segunda-feira, 30 de maio de 2011

Cinza ou colorido?

 

Lá em 2005, quando me foi ensinado em Estudos Sociais o uso ofensivo e altamente prejudicial à saúde do cigarro, não fazia ideia do que era a dimensão deste problema presente em toda a sociedade. Passaram-se anos e anos e parecia que a história só piorava: o que antes eu só via entre os dedos de adultos, já estava vendo nas mãos de adolescentes. E isso realmente começou a me preocupar.

Não vou mentir: já me ofereceram cigarro sim. De todos os tipos, cores, cheiros e sabores. Nunca experimentei. Nunca senti a menor vontade de colocar aquela bomba tóxica na boca para sair cuspindo uma fumaça insuportável que nem uma chaminé. Vários amigos meus dizem que é bom para relaxar, para desestressar. E cá fico pensando: como diabos alguém pode imaginar o desestresse, o relaxamento com umas quinhentas substâncias completamente corrosivas e devastadoras acabando com seu organismo? O ser humano é mesmo uma coisa complexa: prefere estar mofando na fila de um transplante de pulmão do que parar com um vício que, como todos estamos exaustos de saber, leva fácil à morte. E mesmo com aquelas imagens horrorosas atrás das embalagens dos cigarros, a galera não para de cometer esse suicídio lento e doloroso.

Ano passado, consegui fazer com que fois amigos se livrassem do vício, mostrando a eles que sem o cigarro, tudo fica melhor. Os dois viam as coisas na cor cinza, tinham um péssimo rendimento escolar e não conseguiam nem respirar direito. Fiz pesquisas na internet, indiquei grupos de apoio para dependentes químicos (não, não é só para outras drogas além do cigarro, viu?) e, acima de tudo, fiz com que eles enxergassem que, além daquela fumaça cinzenta que acarreta na contaminação de fumantes passivos, existia um mundo que sorria para eles, incentivando-os a viver sem restrições e sem medo de ser felizes.

E se você tem algum amigo que fuma, converse com ele. Explique a ele que os ganhos sem o cigarro são muito maiores do que com ele. Acho que faz bem sonhar com uma famíllia, uma casa só nossa e um jardim colorido – sem que haja um certo borrão cinza nos impedindo de fazê-lo.

 

 

***

Oi, lindos!
Dei uma sumida do PS, né? Ultimamente minha vida tem estado tão parada e estacionada na rotina que olha, faz um século que eu não sei o que é um bapho fortíssimo daqueles de abalar estruturas. Mas tô relevando porque maio É MEU INFERNO ASTRAL e eu acredito em astrologia. SIM, eu acredito em horóscopo e bububu. Sou supersticioso? rs
Ah, a respeito do post: fumar tem me causado uma repulsa IMENSA. Pra todo canto que ando vejo gente com cigarro nas mãos, jovens, adultos, velhos. Fico de cara com essa gente, sério. Mas eu sigo a base do “se mata quem quer, eu lavo as minhas mãos” porque ninguém ingressa nisso por falta de aviso. Mesma coisa válida pra legalização da maconha, tema pra um próximo post. Enquanto isso, discutam sobre a droga do cigarro e seus prejuízos IMENSOS não só pra quem usa, mas pra toda uma sociedade.
Amanhã é o último dia do mês! Maio vai-se embora GRAÇAS A DEUS e vem junho, o meu mês, o mês do meu aniversário lindo e maravilhoso. Como ninguém lembra de me dar um presente sólido desses que a gente usa de verdade, já tô providenciando uns agrados pra mim. Porque eu tenho condições e porque eu me valorizo e porque chega.
Ai, lindos, acho que é isso. Espero voltar loguinho pra um próximo tema legal! Não esqueçam que tem pauta nova minha lá no O Quanto Quiser, blog do ilustríssimo Felipe Goulart para o qual eu colaboro!

Do seu escritor-aspirante,

 

 

Tiêgo R. Alencar

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Você + Eu = Nós

 

E agora somos só você e eu.

Mal posso acreditar que uma tentativa frustrada de vencer uma corrida de barcos fosse resultar nisso, mas não tenho do que reclamar. Afinal, estou com o amor da minha vida ao meu lado, me apoiando em todos os momentos – mesmo que eles sejam ruins. Nossa amizade já não era o bastante para tanta intimidade, tanta cumplicidade, tanto afeto e carinho reunidos em duas almas. Éramos melhores amigos, e isso era bom. Apenas não era aquilo que nenhum dos dois queria. Aliás, como eu poderia saber que você também me olhava com outros olhos enquanto eu falava das outras mulheres pelas quais me interessava e corria instantaneamente para lhe falar? Eram vezes em que tentava fugir do sentimento que tomava cada vez mais conta do meu coração. Procurava algo que não atrapalhasse nossa relação tão bonita e pacífica, não o contrário. Você me fez enxergar que a vida pode ter muito mais graça quando existe alguém para nos entender, nos compreender e nos amar do jeito que nós somos. E eu não me perdoo por não ter percebido antes que você sentia o mesmo que eu sinto por você: amor. Um amor simples, um amor intenso, um amor que me deixa feliz não importa o que estiver acontecendo comigo no momento. Ao seu lado, eu sei que estou bem. Ao seu lado, eu sou imbativel. Ao seu lado, meus problemas, aflições e medos somem. Ao seu lado, eu sou feliz.

Apenas beije-me. E o que vier, virá.

 

 

Pauta para o Blorkutando – 139ª Semana: O Barco.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Vous avez quel âge?



Dia vinte de junho eu completo dezessete anos. E não me recordo de ter desejado tanto completar mais um aniversário. Pode até soar infantil, mas os números agora fazem muita diferença em minha vida. É um sensação estranha. Tipo pior do que quando você quer ir naquela megabalada e a carteira de identidade fala por você, sabe?
[Ok, péssima analogia. Prossigamos.]
Então, eu não tenho cara de dezesseis anos. Muito pelo contrário, pareço até mais velho. Só que parecer é bem diferente de ser de verdade, pra variar. E isso vem martelando na minha cabeça desde que a atendente da Tim esfregou na minha cara que eu preciso TER dezoito anos e não APARENTAR ter dezoito anos para poder cadastrar uma linha em meu nome. Sim, a moça disse com essas mesminhas palavras, quebrando meu coração em pedaços (dramático e exagerado só eu, né). Não posso assinar nada sozinho, não posso ter um cartão de crédito, não posso ter os descontos que os adultos tem em sites de compras, não posso me cadastrar em lojas virtuais e físicas, não posso fazer um monte de coisa que adoraria fazer. Sinto-me imprensado. Um lado diz que eu já sou adulto, pois trabalho, vou para a faculdade e pago as minhas contas (que não estão em meu nome). O outro lado, o legal (literalmente falando), já diz que ainda dependo dos meus pais para tudo, ou quase tudo que envolva papéis, idade e resposabilidades. Vivo nessa imparcialidade louca, nessa adversidade complicada dentro de mim. Muitos de vocês achariam fantástico aparentar ter a idade que não tem, aposto. Porém, isso comigo não é lá uma coisa da qual eu goste de me gabar, não.
Creio que não seja demais pedir apenas uma aceleradinha básica para o tempo Sei que não sentirei falta da vida “de menor” nem das dificuldades que arco com essa condição. Já espero a maioria de vocês me tacando pedras por querer envelhecer logo, porque o tempo não para nem retrocede, e bububu. Faz parte, não? Aliás, acho que também faz parte sonhar com um mundo onde eu possa ser adulto à minha maneira. Como o mundo mágico de Harry Potter, por exemplo.
Onde a maioridade é de dezessete anos.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

ENEM 2011: que comecem os jogos!

 

Ano passado, eu prestei o vestibular para duas universidades públicas. Uma delas, a federal (Unifap), utilizou a nota do Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, como uma das formas de ingresso. Pensei umas dez fazes antes de optar por fazê-lo, uma vez que minha preparação para a prova era zero e ela seria minha porta de entrada para a faculdade – fora o medo que quem já havia feito nos anos anteriores me colocava com seus relatos do temido exame. Mas mesmo assim, fiz. E não me arrependo nem um pouquinho da escolha, até porque consegui passar no vestibular com a nota do ENEM (mas isso já é outra história, hahahaha). Enfim, concentremo-nos na prova em si.

A prova total é dividida em dois dias, duas provas em cada um sendo que no segundo dia temos a linda e maravilhosa redação para completar a felicidade dos pobres mortais que farão o bendito exame. Acho que só isso já basta para o considerarmos desumano, não? Confesso que no primeiro dia de provas fiquei morrendo de medo do tamanho dos cadernos de questões e do conteúdo decisivo deles. Agora, somem isso a uma sala minúscula, mal ventilada, muito quente e com carteiras mais duras do que PREFIRO NÃO COMENTAR RS. Pronto, você tem em mente os meus dias tortuosos, exaustivos e totalmente atordoadores que marcaram o meu final de 2010. O ENEM de longe foi a avaliação mais perversa, complicada e interminável que eu já fiz. Juro que depois do segundo dia de prova, o meu maior desejo era dormir até esquecer que dá pra ferver água numa vacna e que o Twitter e a Wikipédia podem te ajudar a conquistar seus sonhos – ao saber as respostas de suas respectivas perguntas no exame.

Tenho três dicas básicas pra ajudar você que fará o ENEM em 2011, para o período de proximidade de sua aplicação: um, esqueça os cadernos, livros e apostilas do cursinho antes da prova. Eles são os principais inimigos do combate ao nervosismo e garanto a você que nada entra na cabeça horas antes da prova; em compensação, não esqueça os documentos necessários à sua identificação no local de aplicação. Vi muita gente sendo barrada na minha sala por estar com o documento errado ou por não tê-lo trazido, mesmo o nome constando na lista. Dica dois, descanse muito nos dias anteriores ao do final de semana do ENEM. Uma mente e um corpo repousados têm maior calma e disposição no momento de responder as questões imensas que certas áreas exigem (considere a de humanas e a de linguagens e códigos como algumas dessas áreas). E dica três, seja lá onde for sua prova, LEVE ALGO PRA COMER já que você não pode sair pra comprar/comer nada. O tempo da prova é longo – começa no horário de almoço e termina no fim da tarde. E posso assegurar que a fome bate, bem no meio da prova. No primeiro dia, me lasquei por ter levado só uma barrinha de cereal e dois chicletes pra quase uma tarde toda lendo, batendo cabeça, relendo… Segui os três passos e me dei bem no ENEM, mesmo sem ter me preparado para prova alguma, o que constata que não importa o que você tiver feito antes, na hora H é você e sua cabeça. Só.

O ENEM em 2011 está cotado para acontecer no segundo semestre (mais especificamente nos dias 22 e 23 de outubro) e em 2012 terá outra edição logo no primeiro semestre (nos dias 28 e 29 de abril). Não confio muito nessa informação mas tudo bem. As inscrições começaram hoje e vão até o dia 10 de junho, às 23:59h, no portal do ENEM e estão no valor de R$35,00 (lembrando que alunos concluintes do Ensino Médio no ano de aplicação da prova são isentos de pagamento). Confie em si, muita concentração e boa sorte desde já!

 

FONTES: Hiperativo | Terra

sexta-feira, 20 de maio de 2011

A união faz a… BLOGOSFERA!

 

Quando eu entrei na blogosfera, em 2007, não fazia ideia do que era o boom daquele momento. Não demorei a me habituar nesse meio tão vasto e cheio de conteúdo do útil ao inútil. Mas parece que de uns tempos pra cá (leia-se dese a criação de uma rede social por semana e para todas as necessidades), os blogs perderam totalmente a sua força. E isso provocou uma mudança significativa no que costumávamos ter como diários virtuais de expressões construtivas.

Até agora me pergunto o que de fato ocorreu com a poderosa blogosfera. Não consigo nem conseguirei admitir que um texto com início, meio e fim tenha sido trocado por um punhado de caracteres que, na maioria das vezes, não contribuem em nada na formação de opiniões concretas. Eu sei que as coisas evoluem, inclusive o famoso Tumblr é um belo (feio?) exemplo disso; chegou para mesclar praticidade e inovação em termos bloguísticos. Porém, não creio que uma rede social tão recente possa ter abalado tanto assim as estruturas de plataformas de peso como o Blogger e o Wordpress.

Não quero me limitar a falar a respeito dos domínios internáuticos porque o que realmente interessa são aqueles que estão por trás deles: os blogueiros. Juro, em toda a minha existência na blogosfera, não me lembro de ter assistido tamanha regressão em termos de qualidade técnica. Se antes qualquer um abria um blog, cuspia inconveniências que até serviam para nos mostrar alguma coisa e ficava por isso mesmo, agora a coisa piorou. Os blogueiros perdem seu tempo “escrevendo” sobre o que sabem (ou não sabem), descuidando-se totalmente daquilo que é de maior importância, o conteúdo. E quando não veem comentários, simplesmente somem e reaparecem na maior cara dura, dizendo que acham que perderam a prática de blogar – como se comentários fossem tudo na construção de um blog. Cansei de clicar em páginas fúteis, com erros grosseiros de ortografia e concordância, cujos autores ainda me vinham com “seu blog é lindo, me segue?” nos comentários em meu blog. Mas em tempos modernos, uma boa aparência já é o suficiente, não? Para mim não é, nem nunca será.

Os blogueiros, se estiverem interessados de verdade no ressucesso da blogosfera, deveriam se unir e mostrar que o que é bom tem força o bastante para mudar a situação caótica na qual veículos de informação tão essenciais se encontram. Afinall, a união faz a força e, neste caso, fara ainda com que o mundo se volte para os velhos e bons blogs que tanto influenciaram na maneira de ser e no pensamento de toda uma geração.

 

Pauta para o Blorkutando – 138ª Semana – O Futuro da Blogosfera.

***

Oi, lindos!
Apareci com esse texto meio revoltadinho quanto ao estado em que a blogosfera está. Vocês já repararam que as coisas não são mais como eram antes? Como tudo mudou assim, sem mais nem menos? Não gostei nada dessa história e já estou me mobilizando para mudar essa situação sugerindo altas ideias para o Blorkutando lá na comunidade do projeto, onde eu e mais outros blogueiros super interessados na volta triunfal dos blogs de verdade, por assim dizer, estamos discutindo a melhor maneira de modificar o BK de maneira que os blogueiros, tanto os novos quanto os antigos, tenham blogs não só por ter, mas para mostrar que ser blogueiro vai muito além de possuir um domínio registrado num nome legal. Vamos colaborar para o retorno da blogosfera?
Nossa, como eu falo. hahahahaha
Pois é, lindos, minha vida anda uma loucura. Trabalhando que nem um jegue, estudando francês de me acabar e me empenhando ao máximo pra que tudo dê certo no início da faculdade. TODOS TORCENDO POR MIM?!?!?
Ah, indicações de livros: “Aprendendo a Viver”, de Júlio Emilio Braz e “Os Doze Mandamentos”, de Sidney Sheldon. Fiquei sem internet de segunda até ontem e aproveitei pra por a leitura em dia. Exterminei os dois em menos de um dia. SOU DESESPERADO? Hahahaha Meu aniversário tá chegando e quem estiver afim de me fazer um agrado, aceito um livro bom de presente! xD
E acho que é isso. Tô ridiculamente apaixonado, vivendo minha vida como dá e pensando no meu futuro. Daqui há um mês darei início ao meu último ano como menor de idade. Me sinto velho, falei. Podem aguardar posts assim. hahahahaha

Do seu escritor-aspirante,

Tiêgo R. Alencar

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Paixão, só isso.


Sinto-me um completo idiota. É, retardado, louco. As coisas sorriem para mim assim, sem mais nem menos. Não preciso mais chegar em casa reclamando de Deus e o mundo por causa de um dia tenebroso no  trabalho ou no meu curso de francês (se bem que falar francês clareia qualquer dia tenebroso, mas enfim). Muito pelo contrário, inclusive. Todo mundo estranha quando eu chego em casa rindo – de nada.
Eu sei que você tá me achando um retardado total por estar jogando aleatoriedades num parágrafo de introdução de um texto bobo e sem muitas razões, porém continuarei mesmo assim.
“Apenas um olhar, mistério, confuso de entender...”, já diz o NX Zero (écoutez “Apenas Um Olhar). Por algum motivo, um olhar foi o suficiente para que todas as terminações nervosas do meu corpo estivessem prestes a entrar em transe. Prevejo pedras sendo atiradas em mim por conta da minha cafonice, mas minhas pernas bambearam apenas por ouvir o som de sua voz – um “oi” tímido seguido de um sorriso e um olhar penetrante. Isso é o bastante para que minhas pernas bambeiem, ou pelo menos eu acho. Você já deve ter sentido isso alguma vez na vida, aposto. Coração acelerado. Modo “mute” ativado. Um certo trepidar (em toda a extensão corporal). Não me lembro ao certo da minha reação naquele instante, se é que eu tive alguma. Ah, lembrei de uma reação: sorri. Retribuí aquele sorriso lindo e aquele olhar penetrante como se fosse a coisa mais importante da minha existência.
Uma só fração de segundo bastou para que eu tivesse certeza do que era aquela erupção incontrolável de emoções loucas dentro de mim.
Simples. Eu estou apaixonado.
De novo.

domingo, 15 de maio de 2011

#TopFive 3: CD’ Internacionais!

Oi, gente!

Pois é, eu disse que viria antes, e deveria ter voltado ontem. Mas a internet sambou na minha cara e eu na hora em que eu ia postar, sempre dava erro (eu não uso o sistema de postagem normal do Blogger, mas o Windows Live Writer). Agora, sem enrolações e depois de muita promessa, cá está o #TopFive de número três, com os cinco CD’s mais incríveis que eu já ouvi na vida. Então preparem os olhos, os ouvidos e a disposição pra jogar todas as músicas no 4shared depois e vem comigo!

 

+ Rihanna – Good Girl Gone Bad (2007)

Não deve ser segredo pra ninguém que eu sou apaixonado por música pop. Seja lá o estilo que for, tenho um amor absurdo por esse estilo musical e sorry você que paga de cult e fica curtindo Beatles, Rolling Stones e Red Hot Chili Peppers com dezesseis anos porque isso pra mim é ser retardado e querer ser diferente demais. Mas deixando esse povinho radical pra lá (desculpe se você está nesse meio, c’est mon opinion, baby), não poderia esquecer DE JEITO NENHUM minha musa e diva sensacional Rihanna. Desde os primórdios da humanidade quando eu descobri o pop, RiRi já estava lá, com sua “Unfaithful” me fazendo chorar peeeencas e arranhando um inglês epic fail. A diva já tinha lançado dois CD’s quando a conheci (respectivamente “Music of the Sun” e “A Girl Like Me”) e fiquei desesperado quando soube do anúncio de Good Girl Gone Bad. Esperei ansiosamente e quando o álbum foi lançado, Rihanna estourou nas paradas de sucesso com “Umbrella”, ganhando mundo afora com o refrão inesquecível da canção. Não me decepcionei com a produção da musa. A espera valeu muito a pena, tanto que ele veio parar aqui! Só na primeira semana depois de lançado, “Good Girl Gone Bad” quase alcançou a faixa de um milhão de álbuns vendidos e nos demais anos que se seguiram até o lançamento de “Rated R”, em 2009, o disco conquistou discos de platina e de ouro e em todo o mundo. O álbum até hoje tem uma recepção muito positiva e super recomendo a todos vocês!

 

 

FAIXAS:

1 – Umbrella (feat. Jay Z)

2 - Push Up On Me

3 - Don't Stop the Music

4 - Breakin' Dishes

5 - Shut Up and Drive

6 - Hate That I Love You (feat. Ne Yo)

7 – Say It

8 - Sell Me Candy

9 - Lemme Get That

10 - Rehab

11 - Question Existing

12 - Good Girl Gone Bad

Bônus Tracks

13 – Take a Bow

14 – Disturbia

15 – If I Never See You Face Again (feat. Maroon 5)

 

Minhas favoritas: Umbrella Coração vermelho, Sell Me Candy Coração vermelhoCoração vermelho, Hate That I Love You Coração vermelhoCoração vermelho, Shut Up and Drive Coração vermelho, Take a Bow Coração vermelhoCoração vermelho e Good Girl Gone Bad Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho

Menos favoritas: Lemme Get That, Say It, Disturbia

 

+ Adam Lambert – For Your Entertainment (2009)

 

Eu nunca fui de ouvir músicas de cantores saídos de realities, sabe. Só curtia vê-los lá, nos programas – fora, não. E antes que vocês perguntem, eu não cheguei a ver o Adam Lambert no American Idol, em 2009. O conheci no início de 2010, quando um amigo (thanks, João s2) me apresentou a um dos seus hits do momento (que todo mundo já tinha escutado, menos eu), “Whataya Want From Me”. Fiquei encantado, sem mais. Chateei com a música por um bom tempo até criar vergonha na cara pra ir atrás de mais do Adam. E assim foi, fui baixando as músicas dele e quando me vi já estava apaixonado de corpo e alma pela voz e pela personalidade marcante do cantor. Confesso que fiquei um pé atrás depois de saber que ele tinha saído do American Idol (eu não sabia disso quando ouvi minha primeira música dele), mas não me deixei levar por essa mania de cair fora de ex-reality. O resultado? Um amor IMENSO por tudo o que o Adanzinho faz s2s2. “For Your Entertainment” é seu segundo CD (o primeiro foi “Take One”) e de longe, o melhor. Já não passo um dia sem ouvir uma canção que seja. Pra você que ama aqueles gritos megaescandalosos e afinados até  a alma, Adam Lambert é uma pedida mais do que excelente! O álbum foi um sucesso de audiência e superando todas as expectativas do próprio Adam, rendeu um outro disco, proveniente da sua turnê “Glam Nation Tour”, além de vários prêmios e discos de platina e ouro. Vamos pra tracklist?

 

FAIXAS:

1 - Music Again

2 - For Your Entertainment

3 - Whataya Want From Me

4 - Strut

5 - Soaked

6 - Sure Fire Winners

7 - A Loaded Smile

8 - If I Had You

9 - Pick U Up

10 - Fever

11 - Sleepwalker

12 - Aftermath

13 - Broken Open

14 - Time For Miracles

Bônus Tracks:

15 – Down The Rabbit Hole

16 – Voodoo

17 – Can’t Let You Go

18 – No Boundaries

 

Minhas favoritas: Soaked Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho, Aftermath Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho, Music Again Coração vermelhoCoração vermelho, Voodoo Coração vermelhoCoração vermelho, If I Had You Coração vermelhoCoração vermelho e Whataya Want From Me Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho

Menos favoritas: Broken Open

 

+ Mika – The Boy Who Knew Too Much (2009)

MEU CANTOR FAVORITO. Essas três palavras definem. Mika e seu estilo muitíssimo exótico mas não menos maravilhoso me conquistaram no exato instante em que meus ouvidos captaram a música “Happy Ending”, do primeiro CD, “Life in Cartoon Motion”, há cinco anos atrás. Não me lembro de ter me apaixonado tão rápido por uma voz e por um cantor como aconteceu com o Mika. Aliás, eu não me lembro de ter curtido muitos cantores solos antes dele, não. Mika foi um marco na minha vida. O pop masculino chegou na minha vida junto com ele e isso eu não vou esquecer nunquinha. Mas enfim, quando “The Boy Who Knew Too Much” eu só não fiz um escândalo de felicidade porque eu estava na lan house, mas baixei super sorrindo loucamente de euforia todas as músicas como se não houvesse amanhã. Qual não foi minha surpresa quando constatei que o álbum tinha amadurecido um bocado desde o anterior e, pra variar, estava ainda melhor! Dá pra dançar, se emocionar, gritar, pular… Taí um álbum que a gente não consegue pular UMA faixa. CORRAM PRO 4SHARED NOW porque esse libanês radicado inglês é boca de confusão misturado com atraque mais um pouquinho de encrenca! VEM, GENTE!

 

FAIXAS:

1 - We Are Golden

2 - Blame It On the Girls

3 - Rain

4 - Dr. John

5 - I See You

6 - Blue Eyes

7 - Good Gone Girl

8 - Touches You

9 - By the Time

10 - One Foot Boy

11 - Toy Boy

12 - Pick Up Off the Floor

Bônus Track

13 - Lover Boy

 

Minhas favoritas: WE ARE GOLDEN Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho, Blame It On The Girls Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho, Pick Up Off The Floor Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho e Good Gone Girl Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho

Menos favoritas: Lover Boy e Rain

 

+ Avril Lavigne – Let Go! (2002)

Gente, só Deus sabe o quanto eu sou APAIXONADO por Avril Ramona Lavigne. Essa musa ganhou meu coração assim que eu ouvi Sk8ter Boy, lá em 2004. Como naquele tempo eu não tinha muitos recursos pra ouvir músicas tampouco condições financeiras pra comprar o CD, tive que me conformar com as vezes em que as canções da diva tocavam nas rádios. Quando ganhei de presente de uma amiga o disco, quase infartei de emoção e gritei louco de tanta felicidade. Era meu primeiro CD e eu não tinha como não sentir toda aquela alegria de estar crescendo e trocando os bonecos pelos discos (philosophei). Lembro de ter furado o CD em várias faixas até um filho da puta muito grande ter me roubado meu lindo no colégio, de dentro da minha mochila linda da Kippling :( Enfim, dramas à parte, Avril e seu rock (que faz falta atualmente, confesso) inconfundível marcaram uma geração e “Let Go” foi de um sucesso estrondoso, chegando a ser o segundo álbum mais vendido do seu ano de lançamento e o oitavo do ano seguinte. É MUITO AMOR, Brasil <3 Avril arrasa muito, não tem como não se apaixonar por essa canadense linda, loira e cheia de atitude!

 

FAIXAS:

1 - Losing Grip

2 - Complicated

3 - Sk8er Boi

4 - I’m With You

5 - Mobile

6 - Unwanted

7 - Tomorrow

8 - Anything but Ordinary

9 - Things I’ll Never Say

10 - My World

11 - Nobody’s Fool

12 - Too Much to Ask

13 - Naked

 

Minhas favoritas: I’m With You Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho, Complicated Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho, Things I’ll Never Say Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho, My World Coração vermelhoCoração vermelho e Nobody’s Fool Coração vermelhoCoração vermelho

Menos favoritas: Mobile e Unwanted

 

+ Fall Out Boy – Folie à Deux (2008)

Eu sempre tive um fraco por rock internacional. Quando conheci o Fall Out Boy, em 2007, foi amor à primeira vista! Criei toda uma expectativa por conta do novo álbum que seria lançado em 2008 e quase tive um treco quando vi que o nome era em francês (todo mundo sabe que eu amo francês e que é a língua que cursarei na faculdade). BUT quebrei minha cara quando vi que não tinha UMA faixa em francês, epic fail, né FOB? Mas pra compensar esse errinho de concordância (ops, exagerado eu magina), os quatro musos da banda arrebentaram na produção. Lembro de ter passado um mês todinho ouvindo só esse CD, de tão incrível que achei. Sem sombra de dúvidas o álbum tinha que estar aqui! PS: SO CUTE ESSA CAPA, HEIN?

 

 

FAIXAS:

1 - Disloyal Order Of Water Buffaloes

2 - I Don’t Care

3 - She’s My Winona

4 - America’s Suitehearts

5 - Headfirst Slide Into Cooperstown On A Bad Bet

6 - The (Shipped) Gold Standard

7 - (Coffee’s For Closers)

8 - What A Catch, Donnie

9 - 27

10 - Tiffany Blews

11 - w.a.m.s.

12 - 20 Dollar Nose Bleed

13 - West Coast Smoker

Bônus Tracks:

14 – Lullabye (faixa escondida, que é revelada ao retroceder a faixa “Disloyal Order Of Water Buffaloes – apenas em CD player)

15 – Pavlove

16 – Beat It

[E versões acústicas de “Americas’s Suitehearts” e “What' a Catch, Donnie” e remixes de “I Don’t Care” e também “America’s Suitehearts”]

 

Minhas favoritas: What a Catch, Donnie Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho, Tiffany Blews Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho, She’s My Winona Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho e America’s Suitehearts Coração vermelhoCoração vermelhoCoração vermelho

Menos favoritas:  The (Shipped) Gold Standard, 27 e West Coast Smoker

 

E é isso! Espero que aproveitem as dicas, lindos! Até a próxima!