tudo no post,amei ><
beijo.

Thaina Farias disse...

Eu, como sou muito curiosa, inventei de fumar uns tempos atrás. Achei tão, mas tão idiota inalar essa fumaça para dentro do meu organismo, sinceramente... Fumei um cigarro inteiro, mais de uma vez e, confesso, foi tortura. Até hoje me pergunto o motivo de ter feito isso, rs. Pelo menos agora posso dizer que essa droga não presta, de verdade. Fumar socialmente hoje em dia virou moda, assim como daqui a algum tempo vai ser moda todo mundo na fila de transplante de pulmão, haha.
Beijão!

Thaís A. disse...

É complicado. Admito que tenho uma certa replusa, como você disse, quando vejo alguém fumando. Meus amigos fazem isso e sei lá, não acho certo.
Me pergunto quais os benefícios que isso vai trazer na vida. :(

Felipe disse...

Nunca fumei. E não gosto disso. Conheço pessoas que fumam, inclusive meus pais. Eles sempre respeitaram o meu irmão e eu e nunca fumaram na nossa frente. Sempre pedi para eles pararem de fumar, eles até tentam, mas o vício é maior.
Até tenho conhecidos que fumam, não gosto do cheiro e fico incomodado. Não falo para eles pararem de fumar até porque eles sabem melhor do que eu a quantidade de males que o cigarro é capaz de levar para o corpo de uma pessoa.
Eu respeito as pessoas que fumam mesmo achando errado. Até o momento em que elas não invadirem a minha liberdade e não me incomodarem com isso, juntos, ficaremos em paz.