quarta-feira, 15 de junho de 2011

Il y a comme n’aimer pas de lettres?

 

 

Não, não tem como não amar cartinhas. Elas podem vir de todos os tamanhos, de todos os tipos, com todo o conteúdo imaginável. O carteiro bate à sua porta e você, mesmo já estando mais do que enjoado de ver aquela figura amarela dos pés à cabeça, não vê a hora de ele lhe entregar a correspondência. No meio de contas e propagandas, ali está a salvadora dos seus dias. Ela que te faz se sentir o máximo por alguém ter parado algum tempinho só para escrever pra você. As cartas são poucos momentos que temos para refletir conosco mesmos; as cartas são passagens de ida e volta para um universo de pensamentos infinito, de lembranças gostosas – ou desgostosas –, de vivências e experiências. Uma carta vai muito além de recebê-la das mãos do carteiro (ou carteira, como é a moça que sempre deixa as minhas em casa), abri-la, lê-la e respondê-la. Temos que sentir o prazer por aquela atividade, sentir como se pudesse descrever minuciosamente o que seu correspondente sente só pela variação de sua letra. Acreditar que não são apenas papéis rabiscados mas sim instantes eternizados em palavras sinceras. O prazer em escrever cartas é uma das coisas mais deliciosas da vida. Pode ser que não haja tempo o suficiente para escrever uma, ou que exista a vergonha por conta da letra, ou o receio de o que o outro vá achar de você daquela maneira. É bom ir tirando esses complexos da cabeça. A gente tem tempo pra tudo nessa vida e a sua letra não é motivo para se envergonhar, afinal ela é sua marca registrada! E sobre ter receio do que o outro vá achar, não tenha medo de ser feliz. É impossível não gostar de alguém que faz questão de escrever em papel e tinta de caneta pra você, e não manda uns e-mails superficiais, ou scraps no orkut pra dizer que não esqueceu de você e que te ama. Garanto: a intimidade presente numa carta vai do “oi!” até o “até logo” e isso você não pode encontrar em nenhum outro lugar a não ser nas linhas preenchidas de uma carta. Se você for tímido, taí um método perfeito para ir perdendo a timidez. A carta é um meio de comunicação tão incrível que dá até pena de ver que está sendo cada vez mais esquecido por todos. Mas se você é do tipo que faz a diferença e que pretende ter uns minutinhos de felicidade, seja lendo ou respondendo a uma carta, use e abuse. Nenhuma sensação no mundo é capaz de descrever a emoção repassada nas palavras transcritas. E todos só temos a ganhar!

 

PS: cafunés bem carinhosos para a Van, para a Mandy, para a Jeni, para o , para a Gwen, para a Deyse, para a Lays, para a Fran, para a Tay, para o Júnior e para a Isa, que me aturam/aturaram em cartas – e gostam/gostaram!

***

Oi, lindos!

Vim praticamente voando aqui porque tô no trabalho e hoje o dia tá prometendo muita coisa – oh, God, como eu detesto as quartas-feiras! – pra fazer. Senti uma vontade louca de falar mais uma vez de cartas aqui no blog porque vocês são uns lindos e me suportam até falando de assuntos repetidos, rs. Ah, e outra: quem quiser, ainda tô disponível pra troca de cartas! Vamos aproveitar que as férias estão chegando e vamos arrasar invadindo as agências dos Correios com nossas presenças divas e sensacionais? Quem estiver afim, me contate por comentários ou me mande um e-mail para tiegoramon@gmail.com que eu respondo assim que possível!
E a propósito, estou ótimo. Minhas notas no francês estão excelentes e segunda-feira, meu aniversário, será o último dia de aula, com as temidas provas finais de semestre. Tô me concentrando bastante e tenho certeza que vou arrasar! Um beijo, subjonctif et conditionnel e outros assuntinhos chatos! Amo vocês <3 hahaahaha
E é isso! Tem post novo meu no O Quanto Quiser e espero vê-los logo logo! Brigadíssimo pela atenção!

Do seu escritor-aspirante,

Tiêgo R. Alencar

6 pseudocomentaram:

Deyse Batista disse...

Nossa, me senti super culpada por nunca mais ter trocado cartinhas com você :// Mas amigo, você não tem NOÇÃO de como minha vida é uma loucura. Você vai entender em breve, quando começar o seu curso.
Mas eu tenho certeza que ainda vamos nos comunicar muito :))

beijos, querido.
gosto bastante de você.

Jota disse...

Nunca recebi uma carta assim, só as que vão para os retiros que eu participo ^^

Se cuida criatura ;***

หคтнყ disse...

POxa, que legal.
Eu tbm já fiz um post relacionado à isso > http://nathydorgas.blogspot.com/2011/01/gv-d-pd.html <
Mesmo em meio a tanta tecnologia, é legal mantermos as coisas boas(antigas) da vida. Pra não perde a graça rs


Bejuuuu

Buba. disse...

Eu sou APAIXONADA por receber cartas! Teve uma época, que eu ainda não estava nessa 'era virtual', que eu trocava cartinhas com várias pessoas, atraves da revistinha da Turma da Mônica! Era tãããão gostoso *-*

Jeniffer Yara disse...

Ahh tô sentindo todo o prazer e aquela sensação ótima de escrever e receber cartas.Fico ansiosa pra receber as cartas,e começar a responder,vêm mil idéias na cabeça,rs.

Amei *-*

Beijos

Leila Ice Girl disse...

Adoro receber/escrever cartas, mas faz tempo que não vou aos correios viu, ahaha, ah sim, adoraria trocar cartinhas!